CPADNews

Justiça determina que Flordelis e mais nove réus irão à júri popular

A deputada federal é ré no inquérito da morte do marido, o pastor Anderson do Carmo. Ela só não foi presa por conta de imunidade parlamentar

Justiça determina que Flordelis e mais nove réus irão à júri popular

A deputada federal Flordelis dos Santos irá à júri popular pela morte do marido, o pastor Anderson do Carmo, morto em junho de 2019, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio. Na decisão, assinada pela juíza do 3º Tribunal do Júri de Niterói (RJ), Nearis dos Santos Carvalho Arce, outras nove pessoas indiciadas pelo crime também serão submetidas à decisão dos jurados.

O inquérito policial, aceito pelo Ministério Público do Rio (MPRJ), concluído pelo delegado Allan Duarte, aponta a parlamentar como mandante do assassinato. Ela foi indiciada por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, uso de documento falso e associação criminosa armada.

Para a polícia, a morte do pastor Anderson do Carmo não teria como acontecer sem o consentimento de Flordelis. Segundo o delegado, na conclusão do inquérito, "A deputada é uma pessoa extremamente perigosa".

Flordelis diz que a filha Simone dos Santos foi quem pagou pela morte do pastor, mas o inquérito policial aponta contradições.

Ao Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, Simone disse que deu R$ 5 mil pela morte do padrasto, mas não soube explicar como o irmão Flávio dos Santos conseguiu cerca de R$ 8 mil para a compra da arma usada no crime.

VEJA OS RÉUS QUE IRÃO A JÚRI POPULAR

- Flordelis dos Santos

- Simone dos Santos Rodrigues

- Marzy Teixeira da Silva

- André Luiz de Oliveira, o " André Bigode"

- Carlos Ubiraci Francisco da Silva,

- Rayane dos Santos Oliveira

- Flávio dos Santos Rodrigues

- Adriano dos Santos Rodrigues

- Andrea Santos Maia

- Marcos Siqueira Costa

Lucas Cezar dos Santos de Souza, filho afetivo de Flordelis, e o irmão Flávio dos Santos Rodrigues, biológico, serão levados  à juri por executar Anderson do Carmo. Flávio por matar o padrasto e Lucas por negociar a compra da arma.

De acordo com a decisão da magistrada, todos os réus permanecem presos. Flordelis segue em liberdade por ter imunidade parlamentar. 

 

Fonte: O Dia / Foto: Estefan Radovicz / Agencia O Dia (05.05.21)