Colunistas

Pr. Elienai Cabral

Pr. Elienai Cabral

Modismos e desvios modernos (PARTE 1)

Ter, 14/08/2012 por Elienai Cabral

 

Simpatia não se trata aqui, nessa abordagem que faremos do assunto, do mero significado desse verbete, isto é, do seu sentido real nos nossos dicionários. O Dicionário Aurélio define simpatia como “participação em, ou sensibilidade ao sofrimento do outro; sentimento caloroso e espontâneo que alguém experimenta em relação a outrem” etc. Porém, essa palavra tem sido metaforizada, significando popularmente “ritual posto em prática, ou objeto supersticiosamente usado, para prevenir ou curar uma enfermidade ou mal-estar”. Existe uma outra definição mais forte que identifica essa prática supersticiosa como “simpatia como a maneira ritual de forçar poderes ocultos a satisfazerem a nossa vontade”.

No mundo místico das pessoas que acreditam em “simpatias”, a utilização de rituais e objetos é creditada a forças ocultas invocadas para a realização da prática. Utiliza-se nos rituais folhas de árvores, unhas e pêlos de animais, pingos de vela, gotas de azeite, sangue de animais, flores, fitas coloridas, posturas físicas e um arsenal de coisas. Tudo isso faz parte de um folclore popular injetado, na maioria, pelos cultos afros de ocultismo. Na verdade, esses rituais praticados parecem, à primeira vista, inofensivos, mas escondem na ingenuidade das pessoas o perigo da bruxaria e outras formas de ocultismo.

O pior de tudo é a adesão disfarçada de “simpatias” no seio de algumas igrejas, ao serem utilizados símbolos bíblicos e banalizado-os com práticas inaceitáveis pela Palavra de Deus. Coisas como a utilização de textos bíblicos, especialmente dos Salmos, para servirem de proteção contra mal-olhado, contra doenças, contra espíritos maus, contra azar. São velas acesas, defumadores, azeite de Israel, pano vermelho representando o sangue de Jesus, Salmo 91 e o 113, rosa do amor, madeira tipificando pedaços da cruz de Cristo etc.
 
Fé e Superstição
 
É lamentável que cristãos se utilizem desses meios para alcançar bênçãos em suas vidas, tornando Deus um deus pequeno e manipulado pelas suas necessidades e interesses. Na verdade, é o Diabo quem tira proveito dessa ignorância espiritual e que acaba inspirando pseudo-pastores de igrejas a utilizarem essas práticas. A Bíblia diz que “a fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela Palavra de Deus” (Rm 10.17). Ainda que a Bíblia apresente figuras materiais em alguns casos para ilustrar a fé, especialmente no Antigo Testamento, já no Novo Testamento não necessitamos de figuras, porque temos a fé como o instrumento vital para obtermos as bênçãos de Deus.

Precisamos ter o cuidado para não transformarmos os símbolos evangélicos (bíblicos) em artefatos de superstições. É lamentável quando certos movimentos, especialmente, os neopentecostais, transformam objetos, palavras e fatos históricos da Bíblia em superstições. A fé cristã não pode ser aviltada, mas deve ser exercida como elemento espiritual. Paulo declarou que “tudo o que não é por fé é pecado” (Rm 14.23).

5 comentários

omar gabriel

artigo excelente pr.elienai,a igreja verdadeira precisa difundir a verdadeira forma de culto e adoracao,que movimentos pseudo- cristaos tem denegrido nestes ultimos tempos,de fe morna e superficial, os ditos evangelicos do brasil,no momento,em sua esmagadora maioria nao conhecem a biblia,nao entendem nada de contexto biblico e historico,sao manipulados por homens de mal carater ou mal instruidos, que ensinam ao povo de Deus mentiras,no intuito de encher os cofres das igrejas da maneira incorreta

carlos pimentel

é verdade amado Pastor,porém muitos lideres, aceitam hinos com forte apelação dos anjos, e isso ocorre nas igrejas pentecostais, e neo-petencostais, na minha pequena opinião, falta de ensino da palavra. Davi disse " escondí a tua palavra no meu coração, para não pecar contra tí" abs.

ozeas menezes

como aprendemos com esses doutores constituido por Deus

Pr. Gadiel Brizola

Muitas pessoas tem voltado sua atenção aos feitos e vanglórias da criatura, esquecendo-se do Criador (Rm 1.25). Acredito que o surgimento de modismo e inovações, refere-se ao fato de que o homem não se conforma em esperar no Senhor e em Sua providencia, por outro lado, chama para si a responsabilidade dos problemas querendo agir como um superhomem resolvendo os problemas dos necessitados. Precisamos sim, voltar aos princípios e às veredas antigas para encontrarmos novamente o caminho, o

ALESSANDRO SANTANA

É lamentável o que muitas igrejas estão fazendo para tentar iludir seus membros com essa "pajelança gospel", como uma forma de criar formas de fidelização desses membros, já que não produzem nada de espiritual. O avivamento pentecostal dirigido pelo Espírito Santo é por si próprio ser o ingrediente de renovação que essas igrejas não tem a condição de ter, já que seu alicerce é mais humano que espiritual, pois tem que produzir algo de forma manual, pois com a ausência do Espír

Deixe seu comentário







Perfil

Elienai Cabral Pastor Elienai Cabral é conferencista, teólogo, membro da Casa de Letras Emílio Conde, comentarista de Lições Bíblicas da CPAD, membro do Conselho Administrativo da CPAD e autor dos livros “Comentário Bíblico de Efésios”, “Mordomia Cristã”, “A Defesa do Apostolado de Paulo – Estudo na Segunda Carta aos Coríntios”, “Comentário Bíblico de Romanos”, “A Síndrome do Canto do Galo”, “Josué – Um líder que fez diferença”, “Parábolas de Jesus” e “O Pregador Eficaz”, todos títulos da CPAD.

COLUNISTAS

ARQUIVO