CPADNews

Mais de 500 igrejas do Reino Unido abrem portas para refugiados de Hong Kong

De acordo com ativistas pela liberdade religiosa, a repressão em algumas áreas de Hong Kong chega a ser `pior do que na China continental´

Mais de 500 igrejas do Reino Unido abrem portas para refugiados de Hong Kong

Igrejas britânicas lançaram uma iniciativa de boas-vindas aos residentes de Hong Kong que estão migrando para o Reino Unido, como resultado da crescente repressão da China na cidade.

O site da campanha UKHK foi lançado em Londres em 12 de fevereiro pelo fundador do Home for Good, Krish Kandiah, com a ajuda da bispa de Londres pela Igreja da Inglaterra, Sarah Mullally. 

O site da UKHK está disponível em inglês e cantonês e servirá como um Balcão Único de Atendimento para os recém-chegados de Hong Kong, com tudo o que precisam saber sobre a vida no Reino Unido — documentação, sistema educacional, empregos, transporte público e alimentação.

Mais de 500 igrejas já se inscreveram para participar do programa, que foi lançado depois que o governo do Reino Unido abriu a porta para Hong Kong com o visto British National Overseas (BNO). 

Espera-se que cerca de 130 mil habitantes de Hong Kong cheguem ao Reino Unido este ano com o visto BNO. Hong Kong foi uma colônia britânica até a transferência em 1997, quando o princípio “um país, dois sistemas” foi aprovado pela China.

“A mudança de continentes é difícil nos melhores momentos, mas é particularmente desafiadora durante uma pandemia global”, disse Krish Kandiah, fundador e diretor do UKHK. 

‘Não há mais liberdade em Hong Kong’

O lançamento do site coincidiu com o Ano Novo Chinês e um alerta da Release International, uma organização que monitora e denuncia a perseguição de cristãos ao redor do mundo.

De acordo com o ativista pela liberdade religiosa, Bob Fu, a repressão é tão severa em algumas áreas de Hong Kong que a liberdade de expressão “é pior do que na China continental”.

“Há prisões arbitrárias, vigilância maciça e uma enorme repressão aos legisladores eleitos legalmente”, disse Fu. “Uma igreja teve sua conta bancária congelada apenas por considerar ajudar as vítimas de perseguição política”.

O ativista cristão diz que a situação em em Hong Kong envia uma mensagem assustadora para o mundo: “Não existe mais o Estado de Direito, nem independência, nem liberdade de imprensa, nem liberdade de associação, nem liberdade de expressão em Hong Kong. Tudo isso se foi”.

As igrejas do Reino Unido interessadas em apoiar a chegada de pessoas de Hong Kong podem se inscrever em www.ukhk.org/church.

 

Fonte: Guiame/ Com informações do Christian Today - Foto: Divulgação
23/02/2021