CPADNews

Igreja é impedida pela polícia de realizar culto drive-in no Canadá

A `Igreja de Deus Steinbach´ havia sido multada por realizar um culto presencial e posteriormente foi impedida de realizar o culto drive-in

Igreja é impedida pela polícia de realizar culto drive-in no Canadá

Depois de ser multada em US$ 5.000 por realizar um culto presencial que violou a ordem de saúde pública da província de Manitoba, uma igreja canadense foi impedida pela polícia local de realizar um culto de adoração drive-in no domingo.

A ‘Igreja de Deus Steinbach’ postou um vídeo em sua página do Facebook mostrando "muitos e muitos policiais" impedindo os frequentadores da igreja em um dia de neve de entrar no estacionamento da igreja para o culto das 9h30. Impossibilitados de entrar, dezenas de carros se enfileiraram do lado de fora do estacionamento e ouviram o pastor pregar do palco ao ar livre por meio de transmissão de rádio.

“Deus nos deu o direito de adorá-Lo juntos e Ele deseja ver Seu povo unido”, disse o pastor sênior Henry Hildebrandt no palco. “Parece que vivemos em um Canadá diferente. É muito doloroso para mim”.

Na semana passada, a igreja na zona rural de Manitoba recebeu uma notificação de que estava sendo multada em US$ 5.000 por realizar um culto que violava as restrições relacionadas ao COVID-19.

Em uma carta aberta na semana passada, Hildebrandt argumentou que, embora "a Bíblia ensine os cristãos a serem bons cidadãos e obedecer às exigências razoáveis de nosso governo", ela não ensina “obediência cega às autoridades quando restrições onerosas são colocadas em nossas liberdades".

“Não estamos pedindo tratamento especial, apenas tratamento igual”, escreveu o pastor, observando que negócios como lojas de bebidas e supermercados podem permanecer abertos.

“É a nossa comunidade religiosa que é escolhida para receber críticas públicas, atenção da mídia e visitas da Polícia Montada (RCMP), da Saúde Pública de Manitoba e do cumprimento da lei local. Deve haver uma expressão de fé permitida que seja considerada essencial, enquanto permitimos a venda de produtos em estabelecimentos que existem apenas para a venda de álcool, café, donuts, cannabis (maconha) e fast food”, comentou.

Carta aberta da 'Igreja de Deus Steinbach' questiona os critérios utilizados para impor restrições às atividades das igrejas no Canadá. (Imagem: Facebook)

Embora seja grato pelo trabalho da polícia de forma geral, o pastor os exortou a resistir à aplicação de "ordens draconianas e inconstitucionais".

Antes do culto de adoração drive-in bloqueado de domingo, o chefe de saúde pública da província de Manitoba, Dr. Brent Roussin, indicou que o governo aplicaria as restrições de saúde pública.

“Se alguém estivesse realizando uma atividade que considerássemos colocar a saúde do público em risco, poderíamos emitir uma ordem de perigo à saúde que exigiria o fechamento de uma organização. Pode haver multas contínuas, pode haver processo sob a Lei de Saúde Pública. Então, essas são apenas as várias opções disponíveis para fazer cumprir as coisas”, disse ele, de acordo com a CBC.

Os frequentadores da igreja foram incentivados a não se envolver em nenhum comportamento abusivo em relação à polícia.

Na sexta-feira, havia 15.632 casos confirmados de COVID-19 em Manitoba, incluindo 266 mortes e 6.487 recuperações.

Hildebrandt disse ao Epoch Times: “Este princípio não é apenas sobre serviços pessoais - este é um ataque indiscriminado à fé e à liberdade da igreja de cumprir seu dever divino”.

Ele também reclamou que as liberdades fundamentais estavam sendo violadas "a uma taxa historicamente alarmante".

 

Fonte: Guiame / com informações Christian Post / Foto: Alberta Press