Anterior

ANTERIOR

Quase 550 igrejas evangélicas foram fechadas em um semestre, na China

22/09/2020

Universo Cristão

Dez de agosto é o Dia da Solidariedade Cristã

Descubra como colocar a solidariedade cristã em prática, além de saber como mudar a realidade de cristãos perseguidos

Fonte: Portas Abertas | 10/08/2020 - 17:00
Dez de agosto é o Dia da Solidariedade Cristã

Solidariedade é um termo muito comum em nossos dias. Ele significa ter sentimento de simpatia ou piedade pelos que sofrem; a manifestação desse sentimento, com o intuito de de confortar ou ajudar; ou ainda a cooperação ou assistência moral que se manifesta ou testemunha a alguém em certas circunstâncias. Esses são conceitos muito presentes também na Bíblia. Então, nesse 10 de agosto, Dia da Solidariedade Cristã, a Portas Abertas convida a refletir em algumas passagens de como colocar a solidariedade em prática de acordo com a palavra de Deus.

Em Mateus 25.35-40, Jesus diz: “’Pois eu tive fome, e vocês me deram de comer; tive sede, e vocês me deram de beber; fui estrangeiro, e vocês me acolheram; necessitei de roupas, e vocês me vestiram; estive enfermo, e vocês cuidaram de mim; estive preso, e vocês me visitaram’. Então os justos lhe responderão: ‘Senhor, quando te vimos com fome e te demos de comer, ou com sede e te demos de beber? Quando te vimos como estrangeiro e te acolhemos, ou necessitado de roupas e te vestimos? Quando te vimos enfermo ou preso e fomos te visitar?’ O Rei responderá: ‘Digo-lhes a verdade: o que vocês fizeram a algum dos meus menores irmãos, a mim o fizeram’”.

Nesse trecho, Jesus explica que ao manifestarmos esse sentimento a qualquer um dos menores irmãos, é como se fizéssemos diretamente a ele. Isso pode ser visto por meio de diferentes tipos de ações, como a doação de alimento, água, roupa, além de estar presente para aqueles que estão em momentos de dificuldade.

O que eu posso fazer para ajudar as pessoas?

Parceiros da Portas Abertas oram com esposa de pastor de Mianmar em seminário para mulheres

Em Romanos 12.13, Paulo declara: “Compartilhem o que vocês têm com os santos em suas necessidades. Pratiquem a hospitalidade”. Isso nos ensina a olharmos para aqueles que estão ao nosso redor com atenção para os auxiliarmos em tempos de necessidade. Outra possibilidade de demonstrar a solidariedade é por meio da hospitalidade, ou seja, receber as pessoas, independente de ser para uma conversa, um momento à mesa ou até mesmo durante um período.

Mas Paulo reforça em Filipenses 2.3 que “Nada façam por ambição egoísta ou por vaidade, mas humildemente considerem os outros superiores a si mesmos”. Isso quer dizer que a motivação da nossa solidariedade não deve estar ligada a nós mesmos, fazendo por vaidade ou desejo de reconhecimento pelo ato, mas sim por entender o mandamento de Jesus e considerar os outros superiores.

Ele ainda completa, no versículo quatro: “Cada um cuide, não somente dos seus interesses, mas também dos interesses dos outros”. Ou seja, nossas ações não devem estar ligadas aos nossos próprios interesses, mas ao que os outros precisam. Isso pode ser um desafio, já que na maioria das vezes somos levados por nosso instinto, que nos coloca sempre como prioridade.

Como ajudar pessoas perseguidas pela religião?

Ajuda é levada por equipe da Portas Abertas a várias áreas afetadas por conflitos na Colômbia

Você pode socorrer cristãos perseguidos em países da Lista Mundial da Perseguição. São cerca de 260 milhões de cristãos que vivem nos 50 países da Lista Mundial da Perseguição e enfrentam diversos desafios por causa da fé. A situação piora drasticamente quando as nações onde vivem enfrentam algum tipo de crise, conflito ou guerra, como no caso da pandemia da COVID-19, ficando assim sob dupla vulnerabilidade.

"No momento, não há muita interação entre as pessoas. Por experiência, sabemos que extremistas hindus podem tentar subornar cristãos pobres para se tornarem hindus. Eles prometem acabar com os problemas financeiros de nossos irmãos. A crise atual torna a igreja indiana mais vulnerável a essas táticas”, explica um parceiro local da Portas Abertas na Índia.

Diante da situação de crise em Bangladesh, um colaborador compartilha: “Cristãos estão morrendo de fome. Alguns são forçados a comer menos para maximizarem o número de dias em que podem continuar a se alimentar”.

Em 2019, por meio das contribuições, a Portas Abertas distribuiu 1.873.503 Bíblias e literatura cristã, ofereceu treinamento bíblico para 3.840.306 pessoas, ajuda socioeconômica para 718.770 pessoas e ações institucionais, como assistência jurídica, presença e pesquisa, para 2.711.820 pessoas. Sua doação permite que cristãos perseguidos, aqueles que mais precisam de ajuda, tenham as necessidades básicas, como alimento, supridas. Coloque sua solidariedade cristã em prática!