Anterior

ANTERIOR

Cristãos mostram marcas de torturas realizadas em prisões comunistas, na China

10/07/2020

Universo Cristão

Ataque de militantes Fulani mata pelo menos 20 cristãos, na Nigéria

A investida dos assassinos aconteceu durante 4 dias em 16 vilas principalmente cristãs no cinturão médio do país africano

Fonte: Guiame/ Com informações do Barnabas Fund - Foto: Reprodução/Barnabas Fund | 28/05/2020 - 13:20
Ataque de militantes Fulani mata pelo menos 20 cristãos, na Nigéria

Pelo menos 20 cristãos foram mortos e vários ficaram feridos em quatro dias de ataques militantes Fulani assassinos em 16 vilas, principalmente cristãs, localizadas no cinturão médio da Nigéria.

Várias pessoas também estão desaparecidas após os ataques que ocorreram de 18 a 21 de maio na área do governo local de Kajuru, no estado de Kaduna.

“Havia ataques diários e destruição de segunda a quinta-feira nos assentamentos remotos de Magunguna, Idazo, Ungwan Galadima, Ungwan Guza, Etissi, Ungwan Ma'aji, Ungwan Dantata, Ungwan. Araha 1 e 2, Ungwan Goshi, Ungwan Shaban, Ungwan Jibo, Ungwan Maijama'a, Ungwan Sako, Ungwan Maidoki, Ungwan Masaba e todos os assentamentos satélites das cidades de Kallah, Libere e Gefe”, disse Awema Maisamari, presidente nacional da Associação de Desenvolvimento Adara.

Maisamari informou que, desde janeiro de 2020, 107 cristãos foram mortos em 63 ataques a comunidades Kajuru. Quarenta e nove pessoas ficaram feridas, pelo menos 66 homens, mulheres e meninas foram sequestradas e 111 casas foram queimadas.

Os ataques destruíram 32 aldeias desde janeiro, deslocando 20.000 pessoas, com os ataques mais severos nas últimas duas semanas, enquanto o bloqueio do Covid-19 continua.

"Assassinatos, mutilações, queimaduras, saques e sequestros continuaram inabaláveis de vila em vila", disse Maisamari. “Nossos membros da comunidade brutalizados, desumanizados, aterrorizados e traumatizados estão sofrendo, sempre se perguntando por que essa anarquia artificial ainda está sendo tolerada pelos poderes existentes”, acrescentou.

Invasões e mortes

Em 12 de maio, pelo menos oito cristãos nigerianos foram mortos quando um grande número de homens armados invadiu três vilarejos na área do governo local de Kajura, menos de 24 horas depois que 17 cristãos foram assassinados em um ataque semelhante na região.

O número de ataques no cinturão médio da Nigéria disparou durante o confinamento do Covid-19, enquanto os extremistas exploravam o fato de que as autoridades desviam recursos de segurança para combater o vírus.

Cristãos da tribo Adara, um dos maiores grupos étnicos do estado de Kaduna, no cinturão do meio da Nigéria, sofreram sequestros, roubos e ataques assassinos principalmente por militantes da maioria muçulmana Hausa-Fulani nos últimos anos.

Ao menos 12.480 Adaras, que são cerca de dois terços dos cristãos e cerca de 7% de muçulmanos, já foram forçados a deixar suas casas por causa da violência antes que esses ataques mais recentes ocorressem.