Próximo

PRÓXIMA

Apesar dos 27 anos de independência, a Eritreia está entre os 20 países mais opressores do mundo

25/05/2020

Universo Cristão

Mais de 40 mil cristãos enfrentaram perseguição severa na Índia em 2019

A perseguição ocorre de formas variadas, seja por isolamento social, interrupção de cultos, agressão, abuso sexual e até morte

Fonte: Portas Abertas | 22/05/2020 - 17:00
Mais de 40 mil cristãos enfrentaram perseguição severa na Índia em 2019

De acordo com relatos de parceiros locais da Portas Abertas, ao menos 43 mil cristãos na Índia experimentaram perseguição severa em 2019. Foram 43.392 cristãos envolvidos em 825 incidentes registrados ao longo do ano, variando entre isolamento social, interrupção de cultos em igreja com possibilidade de agressões, abuso sexual e até mesmo mortes. Esses foram apenas os primeiros incidentes relatados e, portanto, representam apenas a ponta do iceberg quando se trata da perseguição aos cristãos na Índia.

Aproximadamente 66 milhões de cristãos vivem no país e a maioria experimenta algum tipo de perseguição, que na maior parte dos casos é por meio de discriminação, mas pode haver tortura e morte em casos extremos. Sabe-se também que muitos incidentes ocorreram a cristãos que, no momento, não tinham contato com parceiros locais da Portas Abertas, já que grande parte vive de maneira isolada. Níveis menores de discriminação e abuso geralmente seguem sem relatos por serem uma parte considerada normal da vida.

Em 2019, houve relatos de 1.670 cristãos no país atacados fisicamente por causa da fé, inclusive 439 crianças. Dos oito cristãos mortos, um era uma mulher que foi morta pelo cunhado. Outra vítima foi um homem que voltava da igreja quando foi derrubado de sua moto e morto por um grupo pago por extremistas hindus. A esposa e o filho dele também estavam na moto e foram hospitalizados por causa do incidente.

Perseguição que vai além da violência física

Enquanto incidentes de violência são os mais chocantes, perseguição de formas não físicas podem ser igualmente difíceis. Um relatório cita uma viúva que teve trabalho negado por causa da fé, o que dificultou muito os cuidados com os cinco filhos. A Portas Abertas recebeu relatos de 1.133 cristãos sendo marginalizados por suas comunidades em 2019.

Já o ataque a igrejas parece ser uma das formas mais abrangentes de pressão e intimidação enfrentada pelos cristãos. Os relatos registraram 181 cultos interrompidos e 49 propriedades religiosas vandalizadas. Estima-se que os incidentes afetaram mais de 8,6 mil cristãos, já que o número de pessoas nos cultos nem sempre é conhecido, principalmente nos grupos pequenos.

Em alguns casos, igrejas foram incendiadas por extremistas, deixando os cristãos sem lugar para se reunir. Em diversos cultos interrompidos, cristãos foram ameaçados com violência caso continuassem a se encontrar ou agredidos apenas por estarem juntos. Isso gera nos cristãos um sentimento de que devem parar de se reunir por razões de segurança ou passam a se encontrar em segredo.