Anterior

ANTERIOR

Cristãos são presos durante demolição de igreja no Egito

29/05/2020

Universo Cristão

Cristão fica em coma após ser espancado por 60 pessoas, na Índia

Kama Sodi foi atacado por uma multidão animista, adoradores dos deuses de uma religião tribal, e é levado inconsciente ao hospital

Fonte: Guia-me / com informações Morning Star News / Foto: Reprodução / Morning Star News | 08/04/2020 - 16:50
Cristão fica em coma após ser espancado por 60 pessoas, na Índia

Uma jovem mãe e seus dois filhos encaravam o marido enquanto ele permanecia inconsciente depois que uma multidão de 60 moradores do leste da Índia invadiu sua casa e o espancou com varas de madeira.

"As crianças e eu tentamos acordá-lo, pensávamos que ele havia desmaiado, mas não houve resposta", disse Bhimeshwari Sodi ao Morning Star News. “Gritamos por ajuda, mas não havia ninguém para nos ajudar. Os vizinhos disseram que ele estava morto”.

A multidão animista, adoradores dos deuses de sua religião tribal, bateu em Kama Sodi, 30 anos, que ficou inconsciente. O caso aconteceu na vila de Kodalmetla, no estado de Odisha, distrito de Malkangiri, na manhã de 12 de março.

“Eles o atacaram pela primeira vez na noite anterior, cercando sua casa enquanto ele, sua esposa e filhos estavam orando como fazem antes de dormir”, disse Bhimeshwari Sodi.

Ela contou ainda que, antes do ataque naquela noite, os animistas da linha dura gritaram com a família que os matariam.

"Consegui proteger meus dois filhos pequenos do espancamento, mas meu marido estava preso", disse Sodi, 26 anos. "Eles estavam o espancando com muita brutalidade."

Negar a fé

Seus filhos têm entre 3 e 6 anos de idade. Sodi pediu aos agressores que parassem e enquanto gritava por ajuda, mas eles continuaram espancando o homem, prometendo que o matariam.

"Mesmo sofrendo nas mãos deles, meu marido se recusou a desistir de sua fé", disse a mulher ao Morning Star News. “Eles declararam que lhe dariam uma chance de vida se ele declarasse que havia renunciado a Cristo. Mas meu marido recusou a oferta e optou por sofrer”, contou ela.

Durante o segundo ataque na manhã de 12 de março, Bhimeshwari gritou com os agressores que seu marido morreria se eles não parassem de bater nele.

"Mais uma vez, eles o espancaram muito ", disse a mulher. "Eles continuaram até ter certeza de que ele estava desmaiado no chão e havia parado de responder", disse.

Sem nada

Após os agressores jogarem fora os grãos de comida e os pertences da família, pediram que deixassem a vila.

Os líderes cristãos chegaram para se encontrar Sodi ainda inconsciente, disse o pastor da área, Timuthiyus Elijah, ao Morning Star News.

"As crianças e sua esposa sentaram-se em volta dele chorando", conta o pastor Elijah.

Pastores dos Ministérios Tribais de Bethesda Jesus Cristo, de Erbanpally, providenciaram para que Kama Sodi fosse levado ao Hospital do Governo de Malkangiri.

Os médicos disseram a Bhimeshwari Sodi que seu marido havia sofrido graves golpes na cabeça e entrara em coma, e que eles não tinham certeza de quando ele recuperaria a consciência.

"Pela graça de Deus, ele recuperou a consciência depois de quase um dia e meio", disse ela ao Morning Star News. "Mas os médicos insistiram que ele deveria ser hospitalizado por pelo menos uma semana."

Os médicos disseram que Bhimeshwari tinha coágulos sanguíneos no cérebro, precisaria de cuidados extras em casa e não deveria voltar ao trabalho até que ele se recuperasse completamente, disse ela. Sodi disse que gastou suas últimas 2.000 rúpias (US$ 26) em remédios e comida suficiente para alimentar as crianças durante a semana que passaram no hospital.

Pandemia

Ela espera trabalhar horas extras nos campos de outras pessoas para sustentar a família enquanto seu marido se recupera, mas logo após sua libertação do hospital, o governo anunciou um bloqueio em 22 de março para conter o novo coronavírus, disse ela.

"Quando chegamos em casa, a maioria de nossos pertences que os agressores jogaram fora de nossa casa estava desaparecida", disse a mulher. "A lama havia encoberto os grãos de comida que jogaram fora".

A pequena parcela de terra rende de 20 a 30 sacas de grãos de comida, e o que eles não conseguem vender armazenam como alimento pelo restante do ano, contou ela. “Agora esses grãos se foram”, lamenta.

"Ninguém quer nos oferecer trabalho, e estamos felizes com o que Deus nos fornece", disse Bhimeshwari. "Estou lavando a lama dos poucos grãos que consegui reunir do chão e os cozendo para as crianças. Meu marido e eu estamos tendo o que sobra uma vez por dia. O resto do tempo, nós preferimos morrer de fome. Se as crianças comem e dormem, ficamos satisfeitos com isso.”

Dificuldade com vizinhos

As mulheres da aldeia tentam impedi-la de tirar água do poço comum à vila.

"Elas jogam meus vasos de lado e enchem os delas primeiro", disse Bhimeshwari. “No entanto, eu fico lá pacientemente até que todas elas puxem água. As mulheres olham para mim, cospem e viram o rosto para o lado quando eu passo. Elas nos odeiam”.

Um representante do grupo de defesa legal Alliance Defending Freedom India instou altos oficiais da polícia a investigar os ataques de forma imparcial.

Segregados

Embora segregada social e economicamente, a família permanece em sua casa na vila ancestral.

“Meu marido e eu fechamos as portas e oramos em silêncio; não temos medo do amanhã”, disse Bhimeshwari. “Somos banidos socialmente desta vila e fomos tratados como intocáveis. Eles não nos permitem nem andar na estrada e acreditam que, se andarmos nela, isso será contaminado. Mas nosso Senhor está conosco. Estamos buscando conforto ao passar um tempo com o Senhor Jesus.”

Antes de vir a Cristo, Bhimeshwari deu à luz três filhos que morreram na infância.

"Os parentes nos disseram que os deuses estavam com raiva de mim e de meu marido e que eu havia sido amaldiçoado", disse. Depois de um tempo, meu marido também ficou doente e estava de cama. Os chefes religiosos tribais nos disseram que ele não sobreviveria. Mas o Senhor o salvou”.

Kama Sodi ouviu o Evangelho de um pastor da área e imediatamente colocou sua fé em Cristo.

"Ele começou a compartilhar comigo também sobre Jesus Cristo, e eu também acreditei nele", disse Bhimeshwari ao Morning Star News. “Oramos para que Deus nos abençoe e tire nossa vergonha. Deus nos abençoou com dois filhos adoráveis.”

Evangelizando parentes

O pastor Elijah disse que Kama Sodi estava compartilhando sobre Cristo com outros parentes, e três famílias se tornaram cristãs, perturbando os moradores.

"Eles se opuseram a nós por realizar o culto na vila de Kodelmetla, e ainda hoje a vila não tem igreja", disse o pastor. "As três famílias cristãs viajam cerca de 15 quilômetros até a igreja em Erbanpally."

Bhimeshwari Sodi disse que, assim como os moradores tiveram palavras desanimadoras para ela no passado, também disseram que ela havia perdido o marido quando ele ficou inconsciente.

"Mas eu confiei no Senhor Jesus", disse ela. "Não tenho dinheiro nem comida para alimentar meus filhos, mas tenho Jesus, e Ele providenciará para nós."

A Índia está classificada em 10º lugar na lista de observação mundial da organização de apoio cristão Portas Abertas para 2020 dos países onde é mais difícil ser cristão. O país era o 31º em 2013, mas sua posição piorou desde que Narendra Modi, do Partido Bharatiya Janata, chegou ao poder em 2014.