CPADNews

Boko Haram intensifica campanhas no extremo norte de Camarões

O resultado dos ataques a diversas vilas na região são pessoas mortas, crianças sequestradas e casas saqueadas e destruídas

O resultado dos ataques a diversas vilas na região são pessoas mortas, crianças sequestradas e casas saqueadas e destruídas
Boko Haram intensifica campanhas no extremo norte de Camarões

Se você está procurando um motivo pelo qual Camarões entrou na Lista Mundial da Perseguição 2020 dos 50 países onde é mais difícil viver como cristão, olhe para o extremo Norte do país. É nessa região onde o grupo islâmico Boko Haram tem intensificado suas campanhas violentas. Segundo uma fonte local disse à Portas Abertas, no dia 6 de janeiro, militantes do grupo atacaram três vilas próximas a Tourou, perto da fronteira com a Nigéria.

Na invasão à Hitawa, Hitere e Moudouko, que durou das 22h às 5h, os responsáveis pelo ataque mataram três cristãos, sequestraram ao menos três crianças cristãs e saquearam mais de 200 casas, levando comidas e roupas. Ao saírem, os militantes também mataram um homem em Guitsenad, que foi identificado como seguidor de religiões tradicionais africanas.

Os cristãos mortos no ataque à Moudouko foram identificados como Kidkaye Antoine, de 21 anos, Medge Guidkaye, de 62 anos, pai de 14 filhos, e Shele Ndouvagui, de 50 anos, que deixou sete filhos. Em Hitere, Wabayé Viché, de 40 anos, e Teweshé Ezechiel, pai de doze filhos, foram mortos. Um de seus filhos, Hawadak Teweshé, foi sequestrado junto com outros dois garotos, Warda Josue, de Moudouko, e Feuleongwi Yadak, de Hitere.

Os militantes voltaram à região nos dias 7 e 8 de janeiro e, dessa vez, atacaram as vilas de Nguedjele e Gochime, saqueando mais comida e roupas. O ataque forçou pessoas de Hitawa, que tinham buscado refúgio em Gochime, a fugirem novamente. Ao menos uma pessoa foi morta em Ngudjele, mas ainda não foi identificada.

Os ataques se deram após a visita de uma equipe da Portas Abertas à região em novembro, para dar apoio a comunidades afetadas com ajuda emergencial. Vítimas dos ataques contínuos do Boko Haram disseram ao grupo de direitos humanos, Anistia Internacional, que se sentiam abandonados e sem proteção alguma oferecida pelo governo. De acordo com a Anistia, entre janeiro e novembro de 2019, uma média de 25 pessoas foram mortas por mês nas mãos do Boko Haram no extremo norte de Camarões.

Preparação para a África Subsaariana

Os cristãos de muitos países da África Subsaariana, como Camarões, enfrentam grande perseguição de muçulmanos radicais e extremistas. Além disso, precisam conviver com outras situações de sua realidade, como guerras, fome e seca. Sendo assim, os cristãos precisam de preparo para manter a fé firmada em Cristo. Com uma doação, você permite que quatro cristãos da África Subsaariana recebam material de treinamento e capacitação.