CPADNews

Igreja evangélica é incendiada por feministas radicais na Alemanha

Um grupo feminista radical reivindicou o ataque. O incêndio causou danos de 40 mil euros, mas o pastor diz que a igreja ora pela coexistência pacífica em Tübingen

Um grupo feminista radical reivindicou o ataque. O incêndio causou danos de 40 mil euros, mas o pastor diz que a igreja ora pela coexistência pacífica em Tübingen
Igreja evangélica é incendiada por feministas radicais na Alemanha

Uma igreja evangélica em Tübingen, no sudoeste da Alemanha, foi alvo de um incêndio criminoso na noite de 27 de dezembro. A ação foi reivindicada por um grupo de feministas radicais do país, segundo o site Evangelical Focus.

A entrada da igreja TOS Ministries foi vandalizada com tinta roxa e um veículo pertencente à igreja, que estava no estacionamento, também foi incendiado. Não houve feridos.

A ação foi reivindicada em um fórum radical de esquerda na internet por um grupo que se define como uma “célula feminista autônoma”, informa a publicação.

O grupo disse que “usou tempos de silêncio” para atacar uma igreja que eles consideram “um ator anti-feminista supra-regional”.

A polícia abriu uma investigação criminal. As autoridades disseram que o dano causado foi de cerca de 40 mil euros.   


Um veículo pertencente à igreja, que estava no estacionamento, também foi incendiado. (Foto: TOS Ministries)

“Estamos chocados com este ataque, mas infelizmente não estamos surpresos com o clima cada vez mais hostil contra os cristãos evangélicos”, disse o pastor Guido Kasch, em comunicado publicado online.   
“Nos últimos meses, vimos ameaças agressivas contra a igreja TOS em Tübingen, especialmente do cenário da esquerda”, acrescentou. 

Não deixaremos que isso nos impeça de continuar proclamando a mensagem de reconciliação do Evangelho por meio de nossos cultos semanais na igreja, nossas refeições para pessoas carentes em Kronenstraße, ou mesmo nossos cultos de fim de semana na igreja, aos quais todos são bem-vindos”, disse Kasch.

“Ao mesmo tempo, esperamos e oramos para que uma coexistência pacífica e um discurso não violento de opiniões e visões de mundo sejam novamente possíveis em Tübingen”, finalizou o pastor.