Anterior

ANTERIOR

Igrejas na China suspendem cultos devido a coronavírus

27/01/2020

Universo Cristão

Garoto rebelde tem encontro com Cristo na Malásia

Filho de pastor conta como as mudanças foram acontecendo no coração e na mente dele

Fonte: Portas Abertas | 25/11/2019 - 17:00
Garoto rebelde tem encontro com Cristo na Malásia

Trabalhar com o improvável é uma das especialidades de Deus, e o pastor Lukas* é testemunho vivo disso. Desde a infância, sentia-se pressionado por ser filho de um pastor cristão em Sarawak, leste da Malásia. No início da infância, ele conta que era inteligente, mas fez amigos que não se importavam com a educação. "Eu não queria estudar. Então, meus amigos e eu íamos jogar sinuca, andar de moto, faltar à escola, etc. Também costumava causar muitos problemas em todos os lugares que eu ia, sempre estava brigando e bebendo”, explica.

O desgosto dos pais era grande, até que um dia o pai de Lukas citou o garoto durante um sermão, como uma pessoa rebelde e sem esperança. Mesmo cansados do adolescente, eles mandavam o filho para o acampamento da igreja, sempre com a esperança de que ele tivesse um encontro com Cristo. Ao invés disso, o jovem aproveitava as ocasiões para conhecer as garotas. Porém, um dia, os amigos de Lukas começaram a ter experiências profundas com o Espírito Santo e os líderes começaram a chamar um a um para orar. Quando chegou a vez dele, nada aconteceu. Então pensou: "Talvez eu seja tão ruim que Deus não queira falar comigo, ou não seja aceito".

Entretanto o sentimento de rejeição não afastou o menino dos acampamentos. E as mudanças foram graduais, até que ele começou a fazer parte da liderança da igreja e dos jovens do distrito. Fez também um curso de introdução à Teologia. Nesses treinamentos, o caráter de Deus começou a ser conhecido pelo jovem, e assim começou uma aproximação real, em que foi estimulado a abrir o coração a Deus e pedir aquilo que desejava. “Fiquei confuso porque, antes disso, nunca havia pedido nada a Deus - talvez isso tenha sido minha culpa. Então eu comecei naquele dia. Eu não sabia se acreditava ou não. Eu só queria tentar”, diz ele.

*Nome alterado por segurança.