Anterior

ANTERIOR

Cristãos no Egito enfrentam perseguição em todas as esferas da sociedade

16/08/2019

Universo Cristão

Igrejas doam sangue, aconselham e oram com pessoas afetadas pelo tiroteio em El Paso

Comunidades cristãs estão se mobilizando para dar apoio à comunidade abalada pelo tiroteio em massa do final de semana passado

Fonte: Guia-me / com informações Christian Post / Foto: ABC News | 09/08/2019 - 11:30
Igrejas doam sangue, aconselham e oram com pessoas afetadas pelo tiroteio em El Paso

Igrejas na região de El Paso, Texas, estão oferecendo orações, aconselhamento e doando sangue para ajudar as vítimas do recente tiroteio em massa, que até agora resultou em 22 mortes.

No fim de semana, um atirador entrou em uma loja da rede Walmart em El Paso e abriu fogo, matando 20 pessoas e ferindo várias outras em um incidente que se acredita ser inspirado pelo nacionalismo branco e racismo. Mais duas pessoas acabaram morrendo no hospital, por não resistir aos ferimentos na segunda-feira, elevando o total para 22 mortes.

A polícia afirmou que o suspeito postou um manifesto on-line antes do tiroteio, que alertou sobre um ataque em resposta ao que chamou de "a invasão hispânica do Texas".

Patrick Crusius, de 21 anos, é o principal suspeito e até agora foi acusado de assassinato capital, enquanto a investigação continua, de acordo com um relatório da Reuters publicado na terça-feira.

No mesmo fim de semana, nove pessoas foram mortas e 27 ficaram feridas em Dayton, Ohio, quando Connor Betts, de 24 anos, abriu fogo. Betts foi morto pela polícia menos de um minuto depois de começar a atirar.

Embora os posts nas mídias sociais de Betts expressou visões liberais tenham se tornado amplamente conhecidos, a polícia ainda não determinou um motivo específico para o tiroteio em massa, mas alguns notaram que ele tinha uma obsessão por violência.

O 'Christian Post' entrevistou pastores locais de El Paso para se informar sobre o que suas igrejas estão fazendo em resposta ao tiroteio, quais laços eles tinham com as vítimas e o que eles acreditavam que as igrejas em todo o país precisavam fazer em resposta ao aparente aumento nos tiroteios em massa.

"O amor vai ligar e nos unir"

J.C. Rico, pastor líder da Immanuel Church El Paso, disse ao Christian Post que sua congregação está fornecendo conselheiros licenciados para qualquer pessoa afetada pela tragédia que precise deles.

"Será um processo de longo prazo, em que teremos conselheiros licenciados cristãos recebendo os que foram impactados por essa violência sem sentido. Há alguns que não foram feridos, mas estavam no local e pediram aconselhamento", disse Rico.

Um exemplo citado por Rico era um jovem que precisava de aconselhamento, enquanto trabalhava no Walmart e encorajou algumas pessoas a comparecerem a um evento no dia do tiroteio.

"Ele agora se sente responsável por enviar o time de futebol feminino 'The Fusion' ao Walmart para uma campanha de arrecadação de fundos. Os dois treinadores do sexo masculino foram baleados e ainda estão no hospital. Ele também precisa de aconselhamento ”, continuou Rico.

Rico também observou que um dos membros de sua igreja tinha um cunhado entre os mortos, acrescentando que a igreja “continuará a ministrar a eles pessoalmente”.

Rico acha que as igrejas precisam “se unir” apesar de terem seu próprio “modo de fazer igreja” para “compartilhar o evangelho de Cristo”.

“O amor nos ligará e nos unirá. Não há amor maior do que aquele que nosso Pai Celestial nos dá ”, acrescentou Rico. "Essa tragédia foi sobre ódio, racismo, ignorância e medo de um jovem".

“Eu oro para que nós, como igrejas, alcancemos pessoas como este jovem, para que possam ver e receber a graça e o amor de Deus. Então poderemos ver uma mudança em nossa sociedade e impedir esses tiroteios em massa. ”

Ore contra este espírito de ódio e racismo

Daniel Sattelmeier, pastor sênior da Crosspoint Church em El Paso, contou ao Christian Post que um membro de sua congregação tinha um amigo entre as vítimas feridas do tiroteio em massa.

De acordo com Sattelmeier, o amigo empurrou sua mãe para fora do caminho do atirador e foi baleado duas vezes como resultado de suas ações. O amigo passou por duas cirurgias e ainda estava em estado crítico na terça-feira à tarde.

Sattelmeier também disse ao site que a Crosspoint tinha muitos socorristas entre seus membros e que eles estavam pessoalmente envolvidos em responder ao tiroteio em massa.

“Alguns de nossos primeiros socorristas tiveram que entrar no Walmart e ouvir os celulares dos falecidos tocando”, segundo Sattelmeier.

"Esta pessoa que obviamente está morta e… sua família está desesperadamente tentando ligar para ele e contatá-lo", observou ele, descrevendo as experiências dos socorristas como "angustiantes".

Sattelmeier, que falou com o ‘Christian Post’ logo depois de doar sangue, disse que sua igreja estava fazendo "uma série de coisas" para ajudar as pessoas afetadas pelo tiroteio, incluindo uma vigília de oração realizada no início da semana e planos para montar uma clínica de doadores de sangue no próximo domingo.

Sattelmeier sentiu que havia duas coisas cruciais que as igrejas poderiam fazer para conter os tiroteios em massa. Uma seria encorajar a construção de “famílias fortes”.

“Muitos desses jovens ficaram em famílias destruídas”, explicou Sattelmeier, “e há muitas coisas que ocorreram no passado que poderiam ter sido evitadas se tivessem saído de uma unidade familiar mais forte”.

Outra coisa importante para a igreja seria “orar contra esse espírito de ódio e racismo e desunião e raiva”, segundo Sattelmeier.

“Há muita raiva agora no nosso país. Isso é algo que realmente podemos orar contra, o que fizemos no domingo, mas vamos continuar a fazer isso ”, acrescentou.

“Precisamos, de alguma forma, comunicar que o Evangelho é, na verdade, em última análise, de graça e perdão, não importa quem é que está em nosso caminho no momento e no que eles acreditam ou o que estão passando ou o que estão soltando, nós ainda Precisamos alcançar e ensinar nosso povo a expressar amor e tolerância”, destacou.