Anterior

ANTERIOR

Cristãos no Egito enfrentam perseguição em todas as esferas da sociedade

16/08/2019

Universo Cristão

Polícia interrompe culto e fecha igreja evangélica, na Argélia

Pastor recebeu ultimato de três dias para remover todos os pertences do prédio, antes de ser lacrado pela polícia de Boudjima

Fonte: Guia-me / com informações do Morning Star News | 09/08/2019 - 09:35
Polícia interrompe culto e fecha igreja evangélica, na Argélia

Interrompendo um culto de adoração na terça-feira (06), a polícia fechou uma igreja evangélica no centro-norte da Argélia, menos de três meses depois de trancar outro local na mesma área.

"Estou profundamente triste com tanta injustiça - isso me parte o coração", disse o pastor Messaoud Takilt ao Morning Star News.

“Isso não é surpreendente, uma vez que outros lugares cristãos de culto foram fechados como aconteceu hoje aqui. Mas, de qualquer forma, continuaremos a celebrar nossos serviços do lado de fora, enquanto o Senhor nos dá graça para uma solução final”, declarou o pastor.

Os policiais apareceram no sábado (03) durante o culto da igreja na vila de Lekhmis, Boudjima, a cerca de 20 quilômetros ao nordeste de Tizi-Ouzou, na região de Kabylie.

Eles deixaram um ultimato de três dias para o pastor Takilt remover todo o conteúdo do prédio e uma intimação para informar a brigada.

Na terça-feira, os policiais voltaram ao meio-dia para fechar o prédio enquanto a igreja adorava, disse o pastor Takilt. Eles o chamaram para fora, porque a congregação não queria sair do prédio. Os policiais mostraram-lhe as ordens e pediram-lhe que cooperasse.

"Estamos aqui para executar uma ordem e vamos executar o que quer que seja", respondeu o oficial, segundo o pastor Takilt.

Ele acrescentou que o oficial o levou de lado e disse: “Messaoud, entenda que se houver oposição, é você, como o responsável, quem terá problemas. Por favor, note que o arquivo e o pedido estão endereçados ao seu nome.”

O pastor e dois representantes do grupo guarda-chuva da Igreja Protestante da Argélia (EPA) dirigiram-se à congregação para persuadi-los a deixar a justiça seguir seu curso e não resistir às autoridades, disse ele.

“A assembleia finalmente cedeu e concordou em deixar as instalações, mas com muita dor”, disse o pastor Takilt ao Morning Star News. "Alguns saíram com os olhos cheios de lágrimas."

Culto na chuva ou no sol

Depois de esvaziar as instalações de todos os móveis e outros itens, os dois policiais se apressaram em lacrar cada porta, incluindo um banheiro ao ar livre, contou o pastor.

Antes de o oficial sair, o pastor Takilt disse às autoridades: "Saiba que continuaremos a celebrar nossa adoração do lado de fora, seja sob o sol ou na chuva".

Depois de uma determinação do Departamento Administrativo da Administração Geral (DRAG), a igreja foi selada sob uma ordem do chefe provincial de Tizi-Ouzou, citando uma lei de 2006, comumente referida como Lei 03/06, que requer autorização para locais de adoração e culto não-muçulmanos.

O pastor Takilt disse que sua igreja pedirá permissão sob a Lei 03/06, que estipula que as igrejas devem obter permissão de um comitê nacional para ser registrado, mas o comitê ainda não considerou oficialmente tais pedidos, disseram as fontes.

Sob a mesma lei, as autoridades em 22 de maio fecharam outro prédio da igreja e sua escola bíblica em Boudjima. A igreja pediu permissão sob a Lei 03/06 e não recebeu resposta.

A igreja de Pastor Talkit na aldeia de Lekhmis começou em 2003. A igreja de mais de 100 pessoas é afiliada à EPA desde 2006.

Enquanto três igrejas na província de Oran fechadas pelo chefe provincial em novembro de 2017 e fevereiro de 2018 foram reabertas, outras que as autoridades fecharam no ano passado em Akbou, na região de Kabylie, permanecem fechadas.

Em 30 de dezembro, as autoridades ordenaram o fechamento de uma igreja evangélica na vila de Ait-Jimaa, a 45 quilômetros de Tizi-Ouzou.

A EPA tem 45 igrejas afiliadas em todo o país, com quase 50.000 cristãos. Desde novembro de 2017, “comitês de segurança de edifícios” visitaram a maioria das igrejas afiliadas à EPA e perguntaram sobre as licenças exigidas pela lei de 2006 que regulam o culto não-muçulmano, de acordo com o grupo de defesa Middle East Concern (MEC).

Várias igrejas desde então receberam ordens escritas para cessar todas as atividades, e as autoridades fecharam um número delas para operar sem uma licença.

O Islã é a religião do estado na Argélia, onde 99% da população de 40 milhões são muçulmanos. Desde 2000, milhares de muçulmanos argelinos depositaram sua fé em Cristo. Autoridades argelinas estimam o número de cristãos em 50 mil, mas outros dizem que pode ser o dobro desse número.

A Argélia está em 22º lugar na Lista Mundial da Perseguição organização de apoio cristão Portas Abertas dos países onde é mais difícil ser cristão, acima do 42º lugar do ano anterior.