Anterior

ANTERIOR

Mãe diz que filha de 2 anos teve só um arranhão após carro despencar: `Deus cuidou!´

16/07/2019

Universo Cristão

Autoridades chinesas fecham centros de assistência social e de apoio estabelecidos por igrejas

Lideranças são forçadas a prometer que nenhuma atividade religiosa será realizada nos centros

Redação CPAD NEWS / com informações do Bitter Winter | 07/05/2019 - 14:00
Autoridades chinesas fecham centros de assistência social e de apoio estabelecidos por igrejas

Na China, até as casas de repouso e orfanatos criadas por igrejas e organizações religiosas são perseguidas e, eventualmente, fechadas. Autoridades de todo o país estão citando o novo Regulamento sobre Assuntos Religiosos, que proíbe organizações ou indivíduos de usar atividades de caridade para a evangelização.

Um cristão da província de Guangdong, sul da China, contou ao Bitter Winter sobre a repressão a um centro para dependentes químicos estabelecido por uma igreja doméstica Sola Fide e por seu filho em 2013. Desde que o jovem abandonou as drogas por acreditar em Deus, e na esperança de ajudar os outros com problemas de dependência, a família decidiu estabelecer o centro em sua casa, com a ajuda da igreja.

A supressão começou no quarto ano das atividades do centro. Em junho de 2017, 18 funcionários de departamentos que lidavam com questões religiosas e de segurança pública invadiram o centro, alegando que estava envolvido em atividades religiosas.

Os cristãos que estavam ajudando no centro tentaram explicar aos oficiais que com cada igreja, menos prisões são necessárias, mas  não adiantou e derrubaram a cruz e outros símbolos religiosos dentro do centro.

Os oficiais forçaram a liderança da igreja a escrever uma declaração de garantia, prometendo que nenhuma reunião ou atividade religiosa seria realizada no centro no futuro, e fizeram ameaças. "Se descobrirmos que vocês estão fazendo isso, uma multa de 5.000 RMB [cerca de US $ 750] será imposta a cada pessoa", ameaçaram os oficiais.

Após o ataque, o líder da igreja foi a vários departamentos do governo para solicitar uma permissão do centro de reabilitação de drogas, mas foi rejeitada em todos.

“O centro construiu a confiança e a determinação das pessoas através das palavras e do amor do Senhor Jesus, para ajudá-las a superar seu vício em drogas. Esse método não atende aos requisitos do governo, por isso é muito difícil obter uma aprovação de permissão ”,  afirmou um membro da igreja.

A polícia continuou a visitar o centro com frequência, certificando-se de que as pessoas com problemas de dependência não estavam realizando reuniões. "O governo não tolera seu método para superar o vício em drogas!", repreendeu um policial durante uma inspeção em agosto de 2018.

Apesar do assédio por parte das autoridades, o líder da igreja ainda espera ajudar mais pessoas com vício a voltar para suas famílias e reintegrar-se à sociedade.

De acordo com um relatório da organização americana de direitos humanos China Aid, em novembro de 2016, a Igreja Evangélica para o Tratamento de Drogas, localizada no condado de Guangning, Guangdong, sob a jurisdição da cidade de Zhaoqing, foi fechada. O marido e a mulher de Hong Kong, responsáveis pela instituição, foram acusados de “espionagem” e deportados. Eles foram proibidos de retornar à China