Anterior

ANTERIOR

Locutor Gustavo de Moraes recebe alta

20/05/2019

Universo Cristão

No contexto islâmico, seguir a Jesus pode custar a vida

Cristão ex-muçulmano da Índia foi morto pelo próprio irmão

Fonte: Portas Abertas | 06/05/2019 - 09:05
No contexto islâmico, seguir a Jesus pode custar a vida

Neste domingo (6), iniciou o Ramadã, o mês de jejum islâmico, seguido pelos muçulmanos em todo o mundo. É um período chave de oração para que Deus se revele aos muçulmanos conforme eles buscam agradar a Deus através de um ritual. É um momento de suma importância para intercedermos pelos cristãos perseguidos também, pois muitos deles vivem em contexto de maioria islâmica. Com isso, eles ficam mais vulneráveis à pressão e ataques, por não observarem o mês de Ramadã. Hoje você vai conhecer a história de uma cristã indiana que se converteu do islamismo a Cristo.

Areefa* tem quase 40 anos e seu marido foi morto pelo próprio irmão por crer em Jesus. Areefa, no entanto, continuou firme na fé. A Portas Abertas visitou essa irmã, orou com ela e lhe deu uma máquina de costura nova, para que ela tenha como sustentar os dois filhos. Eles estavam indo para a escola quando os colaboradores da Portas Abertas visitaram a família. O filho de 13 anos se chama Sameer*, e tinha uma prova de matemática naquele dia, mas disse que era fácil, pois ele estava preparado.

“O que você quer ser quando crescer?” é uma pergunta muito importante na Índia, pois todos os filhos são incentivados pelos pais a estudar bastante para conseguir um bom emprego, com bom salário – um salário melhor que o dos pais que, na maioria dos casos, passam dificuldades financeiras. A educação parece ser sua única esperança de um futuro melhor para os filhos. A essa pergunta, Sameer respondeu: “Quero ser engenheiro e dar uma vida melhor para minha mãe. Ela trabalha muito”.

Depois que Sameer e a irmã foram para a escola, Areefa contou o que aconteceu quando ela e o marido, cristãos ex-muçulmanos, começaram a crescer na fé. “Deus abençoou nossos ganhos, meu marido parou de beber e nós dois trabalhávamos muito. E nos tornamos melhores de vida do que todos nossos parentes. Então, todos eles ficaram com inveja de nós e começaram a pedir que deixássemos a igreja e as orações. Eles diziam que isso era contra nossa tradição e cultura”, conta a cristã.

Na época, o irmão do marido de Areefa estava desempregado e morando com eles; ele era viciado em álcool. Ele se opunha à fé deles e começava brigas por pequenas coisas. “Uma noite ele começou a me xingar sem razão. Meu marido tinha acabado de chegar do trabalho. Quando ele tomou a frente para me defender e repreender o irmão, em um ataque de raiva meu cunhado o esfaqueou no peito”.

Nesse ponto, Areefa chorou incontrolavelmente enquanto continuou: “Pensávamos que fosse um corte pequeno, mas ele perdeu muito sangue e, em pouco tempo, deu seu último suspiro. Nós o levamos para o hospital, mas já o tínhamos perdido”. O incidente aconteceu há dez anos, mas era visível nos olhos de Areefa que a memória e a dor ainda estavam vivas para ela. (Essa história continua).

Pedidos de oração

-    Ore pelo contínuo cuidado, consolo e provisão de Deus sobre Areefa e seus filhos e para que permaneçam firmes na fé em Jesus.

-    Interceda pelos cristãos perseguidos da Índia no geral, que enfrentam tantas perdas por causa da fé em Cristo.

-    Clame para que durante este mês de Ramadã muitos muçulmanos, na Índia e em todo o mundo, tenham um encontro com Jesus e sejam salvos.

*Nomes alterados por segurança.