Anterior

ANTERIOR

Missionário da escola de Rolland e Heidi Baker descreve visão que teve do céu

22/08/2019

Universo Cristão

Treinamento pós-trauma para cristãos que foram presos no Irã

No Irã, muitos cristãos são aprisionados por causa da fé e, depois de soltos, precisam aprender a lidar com seus traumas

Fonte: Portas Abertas | 17/04/2019 - 12:40
Treinamento pós-trauma para cristãos que foram presos no Irã

A cada ano, dezenas de cristãos iranianos são presos por sua fé. Muitos precisam lidar com traumas após serem soltos. Por isso, a Portas Abertas organiza um treinamento pós-trauma para aqueles que hoje moram em outro país. E a conselheira do projeto, Tina (pseudônimo), falou um pouco sobre seu trabalho.

Você pode descrever como é o treinamento pós-trauma?
Participar dos grupos é sempre opcional. Eles estiveram na prisão e agora são refugiados, e nada disso aconteceu por suas próprias escolhas. Até agora, nunca vi ninguém rejeitar esse convite. Deus prepara os corações com a ajuda das orações e apoio oferecidos pela equipe organizadora e parceiros da Portas Abertas. Falamos sobre como confiar uns nos outros e porque precisamos disso. Além disso, abordamos gerenciamento de estresse, cuidado com o corpo e a mente, autocompaixão, resiliência, controle de emoções, limites e vergonha.

Como criar um espaço seguro para as pessoas se abrirem sobre traumas?
Para lidar com um trauma, a primeira coisa é criar um ambiente seguro e de apoio. Compartilhar sobre um trauma nem sempre ajuda a aliviar sintomas e, às vezes, pode ser prejudicial. O trabalho em grupo é por um tempo limitado e devemos ser muitos cuidadosos para não os traumatizar ainda mais. Porém, muitas pessoas compartilham naturalmente por se sentirem seguras no grupo e isso os ajuda no processo. Quanto mais compartilham, mais veem que não são os únicos que passaram por isso.

Por que a Portas Abertas organiza esse treinamento?
A perseguição muda a pessoa. Não há como ser quem era, é um novo começo. Eu ouvi muitos ex-prisioneiros dizendo que a vida como refugiado é muito difícil, é como uma prisão sem grades em que se sentem encurralados. Ajudá-los é ajudar os cristãos e a Igreja Perseguida.

Você pode compartilhar sobre o impacto desse treinamento?
Eles se sentem isolados, sozinhos, irados, amargurados, fracos, com saudades de casa e sem esperança. Quando veem que não estão sozinhos, mas que outros enfrentam problemas parecidos, isso traz normalidade à situação. Eles falam, compartilham e aprendem uns com os outros e, acima de tudo, se sentem conectados. Eles criam novas memórias, têm algo para dar e receber.

Escreva para quatro cristãos iranianos

Assim como Tina ajuda cristãos iranianos que estiveram presos, você também pode ser um com irmãos e irmãs privados de liberdade escrevendo um cartão de encorajamento. Ebrahim Firouzi, de 31 anos, está preso desde agosto de 2013 e, embora devesse ser solto em 2015, foi sentenciado a mais cinco anos de prisão. Nasser-Navard Gol-Tapeh, de 57 anos, cumpre dez anos de prisão por “atividades missionárias”. O pastor Victor Bet-Tamraz foi preso em 2014, enquanto celebrava o Natal. A sentença foi dez anos de prisão e ele está em liberdade condicional no momento. Shamiram Isavi Khabizeh, esposa de Victor Bet-Tamraz, também está em liberdade condicional de sua sentença de cinco anos.