Anterior

ANTERIOR

Menino sobrevive a afogamento na praia enquanto família louva a Deus

15/07/2019

Universo Cristão

Cristã perseguida da Coreia do Norte vem ao Brasil

Hea-Woo visitará várias igrejas no Brasil para compartilhar seu testemunho sobre a vida dos cristãos norte-coreanos

Fonte: Portas Abertas | 12/03/2019 - 16:50
Cristã perseguida da Coreia do Norte vem ao Brasil

Hea-Woo, de 74 anos, cristã perseguida da Coreia do Norte, virá ao Brasil pela segunda vez, a primeira foi em 2015. Na ocasião, milhares de cristãos brasileiros foram impactados com seu testemunho sobre como é a vida de um cristão no país mais fechado do mundo ao evangelho e onde é mais difícil viver como cristão.

A cristã Hea-Woo nasceu nos anos 40 e sua mãe era cristã, mas ela não sabia disso. Ainda menina, ela foi confrontada com a guerra. Junto com a mãe, teve que caminhar por dois meses rumo à fronteira com a China quando a guerra da Coreia do Norte começou, em 1950. Um dia, durante a caminhada, ela viu que a mãe usava uma corrente com uma pequena cruz, então perguntou: “O que é isso, mamãe?”, ao que ela respondeu: “Não conte a ninguém sobre isso”. E assim Hea-Woo fez, mas sempre lembrava da cruz. Só muitos anos depois ela entendeu que a mãe era cristã.

Como sua avó morava na China, um dia ela levou Hea-Woo e sua irmã para morar com ela. Elas ficaram sob os cuidados da avó por sete anos, até que houve uma ordem de que todas as crianças norte-coreanas deveriam voltar para casa. Foi nessa ocasião que Hea-Woo pôde conhecer a mãe um pouco melhor. Ela diz: “Minha mãe cuidava das viúvas e dos pobres, embora nós tivéssemos muito pouco para nós mesmos. Ela morreu em 1990 e eu me tornei cristã sete anos mais tarde”.

Na Coreia do Norte, Hea-Woo foi criada como uma comunista e logo aprendeu que missionários cristãos estavam tentando se infiltrar no país para converter as pessoas. Como os cristãos eram incapazes de fazer “atos revolucionários”, eram inimigos. “Eu ouvia histórias de que cristãos iam aos hospitais, levavam as pessoas ao porão, as matavam e tiravam seu sangue para vender. Pensar nisso era horripilante para mim”, conta a cristã.

Hea-Woo cresceu pensando que o líder do regime, Kim Il-sung, era um deus e, como tal, não comia nem dormia. A mãe dela, que trabalhava em um hospital como parteira, tentava lhe contar a verdade, dizendo que ele era humano, mas isso não fazia sentido para a jovem Hea-Woo.

Hea-Woo estará no Brasil de 21 de março a 8 de abril

E esse é só o começo da história da irmã norte-coreana Hea-Woo. A partir do dia 21 deste mês você poderá ouvir a história dela completa. Veja a agenda de visitas, que vai até 8 de abril, e reserve um dia para ser edificado pessoalmente através do poderoso testemunho dessa irmã da Coreia do Norte. O país ocupa o 1º lugar na Lista Mundial da Perseguição desde 2002. Não deixe de orar por ela e por toda a Igreja Perseguida da Coreia do Norte.