Anterior

ANTERIOR

Reforma da Previdência: 163 deputados a favor, 142 contra e 208 sem posição clara

25/03/2019

Universo Cristão

Ministério no Egito facilita a cura de traumas

Segundo Portas Abertas, o país é o 16º na Classificação de Perseguição Religiosa 2019

Fonte: Portas Abertas | 12/03/2019 - 08:00
Ministério no Egito facilita a cura de traumas

O pior pesadelo de qualquer pai: sua filha ser sequestrada. Na zona rural do Egito, o perigo do sequestro sempre espreita garotas cristãs. Perseguições parecem inevitáveis. 

Em uma vila rural egípcia, na primavera de 2018, um viúvo esperava por sua filha de 21 anos, Maggie*, voltar da compra diária na mercearia. Conforme o tempo passava e ela ainda tinha voltado, ele pegou seu telefone, esperando aliviar sua mente preocupada. O oposto aconteceu. O telefone tocou. Uma voz agressiva masculina no lugar da de sua filha: “Não ligue de novo para a Maggie, ela nunca vai voltar para casa”. Maggie foi apenas uma das muitas garotas que desapareceram em 2018. No último ano, mais de 50 casos de garotas cristãs sequestradas foram relatados. Filhas, irmãs, amigas – elas estão sumindo, sempre de repente. Apenas algumas das garotas voltam.

Melissa*, a líder do ministério de garotas do país, disse que ela vê o número de sequestros caindo lentamente, mas a pressão continua alta: “Células de muçulmanos radicais continuam monitorando a situação da vida de garotas e mulheres cristãs. Eles estudam sua situação social e espalham sua teia em volta delas para finalmente as sequestrar e forçá-las a casamentos islâmicos”.

Uma das táticas mais comuns utilizadas é o aliciamento, uma estratégia em que um homem muçulmano finge que gosta de uma garota para se aproximar. A baixa autoestima que muitas garotas cristãs têm é um solo fértil para esse tipo de sequestro, diz Melissa. “Nós vemos a maioria dos sequestros acontecendo com garotas inseguras, ou meninas que tem uma família instável”, explica.

Com a sua ajuda, Melissa e seus colegas poderão continuar os grupos do ministério de garotas no Egito, servindo 18.900 meninas em 1.250 grupos. Esses grupos constroem as bases, não apenas para a prevenção de sequestros, mas também para a prevenção de violência contra as meninas, que é cada vez mais comum. “Em 2018, eu vi muitas garotas se transformarem de alvos fáceis em meninas fortes que sabem quem são em Cristo e não têm medo de falar por si mesmas.”

*Nomes alterados por segurança.

Pedidos de oração

- Ore em favor das garotas cristãs egípcias, para que estejam em segurança.
- Peça ao Senhor que cure os traumas das que foram sequestradas e hoje estão novamente em suas casas.
- Interceda por aquelas que continuam desaparecidas, peça que o Senhor as guarde onde quer que estejam.