Anterior

ANTERIOR

Menino sobrevive a afogamento na praia enquanto família louva a Deus

15/07/2019

Universo Cristão

Ex-muçulmana encontra motivação para servir a Cristo

Nora é a primeira líder cristã ex-muçulmana malaia. Casada não oficialmente com um cristão, ela optou por não ter filhos devido a restrições legais

Fonte: Portas Abertas | 11/03/2019 - 10:20
Ex-muçulmana encontra motivação para servir a Cristo

A história que compartilhamos hoje vem do país que ocupa a 42ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2019, a Malásia. No país, a igreja oficialmente reconhecida pelo governo não pode aceitar cristãos ex-muçulmanos, o que acarretaria em perseguição para a própria igreja. A lei também não permite que se pregue o evangelho ao povo malaio. Então como aqueles que se convertem do islamismo podem crescer na fé? Conheça a história de Nora* e veja como.

Na escola, Nora tinha aulas de religião e prática islâmica. “Mas eu nunca tive paixão por seguir o islã; desde o primário, eu não gostava dos estudos islâmicos, pois achava muito difícil”, relembra. Nora conheceu Daniel (que viria a ser seu futuro marido) no trabalho e ele a levou à igreja, onde ela começou a participar de um estudo bíblico nos fins de semana. Quando decidiu seguir Jesus, Nora sabia que essa decisão mudaria toda sua vida, mas diz: “Por Deus e com Daniel ao meu lado, estou preparada para encarar tudo. Aconteça o que acontecer, nós vamos considerar como um teste e treinamento de Deus para nossa fé”.

Como Daniel e Nora não puderam se casar na igreja oficial à qual Daniel pertencia (para um muçulmano se casar com um não muçulmano, este tem que se converter ao islã, segundo as leis da Malásia), eles foram à igreja do pastor Ishak*, que era formada por cristãos ex-muçulmanos. Mesmo assim, o pastor não aceitou fazer o casamento assim que os conheceu. Hoje ele compartilha: “Eu os mantive em oração por meses, só para testá-los. Eu perguntava a Deus se ele havia enviado aquele casal, e eles se mostraram fiéis. Toda semana estavam na igreja, nunca faltavam e participavam ativamente das programações”. Assim, depois de um ano, pastor Ishak batizou Nora, em junho de 2008, e fez o casamento dela com Daniel em dezembro do mesmo ano.

Casada, mas sem filhos

Mas Nora não pôde convidar seus pais para o casamento, pois eles não sabiam que ela havia abandonado o islã para seguir a Cristo. Eles ainda não sabem e Nora explica porque: “Eu não falo sobre minha fé não por medo, mas porque não quero perder meu relacionamento com minha família, principalmente com meus pais, que já estão ficando velhos”. Assim, o dia do casamento foi um dia de muito choro para toda a igreja, pois eles sabiam o que aquele tipo de casamento significava. Eles só casaram na igreja, mas não no civil. “Se tivéssemos filhos, eles seriam levados pelas autoridades islâmicas se descobrissem que sou uma cristã ex-muçulmana. Ter filhos é impossível para nós”, explica Nora em lágrimas, expressando profunda dor no coração.

Alguns casais cristãos optam por se converter ao islã somente para poder registrar os filhos, o que faria com que os filhos se tornassem oficialmente muçulmanos também. Mas Nora sentiu que isso não era a coisa certa a fazer. Apesar de sua luta, ela encontra esperança e força para perseverar e compartilha: “Eu fiz o discipulado na igreja por vários anos e usamos o material da Portas Abertas, Permanecendo Firme Através da Tempestade. O que eu aprendi realmente me fortaleceu. Os princípios bíblicos me dão esperança para o futuro. É difícil obedecer a todos os ensinamentos, mas eles dão esperança, e isso é o que me fortalece”.

Hoje Nora é uma das poucas líderes cristãs do sexo feminino entre o povo malaio. A igreja local é muito fraca e dispersa e não tem nenhuma instituição oficial. Aqueles que se dedicam ao ministério são poucos e a maioria pertence às igrejas oficiais, que são formadas por outros grupos étnicos. Entre os menos de dez líderes de grupos cristãos malaios, apenas três tiveram estudo teológico, que são o pastor Ishak, Nora e um outro. Eles são os precursores da igreja local malaia. A Portas Abertas apoiou Nora em seus três anos de seminário bíblico, que finalizou em 2017.

*Nomes alterados por segurança.

Pedidos de oração

- Clame para que Deus levante mais líderes locais malaios que sejam treinados teologicamente.
- Interceda por Nora e sua missão de discipular e servir seu próprio povo.
- Ore por unidade e solidariedade entre as igrejas oficialmente reconhecidas e as igrejas de cristãos ex-muçulmanos.