Anterior

ANTERIOR

Menino sobrevive a afogamento na praia enquanto família louva a Deus

15/07/2019

Universo Cristão

Ex-muçulmana encontra respostas para sua vida em Deus

Apesar de sua natureza rebelde, a ex-muçulmana liga para o pastor Ishak e pede para ser batizada

Fonte: Portas Abertas | 08/03/2019 - 17:00
Ex-muçulmana encontra respostas para sua vida em Deus

A Malásia é um país com cerca de 60% de muçulmanos, 20% de budistas e 9% de cristãos. É nesse contexto multirreligioso que vive Aina*, que gosta de ser descrita como uma “pessoa rebelde”, pois gosta de questionar o que todo mundo aceita. Desde pequena, quando tinha que usar o hijab (véu islâmico) nas aulas de religião, ela tirava logo em seguida. “Eu me rebelava contra isso. Eles sempre diziam que era uma escolha, mas havia uma pressão. Eu usava porque era forçada. Eu não acho que haja nada errado com meu cabelo, então por que tenho que cobri-lo?”, conta Aina.

Mas Aina teve que suprimir suas perguntas porque no islamismo é ensinado a não questionar. Se fizerem perguntas, estão blasfemando e merecem punição no inferno. Aina compartilha: “A ameaça do inferno me assustava, então eu não queria questionar o que me ensinavam”. No entanto, ela manteve as perguntas em seu coração. Com o advento da internet, ela pôde buscar as respostas por si mesma. Para sua surpresa, descobriu que havia outras pessoas que questionavam o islã.

Em sua busca, Aina encontrou um website de um ex-muçulmano que queria expor o engano do islamismo. Finalmente, ela decidiu deixar o islã e contou para sua família. Um dia, um amigo que sabia de sua decisão de deixar o islã perguntou se ela queria conhecer o ex-muçulmano do site, que agora era pastor. Aina pensou: “deixar o islã já é um grande pecado, agora se tornar pastor?” Era algo inimaginável, que nunca tinha ouvido antes.

Mas como ficou curiosa, ela foi visitar o pastor, Ishak*. Toda vez que se encontravam, ele lhe dava versículos bíblicos para ler. Em sua natureza rebelde, ela queria desafiar Deus, mas ao invés disso, ligou para o pastor pedindo para ser batizada. Assim, Aina foi a primeira convertida da igreja do pastor Ishak, que estava nascendo ali. Até então ele era o único cristão ex-muçulmano local.

Batizada e tocada por Deus

No dia 3 de maio de 2007, eles saíram da cidade e chegaram ao rio, onde o pastor Ishak batizou Aina. Depois de batizada, ela decidiu ir à igreja e foi ali que foi tocada por Deus. “Eu comecei a chorar incontrolavelmente. Não é da minha natureza chorar em público, pois sou uma pessoa orgulhosa. Mas eu não conseguia me controlar. Isso aconteceu muitas vezes depois. Mas no começo eu não entendia porque estava chorando”, conta. Hoje, Aina sabe que é a presença de Deus e acredita que Jesus é o único caminho para Deus.

No entanto, como uma cristã ex-muçulmana, ela não pode participar de nenhuma igreja oficial. “No começo, as igrejas eram muito cautelosas em nos receber, porque poderia ser um problema para eles. Eu não posso participar ativamente da igreja, mas eles permitem que eu participe do culto, pelo que sou muito grata”, explica.

Agora Aina está em uma missão. Ela envia e-mails para seus amigos não muçulmanos alertando-os a não se converterem ao islamismo só para casar com seu namorado ou namorada. Na Malásia, é um requerimento legal que um não muçulmano se converta ao islã para casar com um muçulmano, porque se não o casamento é considerado ilegal nos tribunais da sharia (lei islâmica). Por causa disso, muitos cristãos se convertem ao islamismo. Mas no caso de divórcio, o cristão não pode voltar à sua antiga fé cristã e ficará registrado como muçulmano para sempre. Isso é parte do programa de islamização do governo para aumentar o número de muçulmanos em áreas de maioria cristã.

Aina tem duas filhas, uma que se converteu na adolescência é firme na fé, e outra (a mais velha) que não aceitou a decisão da mãe. Ore por Aina, para que cresça cada vez mais firmada na palavra e seja uma cristã madura e sábia. Interceda também pela salvação de sua filha mais velha e para que a mais nova continue crescendo no relacionamento com Jesus.

*Nomes alterados por segurança.