Anterior

ANTERIOR

Monges budistas se rendem a Jesus após desafiarem quem é o verdadeiro Deus

20/03/2019

Universo Cristão

Decisão forçada entre prisão e exílio

Como Esther e sua família reagiram após sua igreja doméstica secreta ser invadida pela polícia secreta

Fonte: Portas Abertas | 10/01/2019 - 12:05
Decisão forçada entre prisão e exílio

Esther, uma cristã ex-muçulmana, se converteu após o irmão compartilhar o evangelho. Apesar da conversão ser algo proibido no Irã, seu país de origem, quando aceitou a Cristo, se uniu a uma pequena comunidade de cristãos secretos. Uma noite, a polícia invadiu uma reunião secreta. “Naquela noite o governo nos pegou. Eu e uma irmã não fomos para a prisão, mas todas as outras pessoas que estavam conosco foram”, contou Esther. A polícia as deixou para que fossem cuidar das crianças, mas a ordem era que elas voltassem para interrogatório no dia seguinte.

Quando Esther e seu marido foram para o interrogatório, a polícia disse que tinha documentação sobre suas atividades cristãs. “Tudo mudou em suas vidas. Nós sabemos que vocês são cristãos e as atividades que têm na igreja”, disseram os policiais. As investigações ocorreram durante mais de um mês. A polícia secreta revistou a casa deles e com frequência os ameaçava com o fato que, se não rejeitassem o cristianismo, em breve iriam para a prisão e não veriam mais o filho pequeno. Quando você se torna cristão no Irã, as consequências repercutem em sua família inteira.

A polícia eventualmente deu a Esther e seu marido uma oportunidade de fazer tudo desaparecer. Durante o interrogatório final, eles mostraram um documento e perguntaram se preencheriam um papel negando a fé cristã e voltando ao islamismo. Tudo o que tinham a fazer era assinar o documento e as coisas voltariam ao que eram. Era uma chance que mudaria suas vidas para sempre. Porém, eles não assinaram os papeis. “Foi uma nova experiência para mim, porque eu tive que escolher, mas eu escolhi Jesus”, relatou Esther.

O governo iraniano dá uma opção para pessoas nessa situação, eles fecham os olhos para que elas deixem o país. “Nós escapamos”, contou Esther. Ao invés de ficarem no Irã e irem para a prisão, ela comprou passagens de ida e volta para um passeio em Istambul e partiu com o filho. O marido ficou no Irã e partiu para encontrá-los uma semana depois. Eles nunca mais voltaram.

Pedidos de oração

-    Apresente Esther e sua família, agora que continuarão suas vidas em outro país.

-    Ore em favor das igrejas secretas do Irã.

-    Interceda pelos cristãos iranianos ex-muçulmanos, para que o Senhor os mantenha em segurança.