Anterior

ANTERIOR

Trump assina lei para ajudar minorias religiosas no Iraque e Síria

13/12/2018

Universo Cristão

Campanha une 90 milhões de cristãos em oração pela paz em Jerusalém

O `Dia de Oração pela Paz em Jerusalém´ contou com o apoio de cristãos em 170 países

Fonte: Guiame/ Com informações da CBN News - Fotos: CBN News | 09/10/2018 - 15:05
Campanha une 90 milhões de cristãos em oração pela paz em Jerusalém

Estima-se que cerca de 90 milhões de cristãos em todo o mundo se juntaram no Dia de Oração pela Paz de Jerusalém, intercedendo por esta causa em mais de 170 países.

Este ano, cerca de mil cristãos de todo o mundo reuniram-se com líderes cristãos e judeus no ‘Haas Promenade’, com vista para a Cidade Velha de Jerusalém, para o evento principal que foi transmitido ao vivo pela emissora ‘God TV’.

Baseados no Salmo 122:6, eles oraram pela paz de Jerusalém e adoraram a Deus com música e dança.

Robert Stearns, fundador e diretor executivo do “Eagles’ Wings Ministry”, é o principal organizador do evento.

"Assim, o dia de oração pela paz de Jerusalém em Jerusalém foi inaugurado em 2005, quando Pat Robertson graciosamente voou até aqui e falou no primeiro dia de oração", disse Stearns à CBN News.

O evento anual reúne judeus e cristãos para seguir a passagem bíblica do Salmo 122: 6, que diz: "Orem pela paz de Jerusalém: ‘Vivam em segurança aqueles que te amam!"

"Desde aquela época, o primeiro domingo de outubro é agora comemorado como o dia de oração pela paz de Jerusalém em 174 nações ao redor do mundo. Nossos materiais foram traduzidos para 39 idiomas", explicou Stearns.

Os organizadores dizem que há muitas razões para orar pela paz de Jerusalém.

"Jerusalém é a raiz da nossa fé. Jerusalém, em certo sentido, é a cidade do nosso nascimento espiritual e da nossa esperança espiritual. Acreditamos que esta é a cidade onde o governo de Deus se estabelecerá e reinará sobre as nações e tem que tomar parte na preparação do caminho do Senhor para a Sua presença nesta cidade", disse Stearns.

Josh Reinstein, diretor do Caucus dos Aliados Cristãos do Knesset, disse que Deus quer que judeus e cristãos mantenham Jerusalém perto de seus corações.

"Agora o povo judeu acredita que Ele pede aos judeus e cristãos que orem pela paz de Jerusalém, porque Ele sempre quer que levemos a questão de Jerusalém e a mantenhamos perto do nosso coração. Ele quer que pensemos em Jerusalém. Ele quer que ensinemos aos nossos filhos sobre Jerusalém e por isso levamos essa causa muito a sério", disse Reinstein.

Pastor Joe Green, vice-presidente sênior do Ministério Eagles' Wings, disse que os cristãos precisam entender o seu importante lugar neste cenário.

"Precisamos entender que estamos inseridos neste lugar incrível chamado Israel, mas igrejas cristãs de toda a América se esqueceram isso", disse o pastor Joe Green à CBN News.

"O que nós queremos fazer é trazer à consciência sobre quem realmente somos. Nós não existimos sem o povo judeu ou o Estado judeu. Nós não estaríamos por perto. Jesus era um judeu. Todos os apóstolos eram judeus e então nosso objetivo é de alguma forma nos trazer voltar ao cristianismo bíblico e bênçãos sobre este lugar incrível. Temos absolutamente um privilégio em poder honrar e abençoar este lugar", disse Green.

Gratidão

Artistas cristãos populares, incluindo o cantor Eddie James e Misty Edwards, lideraram os louvores no culto. Líderes judeus agradeceram aos cristãos por seu apoio.

Michael Oren, membro do Knesset, encorajou os cristãos a defenderem o Estado judeu

"Há muitos organismos internacionais que negam a conexão judaica a esta cidade — nossa história comum, nossas tradições comuns — e nós temos que nos unir. É a mesma história, e qualquer um que negasse que havia um templo judeu lá em cima está negando a Jesus", disse Oren.

O rabino David Nekrutman, do Centro de Entendimento e Cooperação Judaico-Cristão (o primeiro centro ortodoxo no mundo a criar isto), disse que é crucial neste momento que judeus e cristãos se unam.

"Mais do que em qualquer outro momento da história, judeus e cristãos precisam se unir porque o mundo não apenas isola Israel no Estado, mas até mesmo os movimentos do cristianismo estão isolando Israel no cenário mundial", disse o rabino Nekrutman.

O orador principal, rabino Marc Schneier, ex-rabino-chefe de Nova York e rabino da Sinagoga Hampton, acredita que é um milagre que judeus e cristãos possam se unir.

"Se você olhar para a história das relações cristã-judaicas por quase 2.000 anos, nós sofremos perseguição pela comunidade cristã. Pense nas Cruzadas, na Inquisição, até no silêncio ensurdecedor da Igreja, enquanto milhões foram assassinados no Holocausto. Por isso, estamos vivendo tempos milagrosos. E um desses milagres é a reconciliação entre nossas duas comunidades de fé e acredito que também estamos celebrando isso aqui hoje", disse o rabino Schneier à CBN News.

Apesar das diferenças, a amizade genuína está substituindo a suspeita entre eles, disse Stearns.

"Vimos pela primeira vez em 2.000 anos de história da Igreja judeus e cristãos com paredes de suspeita desmoronando e amizade genuína e cooperação entre judeus e cristãos — não fingindo que não temos diferenças teológicas porque realmente as temos, divididos em relação à identidade do Messias — mas estamos unidos em oração", disse Stearns.