CPADNews

Viúva de pastor diz que preferiria morrer a negar Jesus

Ore pela cristã indiana Chandan, que ainda está muito abatida depois da morte violenta do marido

Ore pela cristã indiana Chandan, que ainda está muito abatida depois da morte violenta do marido
Viúva de pastor diz que preferiria morrer a negar Jesus

Chandan Devi, de 35 anos, é mãe de quatro filhos e viúva do pastor Aadarsh. Eles moravam em uma região onde os naxalitas são muito ativos. Os naxalitas são militantes que lutam pelos direitos de grupos tribais, e veem os cristãos como informantes da polícia por eles não mentirem quando são interrogados.

Aadarsh era um fiel pastor de 40 anos que levou um grupo de 25 a 30 pessoas de uma tribo a Cristo. Por isso, os naxalitas ficaram muito bravos com eles. Então um grupo de 30 homens invadiu a casa deles dizendo que iria matá-lo. “Eu os implorei para acabar com a minha vida também. Quando o arrastaram para fora de casa, eu me agarrei a ele. Mas eles me bateram no ombro e eu caí no chão. A porta fechou e eles desapareceram na floresta, onde Aadarsh foi assassinado”, relembra Chandan.

O velório do pastor Aadarsh foi feito pela esposa do pastor que o havia levado a Cristo e era um pai espiritual para ele. Nenhum dos homens cristãos puderam comparecer ao funeral, pois era muito arriscado para eles. Logo após o velório, voluntários treinados pela Portas Abertas visitaram Chandan, que havia fugido do vilarejo apenas com a roupa do corpo. Eles encontraram a viúva em choque e levaram comida e roupas para ela. Quando perguntaram: “Você pensou em abandonar Jesus?”, ela respondeu: “Eu preferiria morrer”.

Após essa primeira visita, nós continuamos em contato com Chandan por telefone. Ela ainda se sente muito atormentada e pressionada. Um dos filhos casou e os outros três estão em um internato. Depois da morte do pastor Aadarsh, o irmão dele, Ajay, foi ameaçado pelos naxalitas várias vezes. Ano passado, um filho dela chegou a ser sequestrado. Ore por Chandan e seus filhos, Rebecca, 21, Raju, 17, David, 14 e Solomon, 13. Clame também por toda a pequena comunidade cristã ao redor deles, que também enfrenta muita pressão.