Anterior

ANTERIOR

Em dois meses, mais de 250 foram assassinados por extremistas na Nigéria

21/09/2018

Universo Cristão

Cristão passou quatro anos infiltrado para resgatar vítimas do tráfico sexual na Ásia

David Zach esteve em uma missão secreta durante quatro anos para resgatar garotas em zonas de prostituição

Fonte: Guia-me / com informações Christian Post | 16/05/2018 - 15:30
Cristão passou quatro anos infiltrado para resgatar vítimas do tráfico sexual na Ásia

David Zach, o vocalista da banda cristã Remedy Drive, relatou algumas das experiências que teve quando estava disfarçado para ajudar a resgatar adolescentes presas a redes de tráfico sexual na Ásia e na América Latina. Enquanto servia em modo sigiloso nos últimos quatro anos, Zach passou a maior parte do tempo disfarçado em bordéis e distritos da Red Light em busca de evidências de tráfico sexual.

Zach associou-se a Matt Parker, fundador da organização anti-tráfico de seres humanos “The Exodus Road”, e juntos usaram equipamentos secretos para capturar provas concretas da escravidão sexual.

Suas descobertas abriram caminho para que eles fizessem parcerias com autoridades locais e invadissem alguns dos locais de tráfico. Atualmente, o trabalho da “The Exodus Road” levou a 927 resgates e 398 prisões. No total, a organização tem 63 agentes trabalhando em 12 países.

"Fazer o trabalho para encontrar evidências de tráfico sexual é pesado. Há tantas emoções, porque estou em contato próximo com traumas extremos. As viagens que faço são geralmente para o sudeste da Ásia ou para a América Latina, mas a The Exodus Road opera nos Estados Unidos, Índia e no Oriente Médio também", disse Zach ao site The Christian Post em uma entrevista recente.

"O objetivo do nosso trabalho é obter evidências concretas de tráfico sexual que serão usadas para prender pessoas que traficam essas garotas e resgatar as meninas que estão sendo vendidas", disse ele. "A Exodus Road resgatou mais de 900 sobreviventes do tráfico até agora, contribuindo para o desmantelamento dos sindicatos do crime e das máfias que vendem essas meninas e meninos", ressaltou.

De acordo com o Índice Global de Escravatura, existem hoje cerca de 45,8 milhões de escravos modernos. Zach detalhou algumas das coisas que ele presenciou como um agente disfarçado agindo como um cliente.

“Toda noite era diferente. Às vezes estávamos conversando com traficantes de drogas da África nas ruas do sudeste da Ásia. Eles também controlam meninas da África que podem estar sentadas na calçada ao lado de uma rua movimentada. Fingimos ser clientes em potencial. Éramos escoltados por um mafioso a elevador até um andar secreto de um hotel, onde há garotas de todo o mundo sendo vendidas em cada quarto”, contou.

“Há danceterias e bares de karaokê onde às vezes há dezenas de garotas de biquíni no palco ou sentadas com os clientes, sendo apalpadas por homens com três vezes a idade e três vezes mais peso. Às vezes, eles observam as garotas por trás de um vidro, como em um aquário, e homens de todo o mundo sentam enquanto bebem e fumam. Eles escolhem a garota que querem levar”, explicou.

“Isso acontece nas pequenas aldeias. Eu trabalhei nas principais cidades onde o turismo sexual é uma atração internacional. Essas meninas geralmente fazem parte de uma migração em massa do interior para os principais centros urbanos. Estamos lá para identificar e capturar evidências de tráfico. As meninas vão parar lá por vários problemas. Acabam na rua, no clube ou em um hotel, sendo controladas por outra pessoa, sendo vendidos para o sexo, trabalhando para pagar uma dívida que não é delas”, ressaltou.

Apenas 14 anos

“Há uma garota em particular. Ela tem uns 14 anos e é muito tímida. Ela tinha um número em seu biquíni. Eu pedi para falar com ela e a pessoa que a vendia trouxe-a para mim. Eu disse que queria levá-la comigo por uma hora. Na língua deles, eles discutiam, mas eu não conseguia entender o que eles estavam dizendo”, contou.

“Meu tradutor assistiu a filmagem de provas no dia seguinte. O condutor disse: ‘Você deve ir com esse homem’. A garota disse: ‘Eu não quero’. Então ele respondeu: 'Você tem que começar a ir com os clientes. O dono do bar exige isso’. Ela respondeu: 'Mas eu pensei que poderia ganhar dinheiro suficiente apenas vendendo bebidas e dançando'. Então ele continuou: 'Não, você deve pagar a dívida de seu pai'. O manipulador me disse em inglês: ‘Volte em uma semana e nós a teremos pronta para você’. A história dessa garota é a história de tantas garotas que conheci”, colocou.

“Algumas fraudes foram perpetradas contra ela e sua família. Pela força, pela coerção e manipulação, eles trouxeram essa garota da simplicidade de sua vida agrícola para esse bordel. Ela está com vergonha. Ela sente falta da mãe. Ela sente falta da luz do sol na encosta da montanha. E parece que ela se resignou a esta vida mesmo que ela ainda não tenha percebido o quão terrível será para ela”, disse o cantor e missionário.