Anterior

ANTERIOR

Cristãos são obrigados a assinar documentos prometendo não orar na igreja em Mianmar

15/10/2018

Universo Cristão

Pastor venezuelano visita o Brasil e conta como Deus tem sustentado a igreja em meio à crise

Casto Rojas relata que o estado tem dificultado o registro oficial das igrejas, aumentando as exigências

Fonte: Portas Abertas | 11/04/2018 - 12:15
Pastor venezuelano visita o Brasil e conta como Deus tem sustentado a igreja em meio à crise

O ministério Portas Abertas recebeu em sua base em São Paulo a visita do pastor Casto Rojas, de Maturín, na Venezuela. Mas ele não faz parte do grupo com mais de 40 mil refugiados venezuelanos que foram para Roraima. O pastor disse que veio para ser abençoado, mas também para abençoar.

Casto é pastor de uma igreja de 1.250 membros, que tem também uma escola, uma clínica médica e um seminário teológico. Ele compartilhou um pouco da situação da igreja na Venezuela, e disse que oficialmente não há perseguição aos cristãos no país, pois a liberdade religiosa é garantida pela constituição. No entanto, uma das ações do governo foi declarar os templos das grandes igrejas como patrimônio cultural do estado, não dando às mesmas autonomia para fazer alterações no prédio.

O pastor relata que o estado tem dificultado o registro oficial das igrejas, aumentando as exigências. A educação também é laica, no entanto valores cristãos são ensinados na escola da igreja. Além disso, há vários pastores presos por falar mal do governo nas redes sociais. Ele salientou a crise total em que o país está mergulhado, que afeta as áreas social, econômica e de segurança. Segundo a Exame, a inflação na Venezuela foi de 2.616% em 2017, segundo cálculos da Comissão de Finanças da Assembleia Nacional, o congresso venezuelano, que é controlado pela oposição. A estimativa do órgão para 2018 é que o índice chegue a 14.000%.
“Deus é o dono da obra”

Diante de todo esse cenário, Casto afirma: “Na nossa igreja nunca faltou dinheiro para nada que fazemos. Muitas pessoas da minha igreja foram embora do país, mas a cada dia a igreja está mais cheia. Então glória a Deus pela crise; a igreja continua crescendo. Não falta o que precisamos para manter a igreja funcionando porque o dono da obra é Deus”. O pastor também é médico, mas se dedica ao ministério pastoral em tempo integral. Antes de se converter, aos 42 anos, ele era um guerrilheiro urbano comunista e era técnico de explosivos.

Encerrando, o pastor testemunha: “Quando aceitei a Jesus entendi que o problema não está em um sistema – seja o comunismo, socialismo ou capitalismo selvagem. O problema está no coração do homem, o qual só Jesus pode transformar”. Ele está no Brasil por dez dias, pregando em igrejas, e espera poder levar medicamentos e alimentos de volta ao seu país, onde o acesso a itens básicos de sobrevivência tem sido muito restrito. Ore por ele, por sua família e igreja, e pela Venezuela. Que Deus tenha misericórdia dessa nação e continue manifestando seu caminho mesmo em meio à crise.