Anterior

ANTERIOR

Novela `Jesus´ irá exibir cena da crucificação em sua estreia

20/07/2018

Universo Cristão

Senador cristão confronta Facebook por fazer censura política aos conservadores

Senador Ted Cruz e outros republicanos questionaram Mark Zuckerberg sobre seus critérios para tomar a decisão de bloquear páginas conservadoras

Fonte: Guia-me / com informações R7 | 11/04/2018 - 11:00
Senador cristão confronta Facebook por fazer censura política aos conservadores

Na última terça-feira (10), o senador republicano Ted Cruz participou de uma audiência, na qual o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg foi questionado sobre a censura e manipulação de conteúdo na rede social, motivada por orientação política.

Zuckerberg teve que responder às perguntas do senador cristão, que questionou sobre o viés ideológico da rede social, que atualmente é a mais usada em todo o mundo.

Cruz queria saber se o Facebook tem inclinações políticas na condução de seus negócios ou na seleção e demissão de seus funcionários.

"Muitos norte-americanos estão, acredito eu, preocupados se o Facebook e outras empresas de tecnologia estão criando um padrão consistente de censura e viés", disse o senador.

Segundo Cruz, páginas de diversas organizações com visões conservadoras, como grupos anti-aborto ou que fizeram publicações criticando o casamento gay, ou até mesmo de apoio ao presidente Donald Trump foram censuradas nos últimos anos. Ele também questionou se os discursos de ódio que Zuckerberg prometeu combater incluiriam essas páginas, que chegaram a ser bloqueadas apesar de muitas delas terem milhões de seguidores.

"Eu entendo que essa preocupação vem do fato do Facebook e a indústria de tecnologia estarem no Vale do Silício, onde há muita tendência para a esquerda. É uma preocupação que eu tenho, me certificar que não temos nenhum viés no nosso trabalho. Queremos fazer uma plataforma para todas as ideias", defendeu-se o bilionário.

Ted Cruz compartilhou um vídeo no qual sua pergunta e a resposta de Zuckerberg foram registradas e classificou a justificativa do dono da rede social como evasiva.

"Hoje eu questionei o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, sobre a censura passada de grupos conservadores no Facebook. Perguntei se as mesmas ações haviam sido tomadas contra grupos liberais, mas não obtive uma resposta", acrescentou o senador.