Anterior

ANTERIOR

Trump assina lei para ajudar minorias religiosas no Iraque e Síria

13/12/2018

Universo Cristão

Cristã se casa com muçulmano na Tanzânia para garantir o futuro

Através de seminários, cristãos recebem capacitação para fazer melhor uso dos recursos, possibilitando uma vida melhor

Fonte: Portas Abertas | 12/03/2018 - 10:05
Cristã se casa com muçulmano na Tanzânia para garantir o futuro

A região muçulmana de Singida é uma área agrícola e uma das mais pobres da Tanzânia, apesar da abundância de recursos naturais, como areia e minerais. Singida é onde vive Rebecca (foto ilustrativa por razões de segurança), uma mulher de 26 anos que era líder na igreja. Vivendo em extrema pobreza, ela viu no casamento com um muçulmano o último recurso para garantir uma vida melhor para si e para os dois filhos. Ela sabia que essa seria a condição: em troca de uma melhor situação econômica, teria que se converter ao islamismo. Sabia também que não seria a única esposa do marido.

Rebecca é uma das muitas moças cristãs que são seduzidas por ganhos financeiros através do casamento com um muçulmano, mas com resultados devastadores. Hoje Rebecca se sente infeliz, mas através do curso tem uma nova perspectiva. Sua história ilustra o resultado da falta de discipulado, mas também o impacto que a má administração traz.

Diante dessa necessidade, a Portas Abertas, em parceria com a igreja local, oferece cursos para cristãos na área de administração, contabilidade e empreendedorismo, entre outros. Naftali, um dos treinadores do curso em Singida, diz: “Singida é uma região altamente muçulmana. Infelizmente, a igreja está dividida e as denominações não querem trabalhar juntas. Graças a Deus, o treinamento reuniu várias denominações e esperamos que sirva para erradicar a desunião e promover a unidade da igreja como um só corpo”.

O curso também foi dado nas cidades de Gairo e Kilosa, na região de Morogoro, que não tem uma religião predominante. Assim, é um solo fértil para o evangelismo. Os treinadores expressaram um misto de sentimentos – entusiasmo por poder colocar em prática o que aprenderam, mas ao mesmo tempo sentiram que a sede não foi totalmente saciada. “Esse treinamento reacende a paixão e desafia a ir a um nível mais alto; ele desperta a paixão de trabalhar ainda mais. Queremos aprender mais”, diz Zebadia. Ore para que esse trabalho continue produzindo frutos. Clame para que, assim como Rebecca, muitos encontrem o caminho de volta para Cristo através do projeto.