Anterior

ANTERIOR

Pastor é declarado morto após ataque cardíaco no púlpito, mas volta à vida no hospital

15/08/2018

Universo Cristão

Mais de mil extremistas hindus atacam igreja e tentam queimar pastor vivo

Os extremistas alegaram que o pastor foi o responsável pela morte de uma mulher que havia se convertido em sua igreja

Fonte: Guiame/ Com informações do Christian Headlines | 09/02/2018 - 14:30
Mais de mil extremistas hindus atacam igreja e tentam queimar pastor vivo

O pastor Jeewer Joeswa foi surpreendido quando uma multidão de hindus do norte da Índia trouxeram o cadáver de uma mulher cristã para sua igreja. Logo em seguida eles incendiaram o prédio. Seema Devi, de 23 anos, havia se convertido há alguns meses, quando o pastor lhe ofereceu oração de cura.

Mas, no dia 16 de janeiro, o pastor Joeswa foi cercado por uma multidão de hindus que realizava rituais e queimava corpos nas instalações da igreja em Sehal Village, no estado de Jammu e Caxemira.

"Uma multidão de homens e mulheres, cerca de mil, estavam gritando contra o líder cristão. Eles trouxeram o corpo de Seema para a igreja”, disse Joeswa em entrevista ao site Morning Star News.

A multidão alegou que o Pastor Joeswa havia orado por Devi e por isso era responsável por sua morte. A informação é de Chittaranjan Tandy, secretário do Friends Missionary Prayer. Ele disse ao Morning Star News que o esposo de Seema Devi, Rinku Kumar, foi mantido sob custódia policial para sua própria segurança, depois que a multidão tentou queimá-lo vivo ao lado da falecida.

"A polícia da delegacia de Nowshera tentou controlar a multidão, mas eles incendiaram o prédio da igreja, veículos dos membros, equipamentos da igreja, móveis e todos os objetos que estavam próximo, incluindo alimentos", disse Tandy.

A multidão alegou que Devi e seu marido foram convertidos à força. "Não houve conversão forçada", disse Tandy. "O casal frequentou voluntariamente a igreja e aceitou Cristo. Na verdade, eles experimentaram a cura e eram fortes na fé", ressaltou.

O superintendente da polícia, Popsi Malik, disse ao Morning Star News que Devi e seu marido estavam mesmo frequentando a igreja. "Foi uma suposição da multidão de que o casal havia se convertido a força. Antes da morte da esposa, o casal estava participando de um culto no estado de Punjab. As pessoas presumiram que ele foi convertido ao cristianismo forçadamente. Mas isso não era verdade", salientou.

Malik ainda disse que a polícia conseguiu controlar a situação, deixando a multidão sob controle, embora os cristãos tenham se ferido durante a manifestação dos hindus.