Anterior

ANTERIOR

Cristãos na Guiné comemoram a construção de novo poço de água

21/02/2018

Universo Cristão

`Eu queria morrer por Jesus, mas Ele me queria viva´, diz cristã que sobreviveu a bombardeio

Samiha disse que os médicos a deram como morta, mas Jesus tinha outros planos para ela

Fonte: Guiame / com informações Christian Post | 06/02/2018 - 14:00
`Eu queria morrer por Jesus, mas Ele me queria viva´, diz cristã que sobreviveu a bombardeio

Uma mulher cristã que foi desfigurada por um bombardeio em uma igreja no Cairo (Egito), disse que Jesus milagrosamente a manteve viva. O ataque aconteceu em dezembro de 2016. Samiha Tawfiq Awad compartilhou, na semana passada, que ela e seu marido, Qalini, estavam em um culto pela manhã do dia 11 de dezembro, quando os radicais detonaram uma bomba.

Os dois atentados suicidas naquele dia deixaram 24 cristãos mortos e 49 feridos, Muitas das mulheres que estavam próximas da explosão sofreram uma severa desfiguração em seus rostos. Qalini levou sua esposa ao hospital, embora ela tivesse classificada como morte após o ataque. Os médicos avisaram que ela não iria sobreviver.

No entanto, ele teve visões de Jesus e isso encheu seu coração. Não com raiva dos atacantes, mas com perdão. "Os médicos podem ter desistido de Samiha, mas Deus tinha outro plano" Qalini exclamou.

A mulher lembrou que os médicos a colocaram na lista de vítimas mortas desde o início. "Os médicos achavam inútil tratar-me, então eles apenas vieram me verificar de vez em quando para ver se eu já estava morta. Mas fiquei viva", lembrou ela.

Os médicos a colocaram na cirurgia e hoje ela se encontra bem viva, embora esteja sem a metade do rosto. "Eu lembro que eu vi Jesus no teto quando eu estava deitada no chão após a explosão", disse ela sobre uma de suas primeiras visões.

Jesus continuou aparecendo para ela no hospital. "Eu queria morrer por Jesus, mas Ele me manteve viva. Milagrosamente. Ele me disse que me queria viva".

O marido cristão que não foi fácil perdoar as pessoas que atacaram a igreja e deixar sua esposa em uma situação de forte sofrimento. Mas, ele lembrou das palavras de Jesus no Sermão da Montanha, onde Cristo pede o perdão sobre os inimigos.

Ela disse que não tem raiva pelos atacantes. "Se eu conhecesse a família do atacante, a única coisa que faria seria dizer: ‘Você conhece Jesus?’. Eu oro para que eles encontrem o caminho certo", salientou.

Anba Angaelos, uma das líderes cristãs da região disse ao The Christian Post, dias após o ataque, que apesar do choque e da tragédia, os cristãos no Egito estão prontos para perdoar. "Historicamente no Egito, depois de todos esses ataques, é claro que houve raiva e protesto público, mas não houve retaliação ou vingança", disse.

Ela continuou: "Estamos orando para que haja cura na comunidade. Estamos prontos e já perdoamos as pessoas por fazer isso porque, no fim das contas, a falta de perdão nos prejudica mais do que ninguém. Eu acho que é algo que precisamos ter em mente como cristãos, e estou muito orgulhosa de dizer que isso é algo que vimos os cristãos fazer de forma muito natural e orgânica por décadas", finalizou.