Anterior

ANTERIOR

Premiê de Israel quer discutir mudança da embaixada brasileira na posse de Bolsonaro

18/12/2018

Universo Cristão

Consequências de ser cristão na Coreia do Norte

Prisão, isolamento, fuga perigosa – experiências de uma jovem cristã norte-coreana

Fonte: Portas Abertas | 10/01/2018 - 12:00
Consequências de ser cristão na Coreia do Norte

Hoje você vai conhecer a história de Hee Young*, uma garota norte-coreana que, como outra estudante qualquer, caminhava todos os dias de casa para a escola e da escola para casa. Sempre que chegava em casa, batia na porta e seu pai abria. Mas um dia isso não aconteceu. Quando ela bateu, quem abriu foi sua mãe. Olhando para dentro de casa, ela viu roupas, copos e livros espalhados pelo chão. Os olhos vermelhos e inchados de sua mãe disseram o que sua boca não conseguia dizer: “A Agência de Segurança Nacional veio, vasculhou a casa e achou uma das Bíblias... e seu pai foi preso”.

Hee Young não teve oportunidade de se despedir e nunca mais teve notícias do pai – que provavelmente foi morto ou enviado a um campo de trabalhos forçados para prisioneiros políticos. Sua avó que já estava quase morrendo reuniu a família e disse: “Eles vão voltar e encontrar as outras Bíblias. Não podemos correr o risco, temos que queimá-las”. A mãe de Hee Young acendeu o fogão, rasgou página por página das Bíblias e as queimou, com lágrimas escorrendo no rosto. A avó a confortou, dizendo: “Podemos queimar as Bíblias desde que permaneçamos fiéis à nossa fé em Deus”.

Ao passar pela casa, os moradores do vilarejo espreitavam para ver se elas ainda estavam lá, pois todos esperavam que a família fosse expulsa. Quando ouvia um barulho de carro de madrugada, Hee Young ficava atenta para ver se ouvia barulho de pisadas na direção de sua casa. Eles viveram nessa incerteza por três anos, até que foram obrigados a se mudar para uma aldeia isolada para pessoas das classes mais baixas. Era uma pena alta, mas melhor que a prisão. Anos depois, Hee Young conseguiu fugir para a Coreia do Sul através da China. Ela sobreviveu para contar a história, diferente de muitos outros. Segundo fontes da Portas Abertas na Coreia do Norte, a história de Hee Young não é uma exceção nem algo extraordinário, pois todos os anos muitos cristãos são descobertos e punidos por seguir a Cristo.