Anterior

ANTERIOR

Mulher volta a enxergar após receber oração de evangelista na rua

20/04/2018

Universo Cristão

Vereadores impedem distribuição de boneca com genital masculino, batom e roupa rosa em Jataí (GO)

Brinquedos geraram polêmica após serem doados às crianças de Goiás pela OVG. Organização disse que não tinha intenção de polemizar nenhum assunto

Fonte: G1 | 15/12/2017 - 09:00
Vereadores impedem distribuição de boneca com genital masculino, batom e roupa rosa em Jataí (GO)

A distribuição de bonecas que têm genital masculino, boca rosada e vestido e faixas na cabeça causaram polêmica, nesta quinta-feira (14), em Goiás. Nas redes sociais, internautas tiveram opiniões diversas sobre o assunto. No município de Jataí, no sul de Goiás, os vereadores barraram a distribuição dos 1,6 mil caixas com os brinquedos. Os políticos enviaram um ofício à prefeitura da cidade pedindo que elas não fossem entregues às crianças.

“Parece ser uma boneca do sexo feminino, mas com o genital masculino. Isso que nos trouxe indignação. Não aceitamos e entendemos que é apologia fazer a distribuição a um público tão frágil e tão vulnerável como é o das crianças”, disse o vereador Gildenício Santos (PMDB), em entrevista à TV Anhanguera.

Os 110 mil brinquedos foram doados nos municípios goianos pela Organização das Voluntárias de Goiás (OVG). Pais de algumas crianças que receberam as doações também reclamaram.

O diretor da OVG, Anderson Augusto Tavares de Souza, explicou que o órgão fez as doações dos mesmos brinquedos em 2016, em Goiânia, e não houve qualquer discussão. “Nos colocamos até surpresos em relação a essa polêmica, porém, respeitamos a opinião pública. A gente acredita que está havendo um equívoco, porque não é a intenção causar nenhum tipo de polêmica”, afirmou.

Por meio de nota, a Organização pontuou que “eventuais devoluções serão encaminhadas a entidades filantrópicas cadastradas na Organização”. O texto destaca ainda que os brinquedos seguem sendo distribuídos até o próximo domingo (17) e que as bonecas representam 15% do total dos itens distribuídos.

Opiniões diversas

Moradoras de Novo Gama, no Entorno do Distrito Federal, as filhas da dona de casa Neliane Macedo, ficaram felizes com os brinquedos novos. No entanto, quando a mãe viu as bonecas ficou surpresa com a presença do genital masculino.

“Porque dela ter batom, dela ser de roupa rosa, sendo que ela é um menino? Veio o questionamento se não tinha como tirar o órgão genital da boneca para ela continuar sendo menina, já que a roupa era rosa, já que ela estava de batom”, pontuou.

O eletricista Lucas Nascimento, disse que não vai tirar a boneca da filha. No entanto, discorda da atitude da OVG de fazer a distribuição do brinquedo sem consultar os pais.

“A criança fica sem saber o que fazer, né? Porque não sabe realmente se é menino ou se é menina, entendeu? Gera uma confusão na cabeça da criança”, pontuou.

Já a psicanalista Carmem Bruder avaliou que o brinquedo não gera questionamentos às crianças, já que o principal objetivo delas é aproveitar o presente e o Natal com os amigos.

“Não há como a gente pensar que uma criança olhe para uma boneca e veja numa boneca um transexual. Essa criança teria que saber tanta coisa sobre o mundo que ela ainda não sabe e também não se importa com isso. Ela quer brincar com a boneca e ganhar o presente do Papai Noel”, esclareceu.

Internet

As imagens das bonecas distribuídas em Goiás também dividiram opiniões nas redes sociais. Após a divulgação das fotos dos brinquedos, algumas pessoas não viram problema com a anatomia e roupas dos brinquedos. Outras pessoas não concordaram com a distribuição dos presentes.

Uma internauta, que se identificou como moradora de Pontalina disse que a neta recebeu uma das bonecas e adorou o presente. “Minha neta deu o nome de Juliano e está adorando brincar. Menos preconceito, tudo agora é homofobia, não influencia em nada a sexualidade das crianças. Desrespeito é maldade no coração de cada um”, pontuou.

Outro internauta comentou que nem mesmo viu maquiagem no brinquedo. “O boneco do sexo masculino não está de batom, gente. A coloração da boca é vermelha, assim como de qualquer boneco”, disse.

Mais uma internauta afirmou que aceita os brinquedos rejeitados por quem não gostou. “Quem não quiser pode manda para mim recebo todas. Eu vou ficar muito feliz”, afirmou.

Uma mãe que também entrou na discussão afirmou em um comentário que as bonecas não vão fazer diferença na visão de mundo das crianças. “O que vai fazer e influenciar a cabeça dele é o que eu ensino a ele e mostro que é certo ou errado”.

Apesar de várias pessoas ficarem indignadas com a polêmica gerada pelos presentes, muitos internautas se revoltaram com a genitália e vestimentas dos brinquedos. Uma internauta, por exemplo, compartilhou as fotos dizendo: “Achei uma aberração expor órgãos genitais dessa forma, induzir "menino" a usar batom. [...] Na minha opinião tudo tem a hora certa e a maneira certa para abordar com crianças”, disse.

Outra mãe que também entrou no debate não concordou com a distribuição das bonecas. “Está de batom e tem pinto. Minha filha vai ser ensinada que menina nasce menina e menino nasce menino. Pode falar o que quiser. Na minha família eu ensino o que é certo, não o que os outros acham”.

Mais uma internauta discordou a distribuição dos presentes. “Vou criar meu filho dentro da minha religião com princípios que aprendi com meus pais e darei os brinquedos que acredito ser certos pois não concordo com ideologia de gênero”, afirmou.