Anterior

ANTERIOR

Presos por sua fé, cristãos testemunham avivamento na prisão: `Pessoas vieram a Cristo´

24/11/2017

Universo Cristão

Cristão foi preso por evangelizar e realizar curas, mas não desistiu de anunciar o Evangelho no Laos

Beun viajava de motocicleta por todo o país para falar de Jesus aos amigos e familiares

Fonte: Portas Abertas | 09/11/2017 - 08:00
Cristão foi preso por evangelizar e realizar curas, mas não desistiu de anunciar o Evangelho no Laos

Beun* é um cristão de 61 anos que vive no norte do Laos. Ele aceitou Jesus em 2000, na ocasião da morte de seu irmão, que havia sido ajudado por uma família cristã. Quando Beun foi levar comida como uma oferta de gratidão à família por ter cuidado de seu irmão, eles não aceitaram dizendo que eram cristãos. Essa família falou do amor de Jesus para Beun e ele imediatamente o recebeu em seu coração.

Através da cura de um homem que tinha pedras nos rins e já tinha passado até mesmo por uma cirurgia sem que o problema fosse resolvido, Beun descobriu seu ministério de cura. Quando desenganado pelos médicos, o homem pediu ajuda a Beun, que orou por ele e falou de Jesus. O homem aceitou Jesus e, numa noite em que estava em grande dor, teve um sonho em que um homem de vestes brancas lhe dava água. Depois ele conseguiu dormir e quando acordou estava curado.

Beun explica: “Muitas pessoas no Laos vieram a Jesus porque foram curadas ou viram alguém ser curado. Eu nem preciso sair para evangelizar, porque as pessoas vêm a mim para ser curadas ou para saber mais sobre Jesus”. O cristão relata outras curas através de sua oração e jejum, o que fez com que sua fé crescesse, assim como seu desejo de compartilhar o evangelho. Ele começou a viajar de motocicleta por todo o país para falar de Jesus aos amigos e familiares.

“Pressionados, mas não desanimados”

Mas nem todos ficaram felizes com as curas, e a perseguição se apresentou de várias formas. As autoridades locais queriam capturar Beun, então espalharam fotos suas na região, alertando a todos que ele visitava as aldeias somente para falar de Jesus. Além disso, vizinhos envenenaram suas galinhas e atiraram em seu búfalo. Por fim, ele foi preso e, por cinco meses, compartilhou uma cela de quatro metros quadrados com outras 21 pessoas.

Após ser libertado da prisão, Beun foi para outra cidade ter um tempo de descanso e estudo bíblico, mas foi também um meio de evitar a perseguição. Durante esse tempo, ele foi desafiado pela passagem bíblica de João 10. Jesus diz que é o bom pastor, que dá a vida pelas ovelhas; diferente do assalariado, que quando vê que o lobo vem, abandona as ovelhas e foge. “Esse versículo me encorajou a continuar pregando o evangelho. Se eu não fizer, sou como o assalariado, que foge quando vem a perseguição”, testemunha. “Se Deus quiser que eu morra para fazer sua vontade, estou disposto a dar minha vida por Jesus”, conclui o cristão.

Graças à sua contribuição, a Portas Abertas pôde ajudar Beun a construir uma casa na saída da aldeia, que também será usada para treinamento e adoração. O cristão e a esposa começarão a plantar cogumelos como um meio de subsistência. “Nós vamos ensinar os pastores que virão para ser treinados a cultivar cogumelos, assim eles podem se sustentar enquanto falam sobre Cristo”, compartilha. Junto com outros pastores e líderes da região, o irmão viaja para outros vilarejos distribuindo Bíblias, dando cursos e fazendo cultos de adoração a Jesus.

*Nome alterado por motivo de segurança.