Anterior

ANTERIOR

Em recado a Trump, Irã ameaça reduzir Israel `a pó, na velocidade de um relâmpago´

18/09/2017

Universo Cristão

Jovem forçado ao terrorismo é liberto com ajuda de missionários

Isaac foi sequestrado por um grupo de extremistas islâmicos e contou que era obrigado a matar outras pessoas

Fonte: Guia-me / com informações da CBN News | 13/07/2017 - 15:00
Jovem forçado ao terrorismo é liberto com ajuda de missionários

Na Uganda, jovens estão sendo sequestrados para participarem forçadamente de um treinamento hediondo. Um deles foi Isaac, de 14 anos. Ele foi resgatado por uma organização cristã e contou detalhes sobre o que aconteceu durante sua passagem pela “escola” dos chamados crianças-soldado.

"Disseram que eu tinha de matar as pessoas com armas e que isso não era nada demais. É como se você não tivesse matado. Para minha iniciação, eles me entregaram um machado e mandaram matar um homem. Eles disseram que se eu recusasse, me matariam", respondeu para a reportagem do site CBN News.

Isaac falou sobre quando o chegaram em sua aldeia e o sequestraram. "Eu disse a minha mãe para correr, pois ia me trancar em casa, mas eles chegaram muito rápido". O adolescente se escondeu, mas os extremistas incendiaram sua casa e ele acabou sendo capturado e forçado a se tornar uma criança-soldado. Ele e muitos outros receberam uniformes.

"Meu amigo se recusou a vestir o uniforme", lembra. "Eles me fizeram assistir meu amigo sendo morto, recebendo tiros nas costas". Isaac vestiu o uniforme. Ele e outros dois garotos foram obrigados a matar um homem. "O senhor deitado no chão estava chorando dizendo que era inocente. Mas os comandantes gritaram: ‘Mate-o, mate-o’. Se eu não tivesse feito isso, seria eu no lugar dele. Foi o pior momento da minha vida", contou.

Espancado

Ele tentou fugir muitas vezes, mas foi pego e espancado quase até a morte. Durante uma batalha, ele foi baleado na perna, e mais tarde forçado a continuar marchando. "Eu orava o tempo todo, pedindo a Deus que me tirasse de lá e que me levasse para casa". Sabendo que ele seria morto se fosse pego novamente, Isaac planejava outra fuga. Ele foi buscar água, mas não retornou.

"Quando eles vieram atrás de mim, eu me escondi em uma plantação de banana", disse. "Eu ouvi um deles dizer: ‘Se o pegarmos, nós o cortaremos em pedaços e o levaremos de volta. Vamos mostrar a todos que é isso o que acontece quando se tenta escapar’". Os soldados acabaram desistindo de sua busca e deixaram. Agora Isaac poderia finalmente ir para casa.

“Quando cheguei em casa, as pessoas estavam com medo e disseram a seus filhos que ficassem longe de mim. Eu me senti tão culpado. À noite sonhei com tudo o que fui forçado a fazer, e acordei gritando”, relembrou. Então Isaque foi a uma reunião em sua vila realizada pela “Exile International”, projeto apoiado pela CBN. Através de terapia, canto e teatro, a iniciativa ajuda muitas vítimas da guerra a serem curadas do terrível trauma.

Uma nova vida

A organização abraçou Isaac que foi matriculado em um internato cristão, onde ele fez muitos amigos. "Isso me deixa feliz. Meu uniforme escolar sempre está limpo e fresco, e cheira bem. O outro uniforme me obrigava a fazer coisas ruins, e sempre estava sujo. Quando coloco o uniforme da escola, meus pensamentos são bons e estou tão orgulhoso de usá-lo", disse.

“Ler minha Bíblia me traz muita paz. Eu sei que Deus é a razão pela qual eu sobrevivi. Sem Ele eu estaria morto. Ele conhece os planos que tem para mim, e eu sei que estou completamente livre e perdoado”, finalizou.