Anterior

ANTERIOR

Cristão é condenado à morte por suposta ´blasfêmia´ contra Maomé, no Paquistão

18/09/2017

Universo Cristão

Ex-ateu que inspirou personagem de `Deus Não Está Morto´ se converteu estudando a ciência

MingUm dos principais personagens do filme, Martin Yip, foi inspirado na vida do chinês X. Wang, que hoje é um renomado oftalmologista nos EUA

Fonte: Guia-me / com informações de Faithwire | 12/07/2017 - 11:10
Ex-ateu que inspirou personagem de `Deus Não Está Morto´ se converteu estudando a ciência

Um dos principais personagens do filme “Deus Não Está Morto”, Martin Yip, era um ateu que se converteu ao cristianismo na faculdade. O que muitos não sabem é que sua história é baseada na vida do chinês Ming X. Wang, que hoje é um renomado oftalmologista nos Estados Unidos.

Wang deixou a China aos 21 anos, depois que as universidades do país foram prejudicadas pela Revolução Cultural Chinesa. Com uma família que sempre priorizou os estudos, seus pais juntaram dinheiro para enviá-lo aos Estados Unidos.

“Eu cresci como um ateu em uma família que acreditava apenas na ciência”, disse Wang, ao site Tennessean. “Minha prioridade estava na bolsa de estudos, no aprendizado e na ciência. A educação sempre foi o mais importante”.

Chegando nos EUA para uma nova vida, Wang ficou surpreso com a riqueza do país. “Foi chocante, porque a lavagem cerebral comunista que recebi durante anos me ensinou que a América era um país muito pobre”, disse ele.

Foi na Harvard Medical School, a faculdade de medicina da Universidade Harvard, que Wang passou por uma transformação que foi além dos argumentos acadêmicos. Durante suas pesquisas, ele começou a questionar se estruturas tão complexas do corpo humano seriam resultado do evolucionismo.

“Eu aprendi que o número de sinapses no cérebro de uma pessoa é maior do que todas as estrelas que já foram descobertas no universo”, disse Wang. “Eu calculei matematicamente que teria levado trilhões e trilhões de anos para uma estrutura tão complexa, como o olho humano, evoluir aleatoriamente, já que o universo existe apenas há 13 bilhões de anos”.

“A ciência, ou pelo menos a ciência sozinha, não consegue fornecer a resposta de como uma estrutura tão complexa como o olho humano é formado”, ele concluiu.

Influenciado por um professor que mostrou provas da existência de Deus, Wang se converteu ao cristianismo ainda na faculdade.

“Eu percebi que a fé e a ciência têm duas finalidades diferentes, elas são os dois lados da mesma moeda: a ciência fala sobre o que as coisas são, a fé fala sobre por que as coisas são”.