Anterior

ANTERIOR

Idosa é proibida de exibir versículo em sua porta ao invés de enfeites de Natal, nos EUA

15/12/2017

Universo Cristão

Cristãos vivem situação complicada no Iêmen

Segundo Portas Abertas, o país é o 9º na Classificação de Perseguição 2017

Fonte: Portas Abertas | 16/06/2017 - 08:30
Cristãos vivem situação complicada no Iêmen

A história a seguir foi compartilhada por uma comunidade de cristãos ex-muçulmanos, ativa no Iêmen, empenhada em conscientizar as pessoas sobre sua existência na Península Arábica, além de compartilhar seus ensinamentos e testemunhos de forma ampla e segura.

Apesar da situação humanitária no país ser uma das mais severas do mundo, a guerra que já dura 2 anos tem pouca visibilidade. A situação dos cidadãos é delicada de uma forma geral e a dos cristãos é um pouco mais difícil devido a perseguição religiosa nessa nação que ocupa o 9º lugar na atual Lista Mundial da Perseguição. Mesmo assim, há espaço para histórias de amor, e na semana do Dia dos Namorados, queremos compartilhar uma delas.

Durante muito tempo, a cristã iemenita conhecida como Nadeen* não tinha com quem compartilhar sua fé, então passou a manter contato online com alguns irmãos. Antes mesmo do início da guerra civil no Iêmen, em 2015, ela já era convertida ao cristianismo. Sua família não sabia, e como uma mulher solteira de família muçulmana, ela não podia sair de casa sozinha, mas desejava muito participar das reuniões de oração com os demais cristãos. Na impossibilidade, ela acabou participando de um grupo pelo Facebook.

"Compartilhávamos testemunhos, mas eu queria ter uma experiência real com um grupo de cristãos", conta. Mais tarde ela começou a trabalhar em um banco, então tinha um motivo justo para sair de casa, até que começou a se reunir com outros fieis depois do expediente. Foi assim que Nadeen conheceu um médico e também cristão ex-muçulmano, com quem se casou. "Deus preparou um caminho para que eu me casasse com alguém da mesma fé. Considero meu casamento como uma expressão da graça de Deus em minha vida", conclui. 

*Nome alterado por motivos de segurança.