Anterior

ANTERIOR

Premiê de Israel quer discutir mudança da embaixada brasileira na posse de Bolsonaro

18/12/2018

Universo Cristão

Com mais de 150 igrejas, Judaísmo Messiânico ganha força em Israel

Judeus messiânicos estão passando por uma transformação constante em Israel: da desconfiança e aversão para o reconhecimento e aceitação

Fonte: Guia-me | 02/12/2014 - 10:00
Com mais de 150 igrejas, Judaísmo Messiânico ganha força em Israel

Depois do Holocausto, quando Israel se tornou uma nação novamente, em 1948, o Judaísmo Messiânico – um movimento de judeus que aceitaram Jesus (Yeshua) como Messias, mas que seguem ainda práticas do judaísmo –, tem crescido continuamente em todo o mundo.

Mas, qual é a situação do Judaísmo Messiânico em Israel?

Por Israel estar localizado na área mais perigosa do mundo, cercado por países islâmicos hostis à sua presença na região, os judeus tornaram-se pessoas cautelosas quanto aos que “vêm de fora”, principalmente depois de quase dois milênios de antissemitismo na Europa. Assim, as missões cristãs voltadas aos judeus de Israel foram muitas vezes atendidas com suspeita. No entanto, algumas têm sido bem sucedidas, especialmente as equipes que são sensíveis ao suporte do judaísmo messiânico.

Muitas instituições missionárias são ativas em Israel. O grupo “Judeus por Jesus” tem um novo centro em Tel Aviv. A “Fundação Judeu Cristão” não faz apenas o trabalho missionário, mas também dá suporte a alguns pastores nacionais. O “Ministério Povo Escolhido” tem centros em Jerusalém e Tel Aviv, e igrejas em Jerusalém, Tel Aviv, Ashkelon, Ashdod e Ariel. O “Maoz” é uma organização israelense que publica livros em hebraico. 

No entanto, a maior parte do trabalho evangelístico em Israel não é feito através de instituições missionárias, mas sim por igrejas messiânicas locais. As maiores estão em Tiberias, K'far Saba, Netanya, Jerusalém e Joffa. Há mais de 150 igrejas em Israel com até 15 mil judeus messiânicos crentes, dos quais cerca de 60% falam o russo como sua primeira língua.

Israel é um país pequeno, e estas igrejas são facilmente notadas por seus colegas israelenses. Cada vez mais, Israel está consciente de que há judeus que confiam em Jesus como o Messias e Salvador, assim como na época do Novo Testamento.

Essas igrejas judaicas messiânicas estão sendo lideradas por israelenses, mesmo que elas tenham uma mistura de judeus e gentios. A maioria das mensagens é em hebraico (às vezes russo, aramaico, francês ou espanhol). A música também tem o estilo de adoração israelense. As melodias têm um tom distintamente do Oriente Médio. A maioria se reúne aos sábados, dia do culto dos judeus. A igrejas de Yeshua é nitidamente judaica.

Os judeus messiânicos estão ganhando mais aceitação em Israel. Em vez de serem vistos como ameaças para os israelenses, eles são reconhecidos como amigos, concidadãos, e uma parte ativa da sociedade israelense. Os judeus messiânicos estão ganhando confiança para auxiliar a nação materialmente durante períodos de conflitos, com o fornecimento de alimentos, roupas, remédios e outros suprimentos.

Muitos judeus messiânicos servem no exército, na sua maioria filhos de imigrantes vindos dos Estados Unidos e da Europa, que foram criados em Israel. Isso mostra a unidade com o povo.

Em um programa de televisão israelense, foi exibida uma família judia messiânica celebrando o Shabat e as outras comemorações tradicionais dos judeus, passando uma impressão muito boa para outros judeus em Israel. Os seguidores de Yeshua já não são vistos como pessoas que ficam longe. Agora, eles são abraçados como companheiros de luta na vida israelense.

Os líderes de igrejas em Israel afirmam que precisam fazer alianças com os pastores do Ocidente. Muitos gostariam de receber orações, comunhão e apoio – por vezes financeiro –,para projetos especiais. A maioria dos pastores israelenses é de pioneiros que precisam de mentores espirituais mais experientes para orientá-los.

Atualmente, a percepção dos judeus messiânicos está passando por uma transformação constante em Israel: da desconfiança e aversão para o reconhecimento e aceitação. Através do amor de Yeshua, a ponte entre os judeus messiânicos e ortodoxos é cada vez menor.