Anterior

ANTERIOR

500 anos da Reforma: uma reflexão para a igreja atual

22/09/2017

Próximo

PRÓXIMA

Evangélico e juiz da Operação Lava Jato

25/10/2017

Mensageiro da Paz

Curada de câncer em culto de Santa Ceia

Mensageiro da Paz (Novembro/ 2017)

24/10/2017 - 00:00

O câncer ainda hoje é considerado uma doença letal e que atinge não somente o organismo do paciente, mas a familiares eamigos da vítima que, envolvidos  emocionalmente, também sofrem com o desenvolvimento da moléstia incluindo o processo terapêutico ou mesmo a metástaseno corpo do paciente, à partir da descoberta da doença até o desfecho  final do óbito lavrado pelos médicos que atenderam a pessoa. Dentre tantos que enfrentaram os rigores da temida doença esteve Mariscema Martins Pereira, a quem o Senhor havia dito que atravessaria momentos difíceis, mas com a promessa de que tudo terminaria bem.Mariscema Martins Pereira é dirigente do Círculo de Oração na igreja onde congrega juntamente com o esposo Valdeci Pereira, pastor setorial da congregação de Santa Cruz da Serra, distrito do município de Jaru (RO), ligado ao campo eclesiástico liderado pelo pastor Manoel Cardoso da Cruz. A dirigente milita na causa do Evangelho desde a sua juventude.

Ao longo de sua trajetória  arecia tudo correr bem com a sua família que inclui cinco filhos e cinco netos. Era um momento de prosperidade em sintonia com a obra de Deus. Mas em 1996, em um culto de oração na igreja onde ela congrega-se, o Senhor falou através de uma profecia que ela enfrentaria um período de provação, mas que não devia temer, pois a vitória sobre as lutas era garantida. Logo a dirigente viria a manifestar os sintomas do câncer pelo seu corpo. A Ciência explica que as causas do surgimento do câncer no organismo humano são variadas, podendo ser externas ou internas, de modo que estejaminter-relacionadas. As causas externas estão relacionadas ao  meio ambiente e aos hábitos ou demais costumes do ambiente social ou cultural, quanto às causas internas, relacionam-se à capacidade do organismo do ser humano de oferecer resistência às agressões externas.

Mais tarde o seu organismo iniciou o doloroso processo noqual a enfermidade se manifestaria e o seu corpo apresentou caroços espalhados por todas as partes. Alarmada com o que parecia ser algo muito grave,ela procurou logo atendimento médico e compareceu a diversos consultórios, sendo que um dos especialistas disse a ela que poderiaser um problema de grande magnitude, apesar disso preferiunão atendê-la naquele momento. A recusa do médico fez com que a sua angústia aumentasse ainda mais. Sem um diagnóstico preciso do que acontecia em seu corpo e com fortes suspeitas de que fosse câncer, ela resolveu viajar até Goiânia (GO) em busca de um tratamento adequado, considerando que, na época, na região onde morava não podia dispor de recursos médicos para enfrentar a doença. “Não tínhamos condições financeiras para a nossa manutenção em Goiás, mas o Senhor cuidou de nós e colocou em nossos caminhos uma de Suas filhas, a irmã Marlene, que ofereceu o seu lar e abrigou- nos enquanto estive em Goiânia. Anteriormente, Deus já avisara a minha benfeitora que ela deveria abrigar-me juntamente com meu marido. Ficamos hospedados emsua casa por três meses”, lembra. Mariscema não perdeu tempo e iniciou os exames laboratoriais.

O resultado da biópsia detectou câncer invasivo; isto significava que a doença já estava em estágio avançado, já havia sido um carcinoma in situ (não invasivo), mas como já havia progredido, a moléstia já tinha invadido outras camadas celulares do órgão afetado e passou a se disseminar para outras regiões do corpo. “A partir daquele momento iniciei um longo caminho de tratamento e cuidados médicos, em primeiro lugar foi o procedimento cirúrgico; realizada a cirurgia, os médicos indicaram o processo de quimioterapia; foram necessárias 17 sessões de quimioterapia e 28 radioterapias, mas tudo em vão”, informou Mariscema. O pastor Valdeci Pereira retornou à Rondônia e Mariscema permaneceu em Goiânia, mas a solidão e os sintomas em seu corpo a levaram a um quadro de depressão. Diante desse quadro devastador, outra situação a constrangeu ainda mais: a desconfiança de conhecidos e familiares que opinaram dizendo que a sua situação era consequência de algum “pecado oculto”. Decepcionada com o que ouviu, ela foi conversar com Deus que lhe respondeu através de uma de Suas filhas: “Você pediu uma resposta e Eu lhe digo que você atravessa uma provação e  a intenção do Maligno é jogar-te no leito de dor para não mais levantar. Mas sabe por que o demônio não conseguiu o seu objetivo? Por causa das orações da Igreja”.

A grave situação de Mariscema comoveu os crentes com os quais orou e compartilhou experiências e logo intercederam ao Senhor em seu favor.Concluída a série de sessões e sem constatar resultados positivos, a paciente retornou à Rondônia, pois o médico disse que lhe daria férias, mas teria o compromisso de retornar no prazo de três meses para continuar o tratamento; mas a dirigente tomou decisão diferente. “Vencendo esse prazo coloquei no meu coração de não voltar mais e sim confiar no Senhor Deus, mas as lutas e as enfermidades cancerígenas ainda persistiram por aproximadamente um ano”, disse. Mas chegava o momento da promessa divina cumprir-se naquele quadro desolador: o então responsável da igreja em Santa Cruz da Serra, pastor Marinho José Rodrigues (hoje residente na cidade de Bom Jesus, distrito de Jaru) recebeu de Deus a missão de ajudar Mariscema através do clamor acompanhado por jejum, a partir das 6h até as 21h, intercaladamente. Apesar de não compreender totalmente os reais motivos para esta convocação, o servo de Deus obedeceu ao chamado celestial e prontamente obedeceu. “Mesmo sabendo que havia culto de oração na igreja, eu não pude comparecer no período da manhã, apesar disso, eu permaneci em oração em minha casa, e quando o relógio marcou 15h desloquei-me para o templo a fim de participar da consagração até o final”, revela.

Na noite daquele domingo,na igreja em Santa Cruz da Serra foi celebrada a Santa Ceia do Senhor, e ao longo da cerimônia, Mariscema sentiu a região afetada queimar. No término do culto, o pastor Marinho José Rodrigues convidou aos enfermos que fossem receber oração de toda a igreja reunida, Mariscema obedeceu ao convite do pastor e recebeu a oração da fé. O Senhor operou o milagre. “Esqueci da enfermidade e ao chegar em casa eu percebi que o tumor havia desaparecido. Voltei para a minha casa curada do câncer. Honra e glória ao Senhor”. Hoje Mariscema Martins Pereira é uma pessoa que desfruta total saúde juntamente com o esposo, filhos e netos. Ela realiza seus deveres domésticos sem limitações. Logo após sentir o seu corpo já livre da enfermidade, ela realizou o exame e nada foi constatado, depois viajou para o Mato Grosso onde testemunhou do poder de Deus em sua vida. 

  Para adquirir ou assinar!