Anterior

ANTERIOR

Pastor José Wellington: um legado para AD no país

25/04/2017

Próximo

PRÓXIMA

Islâmicos copiam pentecostais para crescer

25/05/2017

Mensageiro da Paz

Cura, salvação e evangelização no Vietnã

Mensageiro da Paz (Junho/ 2017)

24/05/2017 - 00:00

Dao Sanh se lembra bem daquela noite em que tudo começou. Era agosto de 1996. Sua esposa, Han, se queixou de uma dor de cabeça e foi se deitar mais cedo. Já no início da manhã seguinte, ele foi despertado pelos gemidos e violentas convulsões que ela estava sofrendo ao seu lado. Quando as crises cessaram, ela permaneceu com o lado direito de seu corpo paralisado. Logo, Dao correu para o templo budista do outro lado da sua aldeia, no Vietnã, buscando algum tipo de ritual que pudesse curar sua esposa. Alguns líderes cantaram orações e mantras de cura durante dois dias, mas a paralisia continuava e ela ainda tinha dificuldades para falar. Isso foi devastador para a família, não apenas pessoalmente, mas economicamente.

Dao era um agricultor e teve de diminuir seu tempo na lavoura para cuidar da esposa, da casa e dos três filhos pequenos. Dias depois, missionários chegaram à sua aldeia vindos de outro vilarejo. Eles pregaram sobre Jesus e perguntaram se alguém naquela vila precisava de oração. Quando souberam o que estava acontecendo na casa de Dao, se dirigiram à sua porta e disseram que queriam orar por sua esposa. Ele não entendia que religião era aquela ou quem Jesus era, mas os levou até Han. Aqueles evangelistas cercaram sua cama e oraram por ela. Dao achou aquelas orações “estranhas”, pois agradeciam a Jesus por já ter curado Han através do poder “do Seu sangue”. Mas, três dias depois, ela stava curada! Maravilhados, Dao e Han procuraram os cristãos para saber mais sobre Jesus.

Eles ficaram impactados, quando ouviram a respeito do Filho de Deus, que desceu à Terra para se sacrifi car na cruz para salvar a humanidade. O casal se admirou ao saber que Ele ressuscitou, está na glória e todos os que O seguirem se juntarão a Ele no Céu. o casal se entregou a Jesus e passou a estudar a Bíblia. Naquela época, os evangélicos não tinham representação forte na região de Dao. A esmagadora maioria dos vietnamitas apoia o Budismo Mahayana e a única igreja cristã com templo era a Igreja Católica. Mas, Deus usaria Dao para mudar isso. Na região noroeste de Hanói, entre os budistas, o cristianismo não era bem-vindo, mas Dao sentiu o chamado para levar o evangelho às aldeias da região. Ele não sabia como iniciar, então foi ao mercado próximo e começou a pregar. No início, foi ignorado ou ridicularizado como louco e fanático. Impulsionado por sua paixão por Jesus e pelos perdidos, ele perseverou e começou a atrair a atenção de um número cada vez maior de pessoas.

Alguns começaram a ouvi-lo. Então, ele compartilhou o testemunho da cura milagrosa de Han e atraiu atenção sufi ciente para começar uma reunião semanal e iniciar uma igreja em sua casa. Certa noite, dois policiais bateram à sua porta. Tinham recebido queixas sobre sua pregação, sobre seu “recrutamento” de pessoas para sua “nova religião”. Dao Sanh perguntou quem tinha se queixado. Eram todos seguidores budistas e alguns eram membros de sua própria família. “Não estou fazendo nenhum mal. Não há nenhuma lei nesse país que me proíba de seguir outra religião. Certamente posso pregar para as pessoas”, respondeuele aos policiais. Os oficiais afi rmaram o absurdo de que Dao estava perturbando a paz pública. “Você está causando perturbação”, disseram-lhe. “Há muitas maneiras de quebrar a lei e muitas maneiras de nós cobrarmos por isso, se é que você me entende...”, ameaçou o policial. Mas, Dao não se intimidou.

No dia seguinte, foi ao lugar onde geralmente pregava e continuou a falar de Jesus e a distribuir exemplares do Novo Testamento. Em 30 minutos, ele já tinha reunido uma multidão considerável e alguns estavam ouvindo sua mensagem com muita atenção. No meio da mensagem, a polícia chegou e arrastou-o enquanto ele pregava. Depois de uma noite na cela, interrogaram: “Por que você está fazendo isso? Você foi um budista por toda a sua vida. Você é de uma bela família budista. Pare com isso”. Eles disseram a Dao que poderiam libertá-lo se concordasse em parar de pregar “sua falsa religião”, mas recusou, então o jogaram de volta na cela, onde passou uma semana. Após ser solto, voltou a pregar. Duas semanas depois, foi preso de novo. Dessa vez, foram 9 dias de prisão. Ao ser solto, continuou a pregar até ser preso outra vez, ocasião em que passou um mês preso. Ao sair, continuou a pregar e ainda: criou um grupo de estudo bíblico em sua casa, que crescia a cada encontro. Meses depois, a polícia apareceu em sua casa, exigindo que parasse de ensinar sobre Jesus. Durante os 13 anos seguintes, Dao foi preso diversas vezes por pregar a Palavra. Suas libertações eram seguidas por outras detenções. Mas, até na prisão, ele pregava. Ali, ele tinha um grande público, ávido por ouvir suas pregações, não apenas por estarem encarcerados, mas porque Dao testemunhava diariamente sobre Jesus. Dentro do sistema prisional, ele começou a realizar cultos e estudos bíblicos. As autoridades se cansaram de tentar impedi-lo.

Então, após alguns anos, à medida que os movimentos religiosos se tornaram mais ativos no Vietnã, a atitude do governo suavizou e as licenças foram concedidas a certas organizações para promover suas crenças. Logo, numa tarde, Dao foi interrompido enquanto orava na sua cela. Era o guarda da prisão, que o levaria ao escritório do diretor do presídio. Ao chegar lá, o diretor examinou Dao por alguns segundos, ordenou que sentasse e disse: “Você está neste lugar há muito tempo e não tem sido um prisioneiro fácil. As regras e punições não surtem efeito em você, aparentemente”. “Senhor...”, começou Dao Sanh, mas o diretor levantou a mão para silenciá-lo. “Se você for liberto”, disse o diretor, “vai continuar com sua pregação cristã?”. Disse Dao: “Continuarei a pregar sobre Jesus”. O diretor acenou com a cabeça e informou: “Tenho aqui um certifi cado, uma licença que permite que você pratique sua religião sem impedimentos”. Dao Sanh não conseguia acreditar no que estava vendo e ouvindo. “Em Hanói?”, perguntou ele, sem fôlego.

“Não. Em todo o Vietnã”, respondeu o diretor. De repente, depois de 14 anos lutando para pregar o evangelho em sua própria aldeia, todo o Vietnã se tornou seu campo missionário. Ele não tinha ideia sobre onde poderia começar. Mas o Senhor Deus sabia, porque era o Seu plano o tempo todo. Dao Sanh sabia de uma coisa, com certeza: ele teve que levar a mensagem de Jesus para as aldeias. Somente no ano seguinte, o ministério deste simples e fiel agricultor deu origem a 60 novas igrejas no Vietnã. Oremos pelo irmão Dao Sanh e louvemos a Deus por sua vida! (Fonte: God Reports).

  Para adquirir ou assinar!