Anterior

ANTERIOR

Crise migratória gera tensão entre Itália e França

13/06/2018

Próximo

PRÓXIMA

Moeda rara com imagem de George Washington será leiloada

13/06/2018

Giro pelo Mundo

Iêmen tem a maior batalha na guerra de três anos

A aliança liderada pela Arábia Saudita lançou ataque para retomar porto na cidade de Hodeida, a quarta maior do país, controlada pelos houthis

Fonte: R7 / com informações agências internacionais | 13/06/2018 - 16:00
Iêmen tem a maior batalha na guerra de três anos

A principal cidade portuária do Iêmen, Hodeida, foi palco, nesta quarta-feira (13), da maior batalha na guerra neste país, que já dura três anos. A aliança liderada pela Arábia Saudita lançou um ataque para retomar o porto local, sob controle dos rebeldes houthis, apoiados pelo Irã.

A ação, denominada "Vitória Dourada", teve o apoio do governo iemenita, reconhecido internacionalmente. As operações foram aéreas e marítimas, para dar apoio à entrada do exército iemenita por terra. As tropas se concentraram ao sul do porto, localizado no Mar Vermelho.

Os ataques tiveram início a partir do fim do prazo estabelecido para os houthis pelos EAU (Emirados Árabes Unidos), que apoiam a Arábia Saudita. A exigência era de que os grupos rebeldes deixassem até esta quarta o porto. Eles já controlam a capital do país, Sanaa.

No Irã, as notícias foram em relação a uma suposta reação dos houthis, que teriam atingido um navio de guerra dos EAU e obrigado um segundo encouraçado a deixar a área, para evitar danos.

Com cerca de 600 mil habitantes, Hodeida, a quarta maior cidade do país, é considerado um ponto estratégico inclusive para manter a segurança da população iemenita que vive atualmente sob o comando dos houthis.

O Conselho de Segurança da ONU reuniu-se na segunda-feira (11), na tentativa de impedir um ataque, que já era iminente. Em comunicado, o grupo de reflexão sobre conflitos, ICG (International Crisis Group), advertiu:

"Uma batalha por Hodeida será certamente longa e deixará milhões de iemenitas sem alimentos, combustível e outros fornecimentos vitais".