Anterior

ANTERIOR

TSE aprova resoluções com novas datas para o processo eleitoral

13/08/2020

Giro pelo Brasil

Conheça as vantagens da nova gasolina que chega no mês que vem

Novidade terá menos chances de adulteração

Fonte: O Dia / com informações IG / Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil | 13/07/2020 - 11:20
Conheça as vantagens da nova gasolina que chega no mês que vem

A nova gasolina de melhor qualidade começa a chegar aos postos de combustíveis do Brasil no próximo dia 3 de agosto com algumas vantagens em relação ao atual. O objetivo principal é aproximá-la da vendida nos mercados europeu e americano quando o assunto é massa específica e octanagem. Em linhas gerais, isso significa menor consumo e menos chances de adulteração.

São três os principais fatores que vão levar à melhoria na qualidade da nova gasolina no Brasil: valor mínimo da massa específica, parâmetros de destilação e fixação para limites para a octanagem RON. Com desidade mínima estabelecida em 715 kg/m3 haverá mais energia e redução do consumo nos veículos, mas vale lembrar que as porcentagens de etanol anidro na gasolina continuão os mesmos, ou seja, 27% na comum e aditivada e 25% na premium.

Também ficará mais fácil aquecer o motor, uma vez que a temperatura de destilação, mais exatamente o T50 (que verifica o aquecimento do motor), o T10 (ligada à partida a frio) e o T90 (desempenho de aquecimento). Isso será mais sentido nos modelos mais antigos, que não contam com sistema de injeção eletrônica, mais eficiente e preciso para o funcionamento dos motores. Quanto ao índice de octanagem, a mudança será no método de medição.

Atualmente a octanagem da gasolina brasileira é medida pelo IAD que é a média aritmética entre os valores MON (Motor Octane Number, que avalia a resistência à detonação quando o motor está a plena carga, em alta rotação) e o RON (Reasearch Octane Number, em que a medição é feita quando o motor esta carregado, em baixa rotação). A partir de agosto, será adotado o método europeu (RON), em que a gasolina comum passará a ter 93 octanas e a premim, 97. 

Mais detalhes da nova gasolina

Além disso, também haverá mudança na determinação dos parâmetros no teor de enxofre, que deverá ser realizada com com de EAC (Etanol Anidro Combustível) à gasolina A, no teor de um ponto percentual abaixo do valor em vigor na data da produção da gasolina A. Alternativamente, a adição de EAC pode ser substituída pela adição de álcool etílico P.A, com pureza mínima de 99,3 % em massa.

Entre outros benefícios, a nova gasolina brasileira deverá manter a marcha lenta dos motores mais constante e sem oscilações indesejáveis, com menores índices de vibrações. E mais melhorias serão adotadas em 2022 e 2025, contribuindo também com menos emissões de poluentes no meio ambiente, conforme Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve/Ibama).