Anterior

ANTERIOR

Raquel Dodge defende prisão após condenação em 2ª instância

17/11/2017

Giro pelo Brasil

Em greve, trabalhadores do transporte coletivo de Itajaí decidem pedir demissão em massa

Justiça determinou frota mínima de 30%; sindicato disse que não vai cumprir medida

Fonte: G1 | 13/07/2017 - 11:15
Em greve, trabalhadores do transporte coletivo de Itajaí decidem pedir demissão em massa

Há uma semana em greve, os trabalhadores do transporte coletivo de Itajaí decidiram em assembleia realizada na manhã desta quinta-feira (13) continuar a paralisação e fazer um pedido de demissão em massa. Eles também afirmam que não vão manter a frota mínima de 30% circulando na cidade, como exigido pela Justiça.

A Justiça do Trabalho determinou na tarde de quarta-feira (12) que os funcionários da empresa Coletivo Itajaí mantenham 30% da frota circulando em horários normais e 60% em horários de pico. Mas em assembleia nesta quinta, os cobradores e motoristas decidiram não cumprir a decisão.

O Sindicato dos Motoristas de Itajaí e Região (Sitraroit) pretende entrar nesta quinta-feira na Justiça com um pedido de demissão em massa através de uma ação de rescisão indireta pedindo os direitos trabalhistas, pois a empresa Coletivo Itajaí não cumpre com o pagamento dos salários.

“A decisão dos trabalhadores foi para que o sindicato promova a rescisão coletiva, pois entendem que estão sendo humilhados, tratados com desdém e a situação que está é muito constrangedora. Por isso, que a pedido dos trabalhadores, o sindicato vai promover essa ação”, explica o advogado do sindicato Denisio Dolasio Baixo.

Além disso, como mostrou o Bom Dia Santa Catarina, segundo os trabalhadores, um dos motivos para não acatar a decisão judicial é que se a frota de 30% for mantida, haverá 35 ônibus coletivos circulando, enquanto que o plano emergencial montado pela prefeitura conta com 80 veículos para transporte alternativo.

Retorno ao trabalho

Os trabalhadores receberam 50% dos salários na última quarta-feira (5) e iniciaram a greve na quinta (6) pedindo o pagamento integral do salário.

A empresa diz que na sexta-feira (14) vai pagar o restante dos salários dos trabalhadores, posicionamento mantido desde o início da greve.

Com isso, os trabalhadores devem voltar ao trabalho na sexta e pretendem continuar trabalhando até que o pedido de demissão em massa seja julgado.

Contratação de nova empresa

Já a Prefeitura de Itajaí está negociando com uma empresa de Curitiba para assumir emergencialmente o serviço na cidade e, assim, romper o contrato com a Coletivo Itajaí .

Uma equipe da empresa curitibana está estudando o trânsito de Itajaí para avaliar como o serviço pode ser prestado. Como o Bom Dia Santa Catarina mostrou, quando a negociação com a nova empresa for finalizada, o contrato com a Coletivo Itajaí será cancelado e a empresa de Curitiba assumirá até que uma nova licitação seja feita.

O G1 não conseguiu contato com a empresa Coletivo Itajaí.