Anterior

ANTERIOR

OAB volta a discutir impeachment de Pezão no RJ

18/05/2017

Próximo

PRÓXIMA

Marina Silva diz que Temer `não está em condições de governar´

18/05/2017

Giro pelo Brasil

Novas regras de cobrança de bagagem começam a ser implantadas a partir desta quinta (18)

Cada companhia pode escolher como vai cobrar por volume em seus voos

Fonte: G1 | 18/05/2017 - 10:00
Novas regras de cobrança de bagagem começam a ser implantadas a partir desta quinta (18)

Desde o final de abril, foi liberada novamente a cobrança no despacho de bagagem em todo o Brasil, por uma decisão judicial do Ceará.

As mudanças da Anac Agência Nacional de Aviação Civil) entraram em vigor em março deste ano. Mas a cobrança, considerada abusiva pelo Ministério Público Federal, havia sido suspensa por liminar.

Na hora de comprar um bilhete, o conselho de especialistas é ficar atento na compra, como reforça a advogada do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) Claudia Almeida. O Idec luta para que a norma seja revista.

"A incerteza com relação as bagagens continua. O consumidor precisa redobrar sua atenção na compra de passagem aérea, pois cada empresa tem liberdade de ofertar e cobrar pelo transporte de bagagem como quiser."

Antes, para voos internacionais, era permitido o despacho de duas malas de até 32 kg. Em voos domésticos, todos os passageiros tinham direito a despachar uma mala de até 23 kg e levar uma bagagem de mão de até cinco quilos no avião

Algumas empresas ainda estão definindo a adaptação, como a Avianca. A companhia decidiu não cobrar por despacho de bagagens e prefere estudar a questão durante os próximos meses.

Em geral, a bordo, todas as empresas agora têm que disponibilizar ao passageiro o embarque de uma mala de até 10Kg.

Latam

Na Latam, as mudanças começam nesta quinta (18), mas cobrança para despacho de bagagem, bem como novas tarifas, terão início em 50 dias. Agora, já mudam as regras da franquia e o pagamento pelo excesso de bagagem. No LATAM.com/suabagagem está o novo cálculo por excesso.

A partir de hoje, vale o seguinte. Passageiros de voos nacionais, para América do Sul e Caribe podem despachar uma mala de 23 kg. Nas demais rotas internacionais, são duas malas de 23 kg.

O cliente que viajar sem despachar a mala em voos dentro do Brasil vai pagar tarifas mais acessíveis. A empresa disse que quer reduzir em até 20% as tarifas mais baratas disponíveis para seus voos domésticos até 2020.

Quando começar a acontecer a cobrança pelo despacho, o primeiro volume em voos domésticos terá um custo de R$ 30 para compras antecipadas.

GOL

Nos bilhetes emitidos a partir de 20 de junho, passageiros que não precisar despachar bagagens podem optar por uma nova tarifa  econômica chamada Light.

As atuais tarifas Programada e Flexível continuam a incluir, sem custo, uma bagagem de até 23kg. A classe GOL Premium, disponível apenas nos voos internacionais, dois volumes do mesmo peso.

Azul

Apartir de 1º de junho, a empresa disponibilizará tarifas com até 30% de desconto para clientes que não despacharem bagagens. A nova opção será chamada de tarifa Azul.

Ao optar por essa tarife, o cliente pagará mais barato pela passagem na comparação com a tarifa MaisAzul e poderá escolher pela compra ou não do serviço de bagagem despachada. Se mudar de ideia, poderá incluir os 23 kg de bagagem, a qualquer momento, por R$ 30. Caso o cliente ultrapasse essa cota de 23 kg, será mantida a atual cobrança por quilo excedente.

A categoria MaisAzul mantém a prática tarifária atual e inclui franquia de 23 kg de bagagem.