Colunistas

William Douglas

William Douglas

Trabalho: benção ou castigo?

Seg, 16/01/2012 por William Douglas

Muitas pessoas dizem que se ganhassem muito dinheiro de uma hora para outra, a primeira coisa que fariam seria parar de trabalhar. O que essas pessoas não sabem é que não adianta receber muito dinheiro sem saber geri-lo ou aplicá-lo. Em Provérbios 17.16 é possível encontrar uma mensagem que se encaixa perfeitamente a essa situação: “Para que serve o dinheiro na mão do insensato? Para comprar a sabedoria? Ele não tem critério.”

A ideia de que trabalho é castigo pode vir da interpretação equivocada de um trecho bíblico. Ou, pelo menos, da falta de ler o resto da Bíblia! Alguém pode ler, no livro de Gênesis, que Adão pecou e, a partir de então, teve de trabalhar e ganhar o pão com o suor de seu rosto. Em seguida, conclui que o trabalho foi o castigo pelo pecado, logo, o trabalho é ruim, é um castigo de Deus para a humanidade. O que essas pessoas esquecem é que, antes do pecado, Adão já trabalhava (Gn 2.15).

A verdade é que, infelizmente, tem muita gente que não gosta trabalhar. Salmos 128 faz referência ao trabalho em um contexto de bem-aventurança e felicidade. Já Paulo diz que quem não trabalhar não deve comer (2 Ts 3.10), não se referindo a quem não pode trabalhar, claro, mas a quem é preguiçoso.

Temos um Deus que trabalha para nós no “turno da noite”. Costumo dizer que, quando estamos acordados, devemos trabalhar juntos com Deus. Jesus deu o exemplo do trabalho até quando lavou os pés dos discípulos, mostrando o conceito de que devemos servir. Segundo ele ensinou: maior é quem serve a muitos. Nunca vimos ninguém que sirva de boa vontade, que ajude, que seja útil, que deixa de crescer profissionalmente.

O livro de Provérbios, escrito pelo rei Salomão, destacado por seus conhecimentos em várias áreas da ciência, alerta repetidas vezes contra a preguiça. Um homem abençoado por Deus, que teme ao Senhor, viverá exatamente do seu trabalho, sem preguiça, sem protelar, sem adiar. Viva, portanto, do seu próprio trabalho. Não dependa dos outros, não importa se é do governo, de um parente, de uma pessoa que o ajude. Seja sustentado por seu trabalho.

No mundo empresarial, político, religioso, e em todas as relações intrapessoais, os que alcançam posições destacadas, gozam de credibilidade e se mantém no topo são aqueles que seguem alguns atributos reconhecidamente valiosos, eficazes, efetivos e que dão a garantia de continuidade. Se fôssemos elencar alguns desses atributos, concluiríamos, com algum consenso, que integridade, perseverança, disciplina, determinação, verdade, honestidade, capacitação etc. são necessários para que se alcance posições de alto nível e se mantenha nela. Esses atributos são todos defendidos na Bíblia.

Portanto, não encare seu trabalho como castigo, mas como uma oportunidade de agradar Deus e retornar para a sociedade bons frutos.

2 comentários

Rivelino José dos Santos

Maravilhoso comentário, pois creio que o trabalho dignifica o homem. Que Deus em Cristo Jesus continue abençoando ao amado irmão Dr. Willian Douglas e a todos da cpadnews.A paz do Mestre Jesus.

francisco

òtimo comentário biblico parabéns.

Deixe seu comentário







Perfil

William Douglas é juiz federal titular da 4ª Vara Federal de Niterói (RJ), professor universitário, mestre em Direito, pós-graduado em Políticas Públicas e Governo; conferencista secular e evangélico, e colunista da revista “GeraçãoJC” (CPAD), assinando a coluna “Mercado de Trabalho”; autor do best-seller “Como passar em provas e concursos”, com mais de 175 mil exemplares vendidos, e membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil. Foi um dos preletores do Encontro GeraçãoJC, ministrando sobre o tema “Sucesso Pessoal e Profissional através da Bíblia” (em DVD, pela CPAD).

COLUNISTAS

ARQUIVO