Colunistas

William Douglas

William Douglas

Casos de sucessos (e fracassos) na Bíblia - 2ª Parte

Seg, 17/10/2011 por William Douglas

Retomando os ensinamentos transmitidos pela parábola do filho pródigo (Lucas 15.11,32), que iniciamos na última coluna, lemos que o jovem demonstrou não saber administrar a fortuna herdada de seu pai. Contudo, nem sempre alguém “quebra” um negócio/uma empresa por mera incompetência. Às vezes, os negócios “dão errado” por circunstâncias outras, alheias à competência do empreendedor. Isso é normal.

O melhor fabricante de chicote para cavalos deixou de ter um negócio lucrativo com a invenção do automóvel, não? Os fabricantes de máquinas de escrever, que não perceberam a chegada dos computadores, e que não se adaptaram a ela nem evoluíram, também quebraram, apesar de serem competentes em seus ramos de atuação. Às vezes a culpa é do mercado, às vezes é da falta de percepção da mudança dos tempos. E o que esses dois exemplos têm em comum? Em ambos, faltaram flexibilidade para se adaptar às mudanças, aos novos tempos e às novas perspectivas e exigências do mercado, e competência para estar sempre em contato com as novidades.

Mas, mesmo que o rapaz tivesse quebrado por outro motivo que não o de ter sido um esbanjador (pela crise, por exemplo), o fato é que ele – se competente e flexível fosse – conseguiria um emprego melhor do que o de guardador de porcos.

O que queremos dizer com isso?

Mesmo nas maiores crises, e talvez ainda mais nelas, todos precisam de gente competente e que saiba o que fazer, saiba motivar, saiba trabalhar, saiba criar, enfim, de gente que saiba reverter o quadro e superar as dificuldades.

Mesmo que não fosse mais empresário, o rapaz da parábola poderia ter conseguido um emprego melhor se cuidasse de sua empregabilidade, de sua diferenciação no mercado de trabalho, se tivesse se mantido atualizado.

E você, que habilidades possui?

Em momentos de crise, as pessoas lhe procuram?

Já reparou naquela pessoa, na empresa ou na repartição, que todo mundo procura para tirar as dúvidas? Pois é, ela provavelmente será a primeira a ser promovida ou, em uma crise, a última a ser demitida. E você?

Trabalhe sua empregabilidade e flexibilidade, mantenha-se sempre atualizado e disposto ao trabalho, procure ser parte da solução dos problemas e aceite os desafios com alegria e confiança. Dessa forma você exercita sua empregabilidade e se mantém no mercado.

0 comentários

Nenhum comentário para esse post.

Deixe seu comentário







Perfil

William Douglas é juiz federal titular da 4ª Vara Federal de Niterói (RJ), professor universitário, mestre em Direito, pós-graduado em Políticas Públicas e Governo; conferencista secular e evangélico, e colunista da revista “GeraçãoJC” (CPAD), assinando a coluna “Mercado de Trabalho”; autor do best-seller “Como passar em provas e concursos”, com mais de 175 mil exemplares vendidos, e membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil. Foi um dos preletores do Encontro GeraçãoJC, ministrando sobre o tema “Sucesso Pessoal e Profissional através da Bíblia” (em DVD, pela CPAD).

COLUNISTAS

ARQUIVO