02/07/2011 17:34

Os cristãos estão dispostos a sofrer perdas pelo evangelho?

Juiz anula união gay pela segunda vez

O juiz de Goiânia Jeronymo Pedro Villas Boas voltou a incomodar os defensores do casamento homossexual. Villas Boas revogou uma segunda união estável de dois homens que moram juntos há 22 anos. [1]

Na recente decisão, o juiz evangélico foi contra o entendimento do Supremo, que reconheceu no início de maio esse tipo de relação. Villas Boas disse que, como não há na Constituição previsão implícita ou explícita de que a família possa ser formada por duas pessoas do mesmo sexo, nenhum dos poderes submissos à Carta Magna pode incluir este tipo de relação.

Caros leitores, a postura do magistrado goiano é de alguém que age baseado em suas convicções e está disposto a pagar um preço por isso. Mesmo que o Supremo Tribunal Federal - máxima instância judicial do país - tenha decidido recentemente pela legalidade da união estável homossexual e muito embora a sua primeira decisão tenha sido cassada pelo TJGO, Villas Boas mantém a firmeza no sentido de que tal decisão contraria a Constituição Federal, pois ela claramente prevê em seu art. 226, § 3º, que para efeito da proteção do Estado, é reconhecida a união estável entre o homem e a mulher como entidade familiar, devendo a lei facilitar sua conversão em casamento.

Portanto, Villas Boas está defendendo a Carta Magna até mesmo contra a instituição que deveria ser a sua guardiã, apesar de tal postura poder vir a lhe custar caro, sofrendo inclusive retaliação por parte da mídia e dos órgãos superiores.

A questão é que estamos chegando a um determinado contexto social no qual os verdadeiros cristãos deverão tomar atitudes que contrariem o senso comum e o anseio politicamente correto da sociedade, mesmo que isso resulte em algumas perdas. Cada dia mais os cristãos são colocados diante do desafio de defender a mensagem cristã insurgindo-se contra uma sociedade secularizada e tolerante. Se no passado os cristãos eram jogados aos leões para que pudessem morrer, hoje estão sendo escarnecidos pela mídia e pela patrulha do politicamente correto.

Com efeito, lembro-me então das palavras de Paulo. “Mas o que era para mim era ganho reputei-o perda por Cristo; e, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo” Fp. 3.7,8.

Mas, será que a igreja evangélica brasileira está preparada para tomar decisões ortodoxas e que contraria o anseio popular? Será que os cristãos estão verdadeiramente dispostos a colocar em risco seus empregos para defenderem suas convicções? Será que os evangélicos estão dispostos a enfrentar desafios verdadeiros capazes de resultar em alguma perda? Será que a maioria de nós, cristãos, temos coragem de não nos conformarmos - na prática - com este mundo (Rm. 12.2)?

Enfim, são algumas perguntas que nos vêm à mente quando observamos as nuanças do tempro presente, que demonstra a intensificação da perseguição cultural ao povo cristão.

Sim, ainda existem cristãos corajosos, remanescentes, que não se dobraram a Baal e que não temem a investida sorrateira do inimigo. Homens e mulheres que estão dispostos a viver e a morrer pela causa do Mestre e pelos valores bíblicos.

Pense nisso!

[1] http://www.cpadnews.com.br/integra.php?s=12&i=9768

5 comentário
Facebook Compartilhe

COMENTÁRIOS

  • De: ÉRICO

    Comentario: A Bíblia diz que o maior mandamento é amar a Deus, depois um semelhante a esta é amar a teu proxímo como a ti mesmo. Como amar o proximo se não falar de Jesus Cristo para as pessoas a fim das mesma a ceitar a Cristo como seu unico e suficiente salvador? esta é a diferença é que a pessoa não vai morar no inferno na eternidade, e sim vai ter uma eternidade com Deus porque teve fé , aceitou a Jesus Cristo como salvador . Por isso com todo respeito, sempre digo que nos Paises onde ha liber
  • De: Valter Alex

    Comentario: Boa Tarde! A atitude do juiz, com certeza no fará refletir muito, gloria a Deus pela sua vida. Pois vivemos dias onde o meio evangélico Assembleiano, em sua grande maioria (pelo menos na minha região) tem se preocupado muito sobre as questões que envolvem os costumes da igreja, isso pode isso não pode, isso é permitido, isso não é permito isto foi liberado, isto não foi etc. Isto tem trago prejuízos para a obra de Deus, ao invés de ensinarem as pessoas a viverem por princípi
  • De: Calábria

    Comentario: Esta atitude me parece de alguém que sabe bem quem é, aonde está e para onde vai. Sei que é dificil mas devemos olhar para os nossos próprios erros, sair de dentro da caverna da vergonha onde nos tornamos políticamente corretos e "caretas" onde o "nada a ver" tem nos calado. Isto é, se queremos nos enquadrar entre aqueles que receberam testemunho do próprio Senhor Deus de que não se encurvaram a Baal e as suas bocas não o beijaram. Amém.
  • De: ESTUARTE SIRIANO PINTO

    Comentario: Infelizmente em uma sociedade composta de cristãos nominais não sei se de fato todos os que arrogam para si o titulo de crentes ou evangélicos estão dispostos a esse sacrifício em nome de um ideal que mal conhecem, até porque ser evangélico tem tornado mais um status social do que a defesa de um principio com base nas escrituras. e quando o assunto é bíblia a maioria dos evangélicos nem se quer sabe a quantidade de livros que ela tem.
  • De: Claudinéia

    Comentario: Tomar atitudes como esta realmente não é fácil. Como Cristão devemos orar por líderes como este para que Deus os abençõe cada vez mais em todas as suas atitudes tomadas! http://pingofeliz.blogspot.com/

COMENTE





COLUNISTAS

Fechar RECEBA INFORMATIVO
teste