Colunistas

Pr. Silas Daniel

Pr. Silas Daniel

Coronavírus, crise internacional e manifestações de 15 de março

Qui, 12/03/2020 por

Enquanto digito estas linhas, o número de casos de coronavírus no Brasil sobe para 73, sendo 49 casos em São Paulo, 13 no Rio de Janeiro, 2 na Bahia, 2 em Pernambuco, 2 no Rio Grande do Sul, 2 no Distrito Federal, 1 em Alagoas, 1 em Minas Gerais e 1 no Espírito Santo.
 
No mundo, já são cerca de 120 mil casos, sendo mais de 81 mil na China, com 3.173 mortes confirmadas, e mais de 37 mil no resto do mundo, com mais de 1.130 mortes confirmadas. A maioria esmagadora das vítimas, quase a totalidade delas, é de idosos.

Esse vírus é menos mortal do que o de surtos anteriores, como o SARS em 2003, com taxa de letalidade de 9,6%; e o MERS de 2012, com taxa de letalidade de 34,4%. Sua taxa de letalidade é maior do que a do vírus da gripe? Sim, pois é de mais de 2%, enquanto a da gripe é de menos de 0,5%. Porém, é preciso frisar que a gripe, no geral, mata muito mais, pois seu alcance é muito maior. Por exemplo, todo mês, no mundo, milhões de pessoas pegam gripe, levando à morte de cerca de 40 mil pessoas mensalmente em todo o planeta. Recentemente, segundo a Organização Mundial de Saúde, houve 650 mil mortes por gripe no mundo em um único ano, e ninguém entrou em pânico por causa disso.

A taxa de letalidade do coronavírus entre crianças abaixo de 9 anos é zero; entre pessoas entre 10 e 39 anos é de 0,2%; na faixa etária entre 40 e 49 anos é de 0,4%; entre 50 e 59 anos é de 1,3%; entre 60 e 69 anos é de 3,6%; entre 70 e 79 anos é de 8%; e entre pessoas de 80 anos para cima é de 14,8%. Idosos, portanto, e pessoas que têm imunidade muito baixa e problemas respiratórios e de coração, formam o grupo real de risco.
 
Na Europa, a quantidade de mortos é grande (só sendo superada pela China) porque a população de idosos naquele continente é enorme e o Hemisfério Norte está ainda no final do inverno, enfrentando baixas temperaturas, o que ajuda na disseminação do coronavírus, pois acredita-se que esse vírus se torna mais forte em climas frios. Além do que, o inverno piora o quadro dos afetados, porque a doença causa problemas respiratórios e, no inverno, as pessoas ficam menos ao ar livre e mais em lugares fechados, o que é péssimo para o tratamento de doenças respiratórias. Se a pessoa tem imunidade baixa então, a doença pode ser fatal.
 
Segundo os especialistas, essa epidemia deve durar mais uns dois meses; no máximo, três meses. Devido a esse quadro, a Organização Mundial de Saúde declarou a situação como pandemia, o que fez as bolsas do mundo despencarem mais uma vez, o presidente dos Estados Unidos suspender por 30 dias os voos da Europa para os EUA, a NBA ter sido cancelada temporariamente, a rodada de abertura das eliminatórias da Copa do Mundo também, além de vários jogos de campeonatos pela Europa.
 
Os prejuízos, em várias áreas, são incalculáveis, razão pela qual o FMI ofereceu 50 bilhões de dólares e o Banco Mundial 12 bilhões de dólares para ajudar os países mais afetados. Só a China disse ter gasto 16 bilhões de dólares na prevenção e contenção do coronavírus em seu território.
 
O coronavírus é mais uma epidemia dentre tantas outras do final dos tempos. Jesus afirmou em seu Sermão Profético, referindo-se aos últimos dias: “Em vários lugares haverá (...) epidemias” (Lucas 21.11). 
 
*****************************************************************************************
 
Enquanto isso, há uma manifestação marcada para o dia 15 de março por aqui no Brasil, para enfrentar um vírus mais grave: as investidas de um grupo que domina o Congresso Nacional para tentar sabotar o governo federal, prejudicando todo o país. A expectativa é de que um grande número de pessoas participe. É mais um episódio do despertar da consciência política do brasileiro de 2013 para cá.
 
Os opositores, claro, estão tentando esvaziar as manifestações usando como argumento a epidemia de coronavírus no mundo (ainda fraca no Brasil), quando, na verdade, o medo deles não é de uma maior disseminação do coronavírus, mas, sim, da forte manifestação da vontade popular pró-governo no dia 15.
 
Não acho que o argumento deles vingue ao ponto de minguar as manifestações. Elas deverão acontecer em todo o país, com histeria de coronavírus ou não. Sem essa histeria, claro, elas poderiam ser maiores, mas, mesmo assim, ao que parece, ainda serão consideravelmente volumosas.

22 comentários

Silas Daniel

Boa reflexão, irmão Josué. E obrigado pelas palavras de apreço.

Josué de Souza Abolaro

As vezes tento entender o que é ser cristão em um mundo tão tenebroso em que vivemos. O profeta Elias protestou contra Acabe,Jezabel, sendo até perseguido. Pedro enfrentou autoridades políticas do seu tempo. Jesus não foi diferente. Será que é pecado protestar contra posturas e desmandos de certas autoridades no nosso país? A verdadeira democracia em muitos países no mundo hoje não seria fruto de uma igreja que protestou contra o pecado? Vamos abrir os nossos olhos. Parabéns, pr Silas.

Silas Daniel

Irmão Valter, amém! Obrigado pelas palavras de apreço e motivação. Deus continue abençoando o amado irmão também. Continue orando por nós. Forte abraço!

Silas Daniel

Irmão Josivan, a Paz! Sua preocupação é legítima. O próprio presidente da República, que seria o maior beneficiado pelas manifestações, pois eram em favor do seu governo, recomendou que elas não ocorressem. Mas... Aconteceram. Como eu disse, era inevitável, porque a indignação da população com a sabotagem contra o governo é enorme, ao ponto de o povo "chutar para o alto" a preocupação com o coronavírus. No final, o próprio presidente se rendeu e foi até os manifestantes de Brasília saudá-los.

Silas Daniel

(Concluindo>>>) Você já parou para pensar na razão pela qual todas as epidemias mundiais das últimas duas décadas, que mexeram na economia mundial, vieram sempre da China e beneficiaram sempre a China? Aliás, enquanto as bolsas do mundo caíram nesses últimos dias, a bolsa da China subiu. Entenda o porquê no vídeo do endereço entre parênteses (https://www.youtube.com/watch?v=ulhc4COhWPg). Enfim, devemos nos precaver e se preocupar, mas não cair em histeria; e é preciso entender o contexto.

Silas Daniel

(>>>) É fato que em ambientes abertos, em aglomerações ao ar livre, é mais difícil você ser contaminado do que em aglomerações em ambientes fechados. Finalmente, há pesquisas que mostram que o coronavírus perde a força em regiões com climas mais quentes, razão pela qual seu nível de contaminação e de letalidade é menor nesses ambientes. Não é que não seja para se preocupar, mas é importante compreender essas peculiaridades. E há, sim, muita histeria envolvida até por razões econômicas: (>>>)

Silas Daniel

(>>>) A gripe mata todo ano mais de 500 mil pessoas - chegou a 650 mil recentemente - e ninguém cai em histeria por isso. Quem é a maioria esmagadora das vítimas da gripe? idosos também. Por quê? Doenças respiratórias em geral ceifam a vida de idosos e pessoas com imunidade muito baixa. Isso não é especialidade do coronavírus. No Hemisfério Norte, o número de vítimas fatais é maior por causa do inverno (clima que piora a doença respiratória) e da população maior de idosos na Europa. (>>>)

Silas Daniel

Caro Antonio, apenas constatei um fato: as manifestações aconteceriam de qualquer jeito! E, como eu falei, aconteceram mesmo e de forma maciça. Há uma diferença entre defender que elas ocorram e admitir que elas ocorrerão. Fato é que o povo está mais preocupado com certo "vírus" que infecta a política brasileira do que com o coronavírus. Por outro lado, é preciso reconhecer que há, sim, uma histeria em relação ao coronavírus. Explico: (>>>)

Valter Alex

Pr Silas Daniel, Parabéns pela suas postagens, sempre assertivo e atual; sinto falta dos seus textos, tenho acompanhado desde a minha juventude, seja pelo seu Blog aqui pela CPAD e seus livros. Tem edificado a minha vida e contribuindo para o meu desenvolvimento espiritual e social. Deus continue te abençoando

Josivan Rocha

A paz do Senhor, não acho prudente as manifestações, em meio o surto de coronavírus, pode ser adiada!

Antonio R. Mariscal

Como incentivar uma pandemia? Que grau de irresponsabilidade ? Você não sabe como se espalhou na Espanha por ocasião das manifestações do Dia da mulher trabalhadora ? Até que ponto você está preocupado com a saúde do povo brasileiro? Como pode colocar sua identidade ideológica acima do evangelho e da saude do povo brasileiro. Falo desde Espanha pois amo muito ao povo brasileiro. Um abraço e Deus lhe abençõe .

Silas Daniel

(PARTE 8) Só mais uma última coisa: eu não sei de Daniel Berg e Gunnar Vingren, mas o missionário sueco Samuel Hedlund (1890-1983), que trabalhou durante décadas na consolidação das Assembleias de Deus no Brasil, tendo chegado em nosso país em 1921, escreveu no jornal "Mensageiro da Paz", ainda na década de 1930, artigos combatendo o totalitarismo, o que fez a Ditadura Vargas, via DEOPS, confiscar uma edição do jornal e o fichar como "anticomunista e antivarguista". É a história do jornal MP.

Silas Daniel

(PARTE 7) Por fim, em terceiro lugar, eu já evangelizei em presídio e tive mais de uma vez a oportunidade de pregar também fora dele o Amor de Cristo a criminosos de alta periculosidade. Portanto, não projete sobre mim o que o irmão já viu em si mesmo ou em outras pessoas. Nem todo mundo é igual.

Silas Daniel

(PARTE 6) Em segundo lugar, Deus perdoa pecadores arrependidos. Ora, em nenhum momento o criminoso se declarou arrependido de seu crime na entrevista. Somente depois que a população descobriu a farsa jornalística e a repercussão foi enorme, ele teria escrito uma carta se dizendo arrependido.

Silas Daniel

(PARTE 5) Irmão Daniel, em primeiro lugar, eu me referi à IMPRENSA ter propositalmente vendido como vítima um transsexual pedófilo, estuprador e assassino de uma criança de 9 anos. Em nenhum momento eu disse que não há pecado imperdoável e que um cristão não pode perdoar um assassino ou estuprador. São coisas diferentes.

Silas Daniel

(PARTE 4) Por fim, sobre sua última fala: "Outro dia deste sua opinião sobre o monstro que foi abraçado por certo doutor. O que o senhor escreveu deu a entender que os monstros não merecem nenhuma misericórdia. Me responda: o crime que aquele monstro cometeu é o pecado imperdoável? Eu não teria abraçado aquele assassino e nem o senhor. E um médico ateu o fez. Que tempos os nossos!". Você está distorcendo totalmente o que eu disse! Vamos lá:

Silas Daniel

(PARTE 3) Ademais, a missão que me foi dada nesta coluna no CPADNews foi, como pastor e jornalista, escrever sobre os principais acontecimentos no Brasil e no mundo dentro de uma ótica cristã. Ora, sendo assim, não há como me omitir nesta hora, diante de um assunto tão nevrálgico para o nosso país. Afinal, que análise é essa dos principais assuntos seculares no Brasil e no mundo que emudece justamente diante... dos principais acontecimentos no Brasil e no mundo?!?

Silas Daniel

(PARTE 2) O irmão diz: "Os formadores de opinião da nossa denominação deveriam ser mais sábios e prudentes". Ora, não há sabedoria e prudência alguma em ficar em silêncio e omisso diante de um absurdo explícito. Não há sabedoria e prudência alguma em silenciar diante de tentativas explícitas de subverter a ordem e de sabotar esforços para melhorar o país. E para se indignar diante da atual situação, não é preciso ser "bolsonarista". Basta se cientificar do que ocorre e ter bom senso.

Silas Daniel

(PARTE 1) Irmão Daniel, as manifestações não são contra o Congresso Nacional, mas contra um grupo dentro dele que tenta sabotar o país. Esse grupo é que tenta vender as manifestações como se fossem contra o Congresso, e com o apoio irresponsável de uma parte da mídia. Ninguém está se insurgindo contra a ordem democrática, mas exatamente contra pessoas que querem sabotá-la. Isso não fere Romanos 13, mas, ao contrário, é uma defesa das instituições, o que corrobora Romanos 13.

Cooperador Daniel

Considero o senhor uma pessoa bastante culta. Por isso deve escrever e emitir suas opiniões com mais cautela. Outro dia deste sua opinião sobre o monstro que foi abraçado por certo doutor. O que o senhor escreveu deu a entender que os monstros não merecem nenhuma misericórdia. Me responda: o crime que aquele monstro cometeu é o pecado imperdoável? Eu não teria abraçado aquele assassino e nem o senhor. E um médico ateu o fez. Que tempos os nossos!

Cooperador Daniel

Os formadores de opinião da nossa denominação deveriam ser mais sábios e prudentes. Essa polarização política dentro da Assembleia de Deus já ficou insuportável. Crentes bolsonaristas e antibolsonaristas se digladiam abertamente. E atitudes como essa do senhor ao escrever tais artigos em nada contribui para a pacificação entre os crentes.

Cooperador Daniel

Com quarenta anos de crente da Assembleia de Deus, jamais imaginei que veria um pastor assembleiano de tamanha envergadura insuflar a população contra a ordem constituida. Leia Romanos 12 e 13 pastor! O que Daniel Berg e Gunnar Vingrenn achariam disto?

Deixe seu comentário







Perfil

Silas Daniel é pastor, jornalista, chefe de Jornalismo da CPAD e escritor. Autor dos livros “Reflexão sobre a alma e o tempo”, “Habacuque – a vitória da fé em meio ao caos”, “História da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil”, “Como vencer a frustração espiritual” e “A Sedução das Novas Teologias”, todos títulos da CPAD, tendo este último conquistado o Prêmio Areté da Associação de Editores Cristãos (Asec) como Melhor Obra de Apologética Cristã no Brasil em 2008.

COLUNISTAS