20/12/2011 13:48

O nascimento de Jesus traz uma esperança nova, genuína e poderosa

No Evangelho de Lucas 2.6,7, está escrito: “E deu à luz ao seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem”.

Estamos nos aproximando da data mais efusiva de toda a sociedade ocidental. Com a chegada do Natal, as cidades, o povo, a atmosfera, tudo é diferente. O Nascimento de Jesus transformou o homem e trouxe a todos nós uma esperança nova.

Interessante ver as ruas iluminadas, o colorido diferente na cidade, a agitação dos transeuntes. Tudo isso faz parte do Natal. Nos lares, as famílias se reúnem e compartilham o jantar em um ambiente festivo, tudo por causa do nascimento de Jesus. Mas, a perspectiva espiritual desse acontecimento poderoso, que foi o nascimento de Cristo, não deve ser perdida de vista.

É bom lembrar que o querido Salvador nasceu de uma forma humilde, sim, em uma pequenina cidade. Certamente José desejava oferecer um nascimento confortável para o filho primogênito de Maria, porém Deus não permitiu que isso acontecesse e o resultado foi o nascimento da criança em uma circunstância única e inimaginável, em uma estrebaria, posto numa humilde manjedoura.

José certamente entendeu, corretamente, que o menino não era filho dele, mas de Deus, e fora o próprio Senhor do Universo o encarregado de patrocinar toda a festa espiritual que ali aconteceu. Aquela humilde estrebaria se transformou no lugar mais importante da terra, haja vista que lá no céu, o Senhor Deus determinou o envio de um coral de anjos para saudar Àquele que nasceu para ser o Salvador do mundo. José ouviu a canção angélica: “Glória a Deus nas alturas e Paz na Terra às criaturas!”. Mensagem de salvação trazida pelos anjos para os homens de boa vontade. Mas, não apenas as estrelas brilharam mais, como os pastores foram avisados pelo próprio Deus e vieram e adoraram a Jesus.

Ele verdadeiramente nasceu, e quando comemoramos Seu nascimento, assim o fazemos porque este Jesus nascido em Belém também nasceu em nossos corações.

Estamos também próximo do final do ano. Breve iniciará o novo ano, e Jesus é Senhor também do Ano Novo. A Epístola aos Hebreus, no capítulo 13, versículo 8, diz: “Jesus Cristo é o mesmo ontem, e hoje, e eternamente”. Ele é Senhor desde a Eternidade, Senhor do ontem, do hoje e do porvir.

Chegamos a mais um ano novo. Que dádiva preciosa! Deus dá o tempo para todas as pessoas de maneira igualitária, Ele nos proporciona 365 dias completos de 24h para vivermos e é sempre bom compreender o tempo como uma dádiva de Deus. Quando terminamos um período como este, é próprio que façamos uma reflexão, corrigindo eventuais erros e cuidando de agir corretamente, dinamizar a vida espiritual e fazer boas ações para o nosso próximo.

Chega o novo ano e o que ele te oferecerá? Há pessoas pessimistas dizendo: “Este ano foi ruim e o próximo será ainda pior”. Mas, para nós, conhecedores da vontade do Senhor Jesus, esperamos não somente um “ano novo”, mas um ano de bênçãos, de Paz, de felicidade, com saúde e muita prosperidade. O nosso Jesus não é o Senhor apenas do ano passado. Verificamos no texto sagrado a garantia do caráter inalterável de Cristo: “ontem, hoje e eternamente”.
Que este ano novo pós-Centenário seja um ano de bênçãos, de Paz e de muitas vitórias!

1 comentário
Facebook Compartilhe

COMENTÁRIOS

  • De: Diácono Manoel vicente

    Comentario: Deus abençoe aos Pastores da terra. Eclesiastes, C9, v8. EM TODO O TEMPO SEJAM ALVOS OS TEUS VESTIDOS, E NUNCA FALTE O ÒLEO SOBRE TUA CABEÇA. PRAIA GRANDE SP. ASSEMBLEIA DE DEUS MINIS DO BELEM CAMPO RIBEIRÃO PIRES SP. CONGREG AVIAÇÃO, PASTOR JEREMIAS.

COMENTE