Colunistas

Pr. Esdras Bentho

Pr. Esdras Bentho

ENADE e a avaliação dos acadêmicos e das instituições teológicas brasileiras credenciadas pelo MEC

Seg, 19/10/2015 por

O que é ENADE?

O ENADE – Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes – é aplicado aos concluintes dos cursos de graduação de todo o Brasil, a fim de obter um panorama nacional dos resultados de aprendizagem dos estudantes das áreas avaliadas. Uma das novidades do ENADE para 2015 é a INSERÇÃO e AVALIAÇÃO do curso de BACHAREL EM TEOLOGIA, das instituições credenciadas pelo MEC. A avaliação do Curso de Teologia está marcada para 22 de novembro de 2015. Os coordenadores(as) dos cursos de Teologia devem desde já prepararem seus graduandos para enfrentarem o exaustivo exame. Recomendo que organizem-se a fim de oferecerem ao alunato uma síntese dos conteúdos com base nos conteúdos curriculares assinalados para o curso de Teologia.

Quais os objetivos do ENADE?

São três objetivos gerais que se propõe o ENADE:

1. Aferir o desempenho dos estudantes em relação aos conteúdos programáticos previstos nas diretrizes curriculares do curso de graduação em Teologia;

2. Aferir as habilidades dos estudantes para ajustamento às exigências decorrentes da evolução do conhecimento;

3. Aferir as competências dos estudantes para compreender temas exteriores ao âmbito específico do exercício da profissão de teólogo, ligado à realidade brasileira e mundial e a outras áreas do conhecimento (LEI 10.861 de 14 de abril 2004, art. 5°, § 1°.)

Existe, portanto, uma corresponsabilidade entre a Instituição de Ensino Superior e os Estudantes na produção dos indicadores da qualidade do curso de Teologia. Portanto, cabe à instituição ofertar um ensino de qualidade, propiciando meios para que os alunos adquiram os elementos previstos nas DCN (Diretrizes Curriculares Nacionais) do curso de Teologia. Aos estudantes cabe, portanto, empenharem-se para que seu resultado individual e coletivo seja de fato representativo da formação recebida, uma vez que tal nota avaliativa acompanhará sua vida profissional.

Como se constitui o exame do ENADE?

A prova do Exame para o curso de Teologia será constituída de duas partes:

1. Dez (10) questões de Formação Geral (FG). Espera-se que os graduandos de teologia evidenciem a compreensão de temas que transcendam ao arcabouço teológico. As perguntas estarão relacionadas à realidade contemporânea. O acadêmico deve ser crítico e capaz de construir sínteses contextualizadas. Serão analisadas: clareza, coesão, argumentação, adequação do vocabulário e correção gramatical. As questões são compostas por duas (2) perguntas discursivas e oito (8) de múltipla escolha, totalizando 10.

2. Trinta (30) questões chamadas Componentes Específicas (CE), das quais vinte e sete (27) são de múltipla escolha e três (3) discursivas, envolvendo situações-problema e estudo de casos. Serão avaliadas nessa etapa cada grande área do Curso de Bacharelado em Teologia, tanto no domínio dos conhecimentos, quanto nas habilidades esperadas para o perfil profissional do teólogo. Um dos objetivos é investigar os conteúdos do curso por meio da exploração de níveis diversificados de complexidade.

Os alunos do curso de teologia terão um total de quatro (4) horas para responder as questões de Formação Geral e do Componente Específico de Teologia. Os alunos deverão dobrar a atenção nas questões que exigem interpretação de dados, imagens e gráficos, caso ocorram.

Quais conteúdos específicos serão avaliados?

De acordo com o Art. 7º. da Portaria Inep n º. 240, de 10 de junho de 2015 e Publicada no Diário Oficial de 12 de junho de 2015, Seção 1, pág. 25-26, o exame tomará como referencial os seguintes conteúdos curriculares:

I - Textos Sagrados e Hermenêutica; II - Tradições, Ritos e Doutrinas Religiosas; III - Espiritualidade; IV - Novas Expressões Religiosas; V - Ética; VI - Bioética; VII - Ecumenismo e Diálogo inter-religioso; VIII - Escatologia; IX - História: História da Teologia e História das Religiões; X - Antropologia: Antropologia Teológica e Antropologia da Religião; XI - Religião e Sociedade; XII - Filosofia e Religião; XIII - Psicologia e Religião; XIV - Oratória; XV - Teologia Prática; XVI - Correntes Teológicas: Teologia Feminista, Teologia e Gênero, Teologia da Libertação, Teologia Latino-americana, Teologia Indígena e Afro, Teologias Orientais; XVII - Métodos Teológicos; XVIII - Teologia e linguagem; XIX - Teologia e Meios de Comunicação; XX - Gestão e Administração.

O que as análises dessas questões pretendem?

De acordo com o Art. 6º a prova do Enade 2015, no componente específico da área de Teologia, avaliará se o estudante desenvolveu, no processo de formação, as competências e habilidades para: I - analisar questões e interpretar dados, integrando as várias áreas do conhecimento teológico; II - promover a reflexão, a pesquisa, o ensino e a divulgação do saber teológico; III - elaborar e desenvolver projetos de pesquisa dentro das exigências acadêmicas, produzindo conhecimento científico no campo da Teologia e das ciências afins; IV - interpretar narrativas, textos históricos e tradições religiosas em seu contexto, através de instrumentos analíticos; V - articular de forma interdisciplinar o saber teológico com os saberes de outras ciências; VI - promover a inclusão social junto a diferentes grupos culturais e sociais, de modo participativo, ético e teológico; VII - desenvolver trabalhos em equipe e colaborar na implementação de projetos em prol da Justiça Social; VIII - inserir-se em espaços públicos e privados de discussão interdisciplinar no âmbito das questões ambientais, da bioética, entre outras, promovendo a defesa dos Direitos Humanos e contribuindo para a construção permanente de uma sociedade mais justa e solidária; IX - assessorar e participar de instituições confessionais, interconfessionais, educacionais, assistenciais e promocionais, na perspectiva teórica e prática; X - articular o saber acadêmico com os desafios da vida cotidiana na sua atuação profissional; XI - comunicar-se de forma oral e escrita com a finalidade de partilhar a reflexão teológica em diferentes públicos, servindo-se dos meios de comunicação social; XII - utilizar as novas tecnologias de informação e comunicação (TIC); XIII - gerenciar os recursos humanos e econômicos na organização institucional de sua comunidade; XIV - liderar e animar comunidades religiosas em suas atividades de culto e pastorais.

 

É necessário, portanto, que Diretores, Coordenadores, NDE, e todo staff das instituições teológicas das Assembleias de Deus credenciadas pelo MEC, orientem e preparem os acadêmicos para esse grande desafio.

Esdras Costa Bentho

Pedagogo e Mestre em Teologia - PUC, RJ 

6 comentários

Mauricio Firmino Paz

Realmente, será um grande desafio. As faculdades teológicas das Assembléias de Deus sempre foram resistentes em terem seus cursos avaliados pelo MEC. O argumento sempre foi o de que os cursos são apenas para formar obreiros para servirem a igreja local e nada mais. Agora vemos que não é bem assim. Nunca fiz um curso de teologia exatamente por isso. Optei pela Filosofia apesar do proconceito que ainda existe em relação a ela. Pura bobagem. Tomara que os cursos sejam bem avaliados.

Neemias Raimundo

Será um grande passo para aqueles que estão realmente em busca de uma reflexão teológica sadia e construtiva. É animador constatar que o processo de depuração, salutar nas mais diversas situações e contextos, chega em bom momento ao meio teológico brasileiro.

Silvio C. Resplandes

gostei muito dessa notícia, na minha opinião isso vai elevar a teologia nesse país, apesar de saber que muitos terão dificuldades com essa prova, ainda assim eu vejo como positivo.

Professor Leandro Sérgio

Parabéns pela iniciativa irmão Esdras Bentho. Independente do resultado de nossas faculdades poderemos a partir dos resultados avaliarmos o currículo e ênfases teóricas de nossos cursos.

Ederson

O bicho vai pegar, meu nobre. Veremos como os cursos de teologia da AD se sairão nessa prova de fogo.

Sérgio Luís

Esperamos que este exame indique a boa qualidade de nossas instituições de ensino teológico e de nossos bacharéis.

Deixe seu comentário







Perfil

Esdras Costa Bentho Teólogo, Bacharel e Licenciado em Teologia com especialização em Hermenêutica; graduado em Pedagogia (Educação Infantil, Ensino Fundamental e Formação de Professores), e escritor. Atualmente concluindo o Mestrado em Teologia pela PUC, RJ, atua como professor na Faecad, RJ, trabalha como editor de Bíblias e revisor sênior para editoras cristãs.

É autor dos livros “A Família no Antigo Testamento – História e Sociologia” e “Hermenêutica Fácil e Descomplicada”, e co-autor de “Davi: As vitórias e derrotas de um homem de Deus”, todos títulos da CPAD.

COLUNISTAS