Colunistas

Pr. Esdras Bentho

Pr. Esdras Bentho

A Bíblia e as Características das Pessoas Difíceis

Dom, 28/08/2016 por

Conviver e relacionar-se com pessoas é uma arte! Exige tato, experiência e cuidado. As pessoas são diferentes de muitos modos, inclusive na forma como gostam de serem tratadas. Talvez uma bajulação faça bem ao ego de uma pessoa, mas outra recebe com desconfiança e desprezo. Há formas universais de tratar alguém. Todos desejam ser tratados com educação, respeito e cordialidade. Todavia, com alguns isto não basta, são necessárias altas dosagens de paciência, tolerância e resignação. É sobre esse tipo de pessoas, que certa psicoterapeuta chama de “porco-espinho”, e um outro psicólogo conceitua como “gente tóxica”, que trataremos nesse artigo.

1. Invejosa e ciumenta (Pv 28.22; At 7.9; Tg 3.15; Rm 13.13).

A inveja é um sentimento destrutivo provocado pela insatisfação pessoal a respeito da felicidade e sucesso alheio (Pv 14.30). Ela se distingue do ciúme, uma outra obra da carne (Gn 30.1; Rm 13.13; Gl 5.20). A pessoa tem ciúme do que é dela e inveja do que é do outro. O ciumento quer primazia e exclusividade (Nm 11.27-29; Rm 11.11), já o invejoso tende a destruir ou ignorar o que alguém conquistou e a influenciar negativamente as outras pessoas (Gn 4.5; 37.11).

A inveja e o ciúme são pecados (Gl 5.20, 21) e opostos ao amor (1Co 13.4). Na Bíblia são conhecidos Caim (Gn 4.5), os patriarcas (At 7.9), Saul (1Sm 18.8) e os principais sacerdotes (Mc 15.10), todos, pessoas tóxicas, capazes de oprimir, injuriar, planejar o mal e até cometer assassinatos (Mt 27.18). O justo é advertido a não ter inveja dos ímpios (Sl 37.1; Pv 3.31; 23.17).

2. Opressora e agressiva (Êx 23. 9; Lv 19.33; Pv 14.31).

O opressor tem um conceito equivocado acerca do poder que exerce. Ele converte a legitima autoridade em opressão e a submissão em pena (Gn 16.6; Êx 1.11; 1Tm 1.13). Nesses dois versículos, o termo hebraico (‘ānâ) significa “humilhar” (ARA) ou “afligir” (ARC) e, no contexto, refere-se ao sofrimento advindo de uma tarefa difícil de realizar, podendo se estender ao castigo físico (1Tm 1.13 cf. At 26.9-11).

O opressor é autoritário e se favorece de sua função superior para impor sua vontade sobre os outros. Essa suposta superioridade às vezes é condicionada pela cultura (machismo, patriarcalismo, paternalismo), resultando em hostilidade e agressões às mulheres, crianças e indefesos (Sl 10.18; 34.18). O salmista pedia ao Senhor para que o livrasse de gente dessa laia (Sl 72.4; 119.121).

3. Murmuradora e mexiriqueira (Nm 17.5; Dt 1.27; 1Co 10.10).

Um dos termos hebraicos para murmuração (hāgâ) descreve o arrulhar da pomba e o rugir do leão após a captura da presa (Is 38.14; 31.4). A murmuração pode se manifestar sutil e docilmente  como o arrulhar da inofensiva pomba, como também manifesta-se perigosa e ameaçadora como o rugir do leão. Em ambas situações ela é perigosa e repreensiva. Tais metáforas descrevem o caráter sutil e ameaçador do murmurador e do mexiriqueiro, o “fofoqueiro”. Ambos usam as palavras para provocarem intrigas, rebeliões e para falarem mal do próximo (Êx 15.24; 16.2; Nm 14.2; 16.41; Lv19.16; Pv 11.13).

Segundo a Bíblia, essas pessoas tóxicas espalham veneno pela língua mentirosa (Pv 6.17), e, como flexa, procuram ferir outros disseminando desconfiança (Jr 9.8). O mexeriqueiro é intriguista e bisbilhoteiro. Uma das características desse execrável personagem é revelar os segredos que lhe são confidenciados (Pv 11.13). Seu prazer está em revelar aos outros aquilo que lhe foi transmitido em secreto. Ele gosta de insinuar maliciosamente dúvidas a respeito do cárater, das palavras e atos das pessoas. Ele é tão perigoso à unidade do grupo e à comunhão fraternal que a Bíblia o condena tenazmente: “Não andarás como mexeriqueiro entre o teu povo” (Lv 19.16; 2Co 12.20). Paulo também repreende as mulheres mexeriqueiras na igreja. Elas se intrometiam na vida particular dos irmãos e falavam o que não convinha “de casa em casa” (1Tm 5.11-13). Disseminavam mentiras, intrigas e dúvidas concernentes à vida dos crentes. No Salmo 101.5, o Senhor é muitíssimo claro: “Aquele que difama o seu próximo às escondidas, eu o destruirei”. É muito difícil se relacionar com tais pessoas (2Tm 2.17).

16 comentários

JAIR ALVES DA COSTA

AMADOS. DEUS DEIXOU A PROVA DO QUE ELE FEZ NO ANTIGO TESTAMENTO.NAS VIDA DE SEU POVO SEPARADO PARA ELE.DEUS ABRIU MAR VERMELHO. QUEM É A TESTEMUNHA.TEM ALGUÉM QUE NÃO É ABIBLIA .ESSE É SÓ UM EXEMPLO............................VAMOS PARA NOVO TESTAMENTO. O JUGAMENTO É CRUCIFICAÇÃO DE JESUS.TEM ALGUÉM QUE NÃO É ABIBLIA................PORTANTO QUERIDO AMADOS IRMÃOS. AS DUAS TESTEMUNHAS DO CAP-11 DO APOCALIPSE SÃO ANTIGO É NOVO TESTAMENTO.SI NÃO TEM VELHO É NOVO TESTAMENTO DE QUE FALARIA.

cial quando seede, mesmo errado, ainda mais em igrejas hodiernas.

A palavra é boa? porém como seres humanos e em especial quando se fala em liderança sempre haverá posições diferentes que as vezes leva a intrigas e divisões, mas nem sempre isso será sinal de pessoas com características mencionadas, as vezes pode ser frutos de excesso de poderes ou medo de se perde empregos " cargos assalariados nas igrejas e suas mordomias". Como seres humanos somos diferentes, culturalmente, personalidades firmes ou outras frágeis.

Keylla

A paz do Senhor! Muito boa essa mensagem, realmente nos deparamos com esses tipos de pessoas. Que Deus continue te usando!

Rodrigo Azaredo

Muito edificante. Quero saber como fica a regeneração. Ela não muda as pessoas? Uma pessoa assim não deveria se tornar uma pessoa melhor?

Ana Rita Ribeiro

Com toda certeza convivência e relacionamento são exercícios que requerem todo um traquejo pois, o ser humano é de uma complexidade ímpar. Excelente artigo!! Bastante esclarecedor!! O senhor é benção em nossas vidas.

João Castilho de Souza

É óleo descendo igreja sobre os santos e fogo sobre os mexeriqueiros e invejosos. Toma essa aí povo santo.

Wellington Soares

Mensagem profunda e atual. Poucas vezes li algo tão prático e contundente. Obrigado pastor Esdras, o irmão é uma bênção. Parabéns a CPAD por ter homens de Deus doutos na santa Palavra de Deus.

Alexandre Gonçalves

Uma palavra poderosa da parte de Deus. Que as pessoas difíceis leiam essa mensagem do céu. Concordo com a nossa irmão do Japão. Que bênção pastor.

Olívio dos Santos

Agradeço ao pastor Esdras por esse estudo maravilhoso, fui tocado.por essa palavra.

Davison da Silva Alves

Daviso no da SI

Fernanda

A Paz do Senhor , primeiramente quero agradecer ao senhor Pastor Esdras pela palavra . Que Deus continue te usando , Congrego na Assembleia de Deus no Japão. Sou líder do círculo de oração e descobri que minha alma estava em perigo . Meu Deus , como preciso ficar aos pés de Jesus e pedir seu perdão . Que Deus me ajude a me santificar a cada dia até chegar dia perfeito .

Vasti

Amei essa matéria!!!! Deus seja Louvado, porque se não lutarmos contra nós mesmos e pedirmos a graça do Senhor para vencer, corremos seriamente o risco de estarmos enquadrados em algumas dessas características ou porque não dizer todas. Deus abençoe pela oportunidade de poder ler meditar e refletir sobre o assunto colocado.

Pb. Adelson Bezerra

A Paz do Senhor. Antes de mais nada, analisemos a nós mesmos, a fim de observarmos se porventura, somos ou temos algo em comum, no que se refere, aos tipos de pessoas, anteriormente nominadas. Estejamos sempre atentos,pois, no nosso cotidiano convivemos com pessoas que têm algumas das características acima citadas.

Sérgio Luís

Amado pastor Esdras. Infelizmente, é comum convivermos com pessoas com as atitudes citadas pelo senhor em seu texto; e entendendo que a biblia foi escrita para o povo de Deus,chegamos a conclusão isto de que isto ocorre em nossas igrejas. Continue deixando ser usado por Deus. Amém

Silvia Ayala

Gostei muito mestre

Deixe seu comentário







Perfil

Esdras Costa Bentho Teólogo, Bacharel e Licenciado em Teologia com especialização em Hermenêutica; graduado em Pedagogia (Educação Infantil, Ensino Fundamental e Formação de Professores), e escritor. Atualmente concluindo o Mestrado em Teologia pela PUC, RJ, atua como professor na Faecad, RJ, trabalha como editor de Bíblias e revisor sênior para editoras cristãs.

É autor dos livros “A Família no Antigo Testamento – História e Sociologia” e “Hermenêutica Fácil e Descomplicada”, e co-autor de “Davi: As vitórias e derrotas de um homem de Deus”, todos títulos da CPAD.

COLUNISTAS