Colunistas

Pr. Douglas Baptista

Pr. Douglas Baptista

A teologia pentecostal, os valores e a autoridade bíblica

Sex, 28/08/2020 por

Uma das marcas do pentecostalismo é o seu compromisso inegociável de fidelidade as Escrituras Sagradas e a propagação da mensagem bíblica na sociedade em que a igreja se encontra inserida.

O artigo de abertura da Declaração de fé das Assembleias de Deus professa crer “na inspiração divina verbal e plenária da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé e prática para a vida e o caráter cristão” [1].

Essa proposição tem implicações relevantes para a teologia pentecostal. A Bíblia não é vista apenas como um livro que “contém” a Palavra de Deus, mas, sobretudo a Bíblia Sagrada “é” a Palavra de Deus.

            Nota-se na leitura do credo assembleiano alguns termos preponderantes para a construção das Escrituras como o fundamento da teologia pentecostal: inspiração, inerrância, infalibilidade, e exclusividade em termos de fé. Isso significa que a autoridade da Bíblia Sagrada é suprema.

Nesse entendimento, a teologia sistemática pentecostal faz duras críticas ao racionalismo teológico e assegura que “no terreno das Sagradas Escrituras não há meia-ortodoxia; a ortodoxia tem de ser absoluta. Se a tornarmos relativa, não teremos, então, nenhuma ortodoxia; e, sim, heresias, apostasias e erros” [2].

            Nesse pressuposto, a teologia pentecostal se estrutura nos preceitos bíblicos cujo código moral não se modifica. Nessa concepção, a teologia assembleiana ratifica que nas Escrituras a “moral não haverá jamais de ser adulterada nem relativizada; é um livro que trata com valores absolutos” [3].

Para alguns pesquisadores, essa afirmação dogmática, caracteriza os pentecostais como intransigentes fundamentalistas. No entanto, para os pentecostais, essa postura os identifica como o povo cuja regra áurea de fé e prática repousa na autoridade da Bíblia Sagrada

Douglas Roberto de Almeida Baptista.

Pense Nisso!.

 

 

Notas bibliográficas

[1] SOARES, E. Declaração de Fé das Assembleias de Deus. Rio de Janeiro: CPAD, 2017, p. 21.

[2] GILBERTO, Antonio. Teologia Sistemática Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2013, p. 24.

[3] GILBERTO, 2013, p. 27.

2 comentários

Ezio dos Anjos Souza

Estimado e nobre pastor Douglas, é sempre satisfatório poder, em uma manhã como esta, apreciar as mais raras jóias preciosas escritas pelo senhor em forma didática os conceitos e parâmetros das sagradas escrituras. É preciso agradecer muito a Deus, por tê-lo colocado em nossas vidas.

RUBILAR D'AVILA DIAS

Prezado Pr Douglas, nesse momento em vivermos em nosso Brasília, podemos observar o quanto o relativismo tomou conta de nossa Nação. Diante desse panorama alimentado pelo destemor a Deus, por parte de alguns que deveriam ser voz cntraria ao relativismo no seio da Casa do Senhor, seu artigo, o qual, cremos ser inspirado por Deus, é muito oportuno. Deus seja louvado por sua vida Pr Douglas.

Deixe seu comentário







Perfil

Douglas Baptista é pastor, líder da Assembleia de Deus de Missão do Distrito Federal, doutor em Teologia Sistemática, mestre em Teologia do Novo Testamento, pós-graduado em Docência do Ensino Superior e Bibliologia, e licenciado em Educação Religiosa e Filosofia; presidente da Sociedade Brasileira de Teologia Cristã Evangélica, do Conselho de Educação e Cultura da CGADB e da Ordem dos Capelães Evangélicos do Brasil; e segundo-vice-presidente da Convenção dos Ministros Evangélicos das ADs de Brasília e Goiás, além de diretor geral do Instituto Brasileiro de Teologia e Ciências Humanas.

COLUNISTAS